Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

A Xiaomi lançou recentemente um smartphone muito original. Chama-se Mi Mix Alpha e deixou-nos impressionados, quer pelo ecrã, quer pelo preço a rondar os 2800 Euros. Este smartphone possui um painel que rodeia todo o equipamento e é o primeiro a vir com uma câmera de 100 megapixéis. A empresa já confirmou que o Mi MIX Alpha estará à venda em quantidades limitadas. Foi exatamente por isso que se começou a falar de que a Xiaomi estaria a trabalhar num novo Xiaomi Mi MIX com algumas das funcionalidades do MiX Alpha.

Ainda por cima, muitas informações que circulam na Internet revelam que o Mi Mix 4 terºa um sensor de câmera de 108 megapixéis da Samsung, o mesmo presente no Mi MIX Alpha. Também se falou que deveria chegar em meados de Outubro.

Surpresa! Não vai haver mais nenhum Xiaomi Mi Mix este ano

No entanto, um dos responsáveis de produto da Xiaomi China confirmou através de um post no Weibo que não haverá nenhum outro smartphone da série Xiaomi Mi Mix a ser lançado este ano.

O smartphone lançado em outubro não faz parte da série Mi MIX, mas fará parte da recém-lançada série Mi CC. Isso também acaba com os rumores relacionados a um smartphone da série MIX com 16 GB de RAM de várias publicações chinesas. Ou seja, todas as atenções têm mesmo de estar viradas para o Mi Mix Alpha.

O Xiaomi Mi Mix Alpha é o primeiro smartphone com um ecrã curvo que está à volta de todo o dispositivo. Ou quase. Há apenas uma pequena faixa vertical que acomoda a câmera na parte traseira. Olhando para este facto em que as partes laterais e a traseira estão cobertas por um ecrã chegamos a uma fantástica relação ecrã-corpo de 180,6%. Isto é possível graças às molduras superior e inferior que só têm 2.15mm.

No entanto trazer tudo isto de um conceito para a vida real não foi fácil. Dito isto, a Xiaomi apostou em diversas soluções para tornar isto possível.

Este equipamento é suportado por uma moldura muito leve mas resistente feita em Titânio. Depois as câmeras traseiras estão protegidas por vidro safira para evitar quaisquer tipos de riscos. É também na faixa onde estão as câmeras que a Xiaomi colocou as antenas e os módulos de conetividade 5G e Wi-Fi.

Olhando para as imagens percebemos rapidamente que não há botões. Mas assim sendo, onde e liga o dispositivo ou regular o volume. Bem, é uma abordagem semelhante à do Mate 30 Pro.

Os botões estão colocados no ecrã lateral. Funciona como se fossem botões, mas são um ecrã.

Apesar de quase todo o smartphone ser ecrã, não precisa de se preocupar com toques acidentais. É que graças a múltiplos sensores e à inteligência artificial, o smartphone desativa as áreas inativas para evitar toques.

A Xiaomi ainda não revelou as especificações deste dispositivo. No entanto, já afirmou que será alimentado por um chipset Snapdragon 855+ com suporte para 5G.
Haverá pelo menos uma versão com 12GB de memória e 512GB de armazenamento UFS 3.0.

A bateria não é demasiado grande. Ainda assim tem 4050mAh mas suporta carregamento de 40W como o Mi 9 Pro 5G.

Ao nível das câmeras este smartphone é o primeiro do mundo a vir com uma câmera que tem a resolução de 108 megapixéis. Este feito deve-se à presença de um sensor Samsung ISOCELL Bright HMX 108MP.

Este sensor é capaz de capturar imagens com uma resolução de 12032 x 9024 pixéis. Ou seja, extremamente detalhadas. A ele junta-se um sensor telefoto de 12 megapixéis com zoom ótipo de 2x e outro ultra-grande angular de 20. Este dispositivo também suporta a captura de fotografia macro até uma distância de 1.5cm.

O Mi Mix Alpha não tem câmera para selfies porque na realidade não precisa. Pode usar o ecrã traseiro para esse efeito.

Para se tirar partido do ecrã presente em todo o smartphone, a Xiaomi fez alguns truques no ecrã. Para além deste modo de selfies, há mais novidades. Independentemente do que possa estar a fazer no ecrã principal, pode ainda usar o traseiro para outras tarefas como chamar a uber, agendar um evento ou controlar dispositivos inteligentes.

Este equipamento será produzido numa baixa escala. Para além disso custa 2814 Euros. Ainda é mais caro que o dobrável da Samsung.


Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.