Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

O que é mais importante? O CPU ou a Placa Gráfica? – Eu costumo sempre dizer que um PC tem de ser equilibrado, que não devemos ir tanto ao mar, nem tanto à terra. Ainda assim, esta pergunta continua a aparecer no meu e-mail e caixa de mensagens demasiadas vezes para qualquer pessoa sã.

Afinal de contas, o que é mais importante para um PC? Um bom processador ou uma placa gráfica melhor?



Antes de mais nada, é preciso saber qual é o uso do PC em questão!

Se for um computador para produtividade, em que o jogo mais pesado que alguma por ali passar for o Solitário ou Minesweeper… Então, por amor de deus, não liguem muito à placa gráfica.

No entanto, se por acaso está a pensar adquirir um PC para jogos, ou pretende fazer uma boa atualização na sua fiel máquina do dia a dia para poder jogar tudo no máximo, então já temos aqui uma outra conversa bem mais interessante.

Primeiramente, qualquer processador Quad-Core produzido nos últimos 5 ou 6 anos irá ser perfeitamente capaz de aguentar qualquer placa gráfica que atire para a mistura de componentes que é o seu PC! Bem… Pelo menos até à RTX 2060/RTX 2070 ou RX 5700 XT. Se por acaso está a pensar meter as mãos numa RTX 2080 Super, RTX 2080 Ti, ou tem uma velhinha mas ainda muito capaz GTX 1080 Ti, talvez seja boa ideia optar por um processador mais poderoso!

Para ter noção do que estou a dizer, uma RTX 2060 Super, RTX 2070 ou RTX 2080 irá ser perfeitamente capaz de correr qualquer jogo a 100fps (ou mais) em 2560 x 1440, conseguindo calcular qualquer coisa como 500 milhões de píxeis todos o segundos. Entretanto, o CPU deverá calcular a posição de qualquer coisa como 25.000 vértices, ao mesmo tempo que envia toda a informação para a placa gráfica.

Ou seja, muito resumidamente… O CPU é apenas o mensageiro que precisa de enviar a informação para o GPU! Se for bem sucedido na sua missão, não irá precisar de um componente mais recente e ou mais poderoso.

Dito isto, quando Witcher 3 saiu em 2015, arruinou quase todas as placas gráficas que tínhamos ao nosso dispor no mercado, ao mesmo tempo que metia uma carga de trabalho bastante pesada sem cima do CPU! Um jogo que hoje em dia é comido de cebolada por qualquer placa de gama média. Entretanto, em 2020, temos jogos como AC:Odyssey, Rise of the Tomb Raider, Control, entre outros, que até levam boas placas de ~400€ como a RX 5700 XT e RTX 2060 Super ao cume da temperatura, sem conseguirem oferecer mais que 60fps em 1440p.

Isto para dizer o quê? Acha que neste tipo de casos um CPU irá ajudar a aumentar os FPS? Geralmente não! Ou seja, se o processador é capaz de enviar toda a informação à placa gráfica atempadamente, não existe qualquer necessidade de trocar de CPU. Pode pegar no dinheiro extra que iria gastar, para investir numa placa gráfica melhor. Aí é que vai encontrar um bom aumento de performance.

No entanto, isto não é sempre verdade! Existem jogos que puxam e bem pelo CPU…

Estou a pensar em jogos como Far Cry 5, GTA 5, Arma III, entre outros, que mostram subidas na ordem dos 10~15FPS numa simples troca de um i5-9400F para um mais apetrechado i5-9600K.

Conclusão

Em suma, na minha mais honesta opinião, não faz sentido montar um PC novo com um Ryzen 3 3200G ou um Intel Core i3-9100 e ao mesmo tempo investir numa RTX 2080 Ti! É uma build demasiado desequilibrada. Pessoalmente, gosto sempre de ver máquinas com cabeça, tronco e membros.

No entanto, se está a pensar comprar um PC para jogos, vale sempre a pena apostar mais um pouco na placa gráfica do que no processador. Ou seja… Não! Não precisa de um Ryzen 3900X ou Intel i9-9900K para jogar. Agarre no dinheiro extra, e invista numa placa gráfica melhor, ou em mais memória RAM.


O que é mais importante? O CPU ou a Placa Gráfica? – Ademais, o que pensa sobre tudo isto? Partilhe connosco a sua opinião nos comentários em baixo.

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@l.pt.


Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.