Por Maria Dias, para o TechTudo

27/04/2019 07h01 Atualizado 2019-04-27T10:01:11.402Z


O Buser é um aplicativo que oferece o serviço de compra de passagens de ônibus para viagens intermunicipais. Disponível para baixar em celulares Android ou iOS (iPhone), o sistema ganhou visibilidade nos últimos meses por conta dos preços ofertados — a tarifa cobrada pela passagem no app é bem menor do que a cobrada pelas viações nos guichês e sites de rodoviárias. A promessa é uma economia de até 60%. O custo mais favorável só é possível devido ao que seus desenvolvedores chamam de “fretamento colaborativo”.

Por meio dessa tecnologia, o passageiro pode se cadastrar no serviço, entrar em um grupo de viagem para o destino e datas selecionados e garantir um lugar no ônibus fretado pela Buser. O valor da passagem não é fixo: ele é definido com base na quantidade de pessoas interessadas no mesmo trajeto, já que o valor total do serviço de frete é dividido por cada um dos usuários. Para quem deseja saber mais sobre a plataforma, o TechTudo reuniu as principais características sobre o funcionamento da Buser a seguir.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Como funciona o fretamento colaborativo?

A Buser, conhecida por oferecer passagens de ônibus por um preço abaixo do mercado, utiliza o método de fretamento coletivo para garantir a menor tarifa aos usuários. Como o aplicativo não é vinculado a nenhuma viação, as viagens são feitas por meio de ônibus fretados, que são contratados pela Buser. Outro objetivo do app é reunir o maior número de pessoas interessadas em um mesmo trajeto para dividir os custos do transporte alugado.

O fretamento coletivo, portanto, é um sistema de rateio do custo total da contratação do fretado entre os passageiros da viagem (que compõem os chamados grupos de viagem). Uma viagem por meio da Buser só pode ser feita quando um grupo de viagem possui uma quantidade mínima de passageiros pagantes.

No aplicativo, o usuário pode conferir quais são as probabilidades de um grupo confirmar uma viagem. A estimativa é feita de acordo com volume de busca para o itinerário, número de reservas em relação aos dias restantes para o deslocamento, quantidade de interessados no caminho de volta e até disponibilidade da empresa de fretados. O custo da passagem diminui bastante quando comparada ao bilhete vendido em rodoviárias porque, atualmente, é mais econômico fretar um transporte e dividir seu valor total entre o número máximo de passageiros permitidos.

2. Quais são as empresas por trás do transporte?

Por ser uma empresa de tecnologia que visa reunir pessoas interessadas em um mesmo trajeto, assim como a contratação de um transporte para realizar tais viagens, a Buser não possui uma frota própria. O aplicativo faz parcerias com empresas de ônibus fretados para ofertar seus serviços — e é assim que a companhia se sustenta, com comissões pagas pelas firmas contratadas.

Segundo o site do aplicativo, todas as empresas parceiras da Buser são regulares e possuem autorizações de órgãos federais — como a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) — para realizar viagens. A companhia também se responsabiliza pela qualidade dos veículos contratados – os transportes precisam passar por uma auditoria para fazer parte da plataforma. Itens como idade do veículo e histórico de manutenção dos ônibus são avaliados.

3. Como agendar uma viagem pelo app?

Para solicitar uma viagem pela Buser, é preciso fazer download do aplicativo, disponível na Google Play Store

... e na App Store. O cadastro pode ser feito por meio de e-mail, celular ou conta do Facebook. É preciso fornecer dados como nome completo, e-mail, telefone e criar uma senha para o app. No primeiro cadastro, o usuário ganha R$ 10 em buedas (a moeda do aplicativo) para usar em viagens.

O local de origem e o destino da viagem, assim como a data para realizar o trajeto, podem ser buscados na tela inicial da plataforma. Com essas informações, o usuário consegue visualizar se já existem grupos de viagem para o horário desejado — caso não existam, é possível criar um —, quantas reservas já foram realizadas e quais viagens já estão confirmadas. Não é possível escolher os assentos no ônibus, pois eles são definidos apenas na hora do embarque.

Ao escolher um itinerário, é preciso informar os dados pessoais do passageiro, como nome completo e CPF. Por último, o usuário deve confirmar os dados e realizar o pagamento da reserva, que pode ser feito por meio de cartão de crédito ou boleto bancário. O valor da passagem varia de acordo o número de passageiros no grupo de viagem.

4. Quais são os pontos de embarque e desembarque das viagens?

Por serem transportes fretados, os ônibus não fazem embarques e desembarques dentro de rodoviárias, como normalmente é feito. O ponto específico de origem e de destino do trajeto, portanto, pode variar de acordo com o itinerário do usuário. Os detalhes sobre cada um deles podem ser vistos nas informações sobre a rota de um determinado grupo de viagem.

Mesmo que um usuário crie um grupo, ele só poderá definir os locais de embarque e desembarque dentre as opções concedidas pelo próprio aplicativo.

5. Qual é o custo da viagem?

Como o valor da passagem é definido com base no rateio do custo do ônibus entre os passageiros da viagem, o preço a ser pago pelo usuário pode variar. No primeiro uso do app, por exemplo, o usuário paga R$ 10, seja qual for o destino e o valor do rateio. De acordo com a Buser, o sistema de fretamento coletivo concede ao usuário uma economia de até 40% quando comparado ao sistema de transporte rodoviário comum.

A variação do preço pode atingir valores máximos e mínimos de rateio. O valor máximo é cobrado quando o custo total do frete é dividido pelo número mínimo de passageiros necessários para a confirmação de uma viagem. Já o valor mínimo é o custo total dividido pelo número máximo de passageiros possíveis em uma viagem. Esses valores também podem sofrer alterações de acordo com o tipo de serviço oferecido pelo transporte (executivo, leito ou cama).

Caso o usuário pague o valor máximo do rateio e, ao final, o valor fechado seja o mínimo, ele recebe a diferença em créditos na sua conta do aplicativo para utilizar em novas viagens. Também é possível receber créditos ao convidar amigos para acessar a plataforma.

6. Existe reembolso para viagens não confirmadas?

Caso uma viagem seja cancelada pela Buser, por falta de passageiros ou por qualquer outro imprevisto, o usuário que efetuou a reserva e o pagamento para a viagem não confirmada recebe seu reembolso integralmente. Em caso de desistência do próprio passageiro, o reembolso será concedido apenas para viagens canceladas com 1h de antecedência ao horário de embarque.

Em ambos os casos, não são cobradas multas ou taxas e os créditos do reembolso ficam disponíveis para o usuário em sua conta dentro do app. Ele poderá escolher se deseja usá-los para fazer uma nova reserva ou transferi-lo para uma conta bancária.

7. Quais são as regras para viajar com pets e crianças?

As normas do aplicativo são bem rígidas em relação ao transporte de crianças que possuam até seis anos de idade. Para qualquer tipo de trajeto ou ônibus, elas devem viajar em assentos próprios e com o auxílio de uma cadeirinha bebê conforto. Para que o suporte seja usado, é preciso ocupar uma poltrona em sua totalidade, o que exige a compra de uma passagem integral para os pequenos passageiros.

De acordo com a Buser, o uso do instrumento de segurança não é obrigatório nesses casos, mas a empresa preferiu adotá-lo como regra em suas viagens, por questões de segurança. Ainda não é permitido transportar animais de estimação nas viagens ofertadas pela Buser.

Qual é o melhor app que você tem no seu celular? Comente no Fórum do TechTudo.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.