Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Caso não saiba, na passada quarta feira, a Intel anunciou que está prestes a juntar-se ao clube PLC (Penta-Level Cell), onde cada célula individual NAND irá conseguir armazenar 5 bits. Um clube que curiosamente já contava com a presença da gigante Toshiba.

Portanto, para o consumidor tradicional, isto significa que a tecnologia de armazenamento SSD está prestes a ficar mais barata, com quantidades de memória ainda maiores.



Ainda não pode comprar SSDs PLC, mas quando isso acontecer, vai muito provavelmente assistir a uma revolução no mercado… Mas nem tudo vai ser bom!

Para perceber como é que tudo isto funciona, temos de ir um pouco para trás, e ver no que é que consiste o design de um SSD. Onde tudo está à volta da quantidade de bits que uma célula NAND consegue armazenar. Ora veja:

  • SLC – Single Layer Cell. Um bit por célula, tecnologia tipicamente encontrada em camadas de cache ou SSDs super rápidos no mundo empresarial.
  • MCL – Multi Layer Cell. Dois bits por célula. Podemos encontrar vários produtos deste género no mercado como o Samsung 860 Pro.
  • eMLC – enterprise Multi Layer Cell. A mesma MLC mas com velocidades mais baixas para baixar o número de erros na memória. (Os mesmos 2 bits por célula)
  • TLC – Triple Layer Cell. 3 bits por célula, uma tecnologia que domina o mercado atual.
  • QLC – Quadruple Layer Cell. 4 bits por célula, tecnologia que já podemos encontrar no mercado em produtos como o super barato Samsung 860 QVO.
  • PLC – Penta Layer Cell. 5 bits por célula, a nova tecnologia que a Toshiba e Intel têm como aposta.

Dito tudo isto, enquanto a memória SLC tem uma performance incrível, sendo também bastante durável, é super cara de produzir. Por isso, os SSDs só começaram a chegar e a dominar o mercado de consumo quando a memória MLC chegou. Mas vamos agora falar das tecnologias mais recentes, e como é que a velocidade começou a baixar.



Apesar dos SSDs PLC serem uma tecnologia mais barata, vão também ser mais lentos…

Afinal de contas, os SSDs mais modernos usam memória TLC com uma pequena camada SLC como cache. Por isso, desde que não precise de mexer em grandes quantidades de dados, a escrita vai parecer super rápida. Contudo, assim que começar a mexer em memória mais lenta, vai sentir a velocidade a cair.

Vamos ver as velocidades dos SSDs Samsung 860 com tecnologia MLC, TLC e QLC, para ter uma ideia da coisa:

  • Pro 512GB MLC (Velocidade de Escrita-> 530MB/s)
  • EVO 512GB TLC (Velocidade de Escrita -> 300MB/s)
  • QVO 1TB QLC (Velocidade de Escrita -> 80MB/s)

Em suma, ainda não sabemos qual é a velocidade da memória PLC… Mas a progressão que temos visto não tem sido grande coisa! Ainda assim, os preços estão a mexer, e isso vai acabar por ser positivo para o consumidor.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Fonte


Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.