Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

A Google falou finalmente acerca do caso da Huawei. O grupo americano lembra que vai continuar a enviar atualizações para os smartphones Huawei enquanto Washington permitir. Porém, é altamente recomendável não instalar os seus serviços e aplicações móveis em todos os smartphones Huawei que não foram certificados. Mas há uma questão ainda mais séria do que esta e as últimas informações da Google deixam-nos a pensar.

Todos os smartphones Huawei podem ficar sem atualizações

Há nove meses a Huawei teve uma péssima notícia. Este fabricante chinês foi sancionado pelo governo americano e, portanto, deixou de poder fazer negócios com empresas americanas. Uma das principais consequências dessas sanções foi logo a ausência de serviços móveis da Google em dispositivos Huawei lançados a partir de 19 de maio de 2019. Até aqui já tinhamos ouvido vários comentários da Huawei acerca desta questão. No entanto por parte da Google foram raros. Pelo menos, até agora.

Tristan Ostrowski, diretor jurídico do grupo americano, detalhou várias informações numa das páginas de suporte ao sistema operativo Android. De facto, foi uma oportunidade para a Google explicar a ausência dos seus serviços nos novos dispositivos Huawei.

O representante legal explica que os serviços móveis da Google estão integrados apenas em dispositivos que foram certificados pela Google através do programa Play Protect. No entanto, essa certificação é feita antes da produção: “Os dispositivos certificados do Play Protect passam por um rigoroso processo de análise de segurança e teste de compatibilidade, realizado pela Google. Isto é feito para garantir que os dados dos utilizadores e as informações das aplicações são mantidas em segurança.

No entanto, devido ao embargo dos EUA, a Google já não pode trabalhar com a Huawei. Isto significa que os smartphones lançados após a data da proibição não passaram nos testes de segurança. Portanto, não podem incorporar os serviços móveis da Google e, portanto, não são certificados pelo Play Protect.

A Google sabe que alguns utilizadores estão a tentar instalar os Play Services nos smartphones da Huawei que foram lançados depois da proibição. Este foi o caso do Huawei Mate 30 Pro quando foi lançado no outono. Mas também deve ser o do Honor View 30 Pro, do Mate XS ou do próximo P40.

A instalação de aplicações da Google não vai funcionar de forma confiável, pois a Google não permite que esses serviços sejam executados em dispositivos não certificados.

A instalação destas aplicações também representa um risco de instalação. São apps modificadas e podem comprometer a segurança dos utilizadores.

Além disso, a Google aproveitou esta oportunidade de comunicação para falar sobre os smartphones anteriores da Huawei. Ou seja, os dispositivos lançados antes de 19 de maio de 2019 e que ainda beneficiam dos serviços móveis do Google, mas também são atualizados.

“Continuamos a trabalhar com a Huawei, de acordo com os regulamentos do governo. O objetivo é fornecer atualizações de segurança e atualizações para aplicações e serviços da Huawei para dispositivos existentes. E continuaremos a fazê-lo pelo tempo que for permitido.”

Aqui a frase mais importante a reter é: “enquanto for permitido”. Ora uma das jogadas do Governo Americano que já pode estar em cima da mesa pode ser a proibição de updates para todos os equipamentos da Huawei, inclusive os lançados antes de 19 de Maio. Ou seja, todos, inclusive o Huawei P30 Pro e outros.  Isto seria uma vergonha para o consumidor, é verdade, e para a própria Huawei. No entanto é sem dúvida uma bomba atómica para o gigante Chinês que só agora vai apresentar os seus serviços e que com o tempo poderão começar a assustar a Google.

Acompanhe ao minuto as últimas noticias de tecnologia. Siga-nos no Facebook, Twitter, Instagram! Quer falar connosco? Envie um email para geral@l.pt.


Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.