A cena parece de filme: bandidos recorrem a um drone para vigiar casas de alto padrão para saber o momento exato em que os proprietários deixam o local. Ou então fazem um sobrevoo para averiguar quais são os itens de valor no galpão de uma empresa. Apesar da pirotecnia envolvida, essas situações foram registradas no Brasil recentemente.
É possível 'hackear um drone'? Especialista mostra como funciona ataque Para resolver a situação, duas empresas demonstraram em São Paulo uma nova tecnologia de detecção de drones. O software combina uma série de sensores para detectar a presença dos equipamentos voadores. Por meio dos sinais de Wi-Fi e câmeras de vídeo adicionais, a ferramenta é capaz até mesmo de apontar onde está o dono do drone.
Sistema emite alerta quando detecta drone não autorizado nas redondezas (Foto: Thássius Veloso / TechTudo) Batizado de DroneTracker, o sistema faz uso de uma base de dados com informações dos principais modelos à venda no mercado – DJI, Phantom, Mavik, Parrot… Você decide. Ele é capaz de reconhecer a assinatura digital dos equipamentos e soar um alarme quando há uma invasão pelos ares. O próprio software apresenta um dossiê completo do drone possivelmente envolvido em práticas criminosas. De acordo com as empresas Dedrone e Axis, responsáveis pela tecnologia no país, o processo de detecção leva alguns segundos – basta que o drone entre no campo de atuação dos sensores, que funcionam como radares. As câmeras de vigilância adicionais – algumas capazes de captar imagens em resolução 4K – também auxiliam a monitorar a movimentação do dispositivo.
DoneTracker mostra dossiê de drone que sobrevoa a região (Foto: Thássius Veloso / TechTudo) Drones em piloto automático também são percebidos pelo sistema de proteção. Nestes casos, a tecnologia não consegue determinar de onde vem a invasão, mas consegue gerar imagens também de onde o equipamento fez o sobrevoo. Todos os dados são apresentados numa imensa tela de computador, com direito a mapa e o trajeto registrado em GPS.
O gerente da Dedrone, Robson Augusto, descarta o surgimento da profissão de “vigia cibernético”, um equivalente moderno aos vigias que circulam por pátios de empresas, presídios, fazendas e escritórios. “Poderia ser uma posição de supervisor. Com a informação apresentada na tela, este profissional poderia decidir quais ações tomar”, diz em entrevista ao TechTudo. O que fazer quando um drone invade o espaço aéreo da firma? De acordo com ...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.