Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Intel vai apostar na Lei de Raja? – Caso não saiba, o mundo dos semi-condutores tem uma lei divina de seu nome ‘Lei de Moore’, que na sua essência nos diz que o número de transistores duplica de 2 em 2 anos, o que claro está irá resultar num ganho de performance excecional.

Portanto, nos últimos ~50 anos, a Lei de Moore tem guiado a pesquisa e desenvolvimento de toda a indústria de semi-condutores. Aliás, a estratégia ‘Tick-Tock’ da Intel dos últimos anos, tem como base esta mesma lei, ao lançar uma arquitetura completamente nova de 2 em 2 anos, com algumas melhorias arquiteturais e correções pelo meio.

Contudo, a Intel falhou redondamente ao passar para o processo de 10nm… O que pelos vistos, ‘matou’ a Lei de Moore!

A estratégia ‘Tick-Tock’ da Intel está morta, ou pelo menos moribunda. Afinal de contas, a gigante dos processadores anda a brincar com os 14nm há qualquer coisa como 5 anos. O que claro está, muito se deve ao falhanço na passagem para os 10nm, que apenas começou a produzir em massa no passado mês de Junho.

Foi também graças a tudo isto, que a AMD teve a oportunidade de ‘apanhar’ a Intel, relegando a sua rival para uma segunda posição no mercado de consumo (Ryzen 3000), mas também no mercado empresarial graças aos novos EPYC Rome.



É que caso não saiba, apesar do processo de 10nm da Intel já estar encaminhado, os primeiros produtos vão ser lançados apenas para o mercado mobile. Enquanto as versões de alta performance apenas irão chegar às prateleiras em 2020.

Tudo isto fez com que vários especialistas viessem a público dizer que a Intel tinha ‘morto’ a Lei de Moore. Algo que a própria empresa rapidamente negou… Até agora! 

Pois bem, podem dizer adeus à Lei de Moore… Está na hora de dar as boas vindas à Lei de Raja!

Caso não saiba, o nome desta lei vem de Raja Koduri, o antigo ‘boss’ da AMD Radeon Tech que trocou de equipa em 2018, para chefiar os esforços da Intel no mundo das placas gráficas.

E pelos vistos, foi esta a personalidade que sugeriu a grande mudança, ao esquecer ‘Moore’ e assim optando pela estratégia de trazer 10x mais performance de década em década. 



Então, foi na SIGGRAPH2019, que Jim Keller (antigo arquitetura chefe da arquitetura AMD Zen) fez um discurso agora com o manto da Intel, falando da ‘velhinha’ Lei de Moore, que curiosamente segundo o mesmo, poderia progredir graças à sua pesquisa e avanços na tecnologia de ‘Stacking 3D’.

Mas pelos vistos, o objetivo da Intel atual é mesmo seguir a Lei de Raja, conseguindo aumentos de 10x de 10 em 10 anos.

Explicando tudo isto, Jim Keller mencionou duas leias, a Lei de Bell que essencialmente diz que o equipamento computacional tem de ficar 10x mais rápido de década em década. E também a Lei de Raja que sugere que os preços mudem de 10 em 10 anos, com 10x mais performance que a geração anterior. Mostrando uma imagem, onde podemos ver a evolução do CPU single-core, até ao chip IA, passando pelos CPUs multi-core e GPUs.

Conclusão

O que na verdade parece bastante estranho… Afinal de contas, os processadores single-core foram o pão e manteiga do mundo dos computadores durante quase 30 anos. Além disso, as placas gráficas não apareceram em 2005 como a imagem quer fazer querer… Aliás, o GPU da antiga Atari ANTIC de 1979 já era mais rápido que vários CPUs da era em certas operações.

Temos de esperar para ver como é que isto vai correr para a Intel! Em boa verdade, a empresa está num altura crítica, em que se vê obrigada a meter o pé no acelerador. É que caso isto não aconteça, a AMD já meteu o pisca para fazer a ultrapassagem.


Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Fonte

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@l.pt.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.