Por Milena Garcia, para o TechTudo

17/10/2019 06h10 Atualizado 2019-10-17T09:10:19.681Z


O Google Pixel 4 deu às caras nesta terça-feira (15), em Nova York. Apresentado ao mundo com preço sugerido a partir de US$ 799 (cerca de R$ 3.340 em conversão direta), o novo celular do Google é o primeiro do mundo com radar e traz incrementos na ficha técnica, como o processador Snapdragon 855, e sistema de câmera dupla. O smartphone bate de frente com o iPhone 11, lançamento da Apple cotado para chegar às lojas brasileiras em 18 de outubro por R$ 4.999 na edição mais simples. Saiba, a seguir, as semelhanças e diferenças entre os sucessores do Google Pixel 3 e iPhone XR.

Tela e design

Uma das principais novidades do Google Pixel 4 é a tela de 90 Hz, taxa de atualização alta e pouco encontrada no mercado de celulares. Esse é um recurso capaz de garantir animações de sistema e interações com aplicativos visualmente mais agradáveis, além de ser uma ótima opção para o público gamer.

Outras características do display são a sua resolução Full HD+ e a medida de 5,7 polegadas. Apesar das especificações que devem entregar imagens de alta qualidade, a tela traz borda superior bastante espessa e distante da tendência atual. O smartphone pode ser encontrado nas tradicionais tonalidades de preto e branco e também na cor laranja.

O design do iPhone 11 não se difere das gerações anteriores, já que o notch marca presença na tela de 6,1 polegadas e resolução de 1792 x 828 pixels. O smartphone pode ser encontrado em seis cores diferentes: preto, verde, amarelo, lilás, vermelho e branco.

Uma característica que se tornou alvo de fortes comparações é o formato da câmera traseira, que é similar em ambos os telefones. Diferentemente de suas gerações anteriores, o Google Pixel 4 e iPhone 11 trazem uma câmera dupla posicionada em uma base quadrada na face posterior do celular.

Câmera

Ambos os smartphones contam com sistema de câmera dupla. O Google Pixel 4 é o primeiro da linha a contar com mais de um sensor na traseira, agrupando um de 12,2 megapixels, com lente angular, e outro de 16 MP, com teleobjetiva para fotos de objetos ou ambientes distantes. Além disso, o smartphone traz vários incrementos de software já conhecidos pelos usuários da linha Google Pixel para otimizar a qualidade das imagens.

O iPhone 11, por sua vez, possui dois sensores de 12 megapixels, com lentes angular (f/1.8) e ultra wide de 120º (f/2.4), conjunto que pode ser interessante para fotografar ambientes e grupo de pessoas. Diferentemente do iPhone XR, o Modo Retrato da nova geração não está limitado à humanos. O smartphone ainda conta com Modo Noite e melhorias no Smart HDR.

Quando o assunto é selfie, o iPhone tende a levar vantagem na comparação, pois traz câmera com resolução maior: 12 megapixels. Já o Google Pixel 4 conta com sensor frontal de 8 MP.

Desempenho e armazenamento

Ambos os telefones trazem fichas técnicas avançadas: enquanto o iPhone 11 traz o Apple A13 Bionic, o Google Pixel 4 conta com o Snapdragon 855 e memória RAM de 6 GB. Dessa forma, a expectativa é de que ambos os smartphones entreguem bom desempenho no dia a dia até mesmo com jo

... gos e apps mais pesados.

Vale lembrar que a Apple, tradicionalmente, não informa a capacidade de memória RAM do iPhone.

Quando o assunto é o armazenamento, os dois celulares podem ser encontrado nas versões de 64 GB e 128 GB. O iPhone, porém, é o único da dupla a trazer edição com 256 GB. Em ambos os casos não há suporte a cartão de memória microSD.

Bateria

A duração de bateria é uma das maiores apostas da Apple em 2019. Segundo a fabricante, o celular é capaz de reproduzir vídeos por 17 horas e ainda entrega uma hora a mais de autonomia quando comparado com o antecessor iPhone XR. Já o Google Pixel 4 traz componente de 2.800 mAh, que deve ser suficiente para um dia inteiro longe das tomadas.

Sistema e recursos adicionais

O Google Pixel 4 segue a tradição e traz a versão mais recente do Android sem modificação alguma, o Android 10 e promessa de atualização por três anos. Já o iPhone 11 também tende a entregar updates por bastante tempo, mas chega ao usuário com o iOS 13, sistema próprio da Apple.

Tal como o iPhone X, o smartphone da Apple conta com os sensores TrueDepth para garantir o funcionamento do Face ID e possibilitar o uso de recursos de realidade aumentada, como os Animojis. O Google Pixel 4 traz solução similar com o Motion Sense, que permite tanto o controle do smartphone por gestos e sem a necessidade de toques quanto o desbloqueio de tela por reconhecimento facial.

O lançamento do Google também inclui recursos de transcrição de áudios em tempo real, Google Assistente remodelado, e características semelhantes ao iPhone 11, como a ausência de saída para fone de ouvido e suporte ao eSIM.

Preço

A fase de encomendas do Pixel 4 já começou nos Estados Unidos e as primeiras unidades devem começar a serem entregues em 22 de outubro. O preço inicial do produto é o mesmo do lançamento do Pixel 3 no ano passado: a partir de US$ 799 (cerca de R$ 3.310 em conversão direta). A má notícia é que, assim como aconteceu com o seu antecessor, o aparelho não deve ser vendido oficialmente no Brasil – portanto, ainda não há nenhuma previsão de seu lançamento no país.

Por outro lado, o iPhone 11 está prestes a dar as caras nas lojas brasileiras. No exterior, o preço do produto começa em US$ 699 (cerca de R$ 2.855 em conversão direta) com a capacidade de 64 GB. Já as versões 128 GB e 256 GB foram anunciadas por US$ 749 (R$ 3.060) e US$ 849 (R$ 3.470), respectivamente. Por aqui, o smartphone será vendido por R$ 4.999 (64 GB), R$ 5.299 (128 GB) e R$5.799 (256 GB) a partir de 18 de outubro.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.