Amazon Echo é a principal caixa de som inteligente com Alexa da fabricante. O modelo que dá nome à linha está em sua quarta geração e pode ser encontrada por ao menos R$ 569,05* na Amazon, em preço promocional, durante a semana do consumidor. Na última versão, o dispositivo pode ser utilizado como hub para conexões IoT, ou seja, facilita o processo de deixar sua casa conectada com acessórios que funcionam via ZigBee, padrão sem fio que promete maior segurança frente ao Wi-Fi.

As lâmpadas da Philips Hue, por exemplo, funcionam via Bluetooth ou pela Hue Bridge, aparelho que pode ser "substituído" pela Echo, permitindo o uso integrado das luzes a outros eletrônicos IoT suportados pelo app Alexa. O TechTudo testou a versão de quarta geração da Amazon Echo e conta a seguir mais detalhes sobre o smart speaker.

Design com acabamento simples

Apesar das funcionalidades inteligentes, a Echo, assim como a Echo Dot, traz um design bem diferente da terceira geração. Em formato de globo, o produto vem com acabamento em tecido e botões de plástico distantes da estética anterior, passando bem menos confiança. A luz em formato de anel, agora, vem na parte inferior, e é ativada quando a Alexa está ouvindo (azul), o microfone está desligado (vermelho) ou há alguma notificação (verde, amarelo, entre outros).

Mais uma vez, o aparelho não traz bateria integrada, o que, segundo a Amazon, tem a ver com a proposta de uso do smart speaker. As interfaces incluem, portanto, uma entrada de força, onde fica conectada a fonte ligada à tomada, além de uma porta auxiliar de 3,5 mm, permitindo ligar uma caixa de som para aumentar a potência do que é reproduzido. Mas, vale ressaltar: a qualidade do dispositivo nesse quesito é suficiente para diferentes tipos de uso, ficando abaixo apenas da Echo Studio.

Boa reprodução

Além de tirar dúvidas e permitir o controle de dispositivos conectados via comandos de voz, a Echo tem uma reprodução muito boa, superando com sobras a Echo Dot de mesma geração. Segundo a Amazon, o dispositivo traz recursos de áudio antes presentes apenas na Echo Studio, justamente a caixa com foco em maior qualidade de som. Um exemplo é a capacidade de mapear o ambiente para otimizar o sistema ao tocar músicas.

Além disso, estão presentes dois tweeters de 0,8 polegadas e um woofer de 3 polegadas, garantindo som estéreo e bem definido nas diferentes frequências. A Amazon fala ainda em um chip Dolby que garante esse processo.

Durante nossos testes, a reprodução surpreendeu positivamente em diferentes estilos musicais, desde Jazz até clássicos das "divas Pop", com desempenho bem interessante em graves e médios. Essa característica é boa não apenas para músicas, mas também para ouvir podcasts, rádios ou pedir suas notícias do dia em diferentes portais – incluindo o G1 e CBN, entre outros.

Além de caixa de som, assistente

A Echo traz Alexa integrada, permitindo um leque grande de opções para aproveitar suas funções. Assim como as outras caixinhas da linha, o modelo pode ser usado para pedir músicas, tirar dúvidas, controlar a reprodução no Fire TV Stick Lite e até mesmo fazer pedidos de comida via iFood ou corridas pela Uber.

Saiba mais sobre a Alexa, que está no Brasil desde 2019:

O usuário também pode navegar pelo aplicativo Alexa, disponível para Android e iPhone (iOS), para encontrar skills interessantes para seu dia a dia, personalizando a experiência com o speaker. Esses softwares vão desde algo essencial para controlar suas luzes conectadas via Wi-Fi até jogos, interações diferenciadas para crianças e alternativas de acessibilida

... de. A Amazon inclusive realizou o Prêmio Alexa de Acessibilidade, onde incentivou a criação de mais skills voltadas para facilitar o dia a dia de pessoas com diferentes deficiências.

Em relação ao controle da casa conectada, a presença de um hub ZigBee no aparelho é uma grande novidade da quarta geração. Antes presente apenas na Echo Studio, a funcionalidade agora fica disponível na Echo e ajuda bastante o processo de integração.

Luzes como as da Philips Hue dependem de um hub para serem integradas ao serviço Alexa. Dessa forma, o usuário pode comprar apenas um bulbo e começar a utilizar a voz para controlar a iluminação de um cômodo, por exemplo, ao invés de pagar R$ 559,90 a mais pelo acessório, que faz mais sentido quando utilizado com mais lâmpadas.

Há ainda interações que celebram dias comemorativas, como o Dia Internacional das Mulheres, na última segunda (8), em que a assistente respondeu ao bom dia com a presença de Elza Soares. Durante todo o mês de março, inclusive, a Alexa tem diversas ações voltadas para a data. Com "Alexa, tudo bem?", é possível ouvir histórias sobre mulheres que se destacaram em diferentes áreas, além de tirar dúvidas sobre a Lei do Feminicídio ou a Marcha Sufragista, por exemplo.

Vale mais que a Echo Dot?

Em termos de interações com a Alexa, ambas têm recursos parecidos: permitem pedir coisas, tirar dúvidas, ouvir músicas e controlar dispositivos conectados, entre outros exemplos. Os diferenciais da Echo estão em outras esferas, como na reprodução, área em que entrega um desempenho bem acima da "irmã" menor. Portanto, se a ideia é ter não apenas uma assistente de voz, mas também uma caixa de som com boa qualidade para ouvir músicas, a Echo sai na frente.

O principal modelo da linha também se destaca na presença do hub ZigBee, recurso que facilita o processo de casa conectada com esse tipo de conexão e dá uma garantia para crescer o número de dispositivos integrados ao serviço Alexa. Mais um ponto interessante da Echo.

Portanto, na hora de decidir, é importante levar em conta os diferentes preços: a Echo Dot, menor, menos potente, mas ainda assim com todos os recursos de assistente virtual, está à venda por R$ 284,05, valor quase R$ 300 mais baixo que os R$ 569,05 da Echo – ambas em promoção.

Para quem pretende comprar seu primeiro smart speaker para dar início ao processo de deixar a casa smart, é possível gastar menos com o modelo de entrada, assim como comprar dispositivos IoT baratos e que funcionam via Wi-Fi, como as lâmpadas da Positivo Casa Inteligente ou da WiZ, por exemplo. Mas, pensando em uma caixinha mais completa ou estando em um estágio mais avançado com sua smart home, vale considerar a Echo de quarta geração.

Conclusão

A Echo de quarta geração traz melhorias importantes de hardware, apesar de, na aparência, deixar um pouco a desejar – não pelo formato em esfera, mas sim pelo acabamento, principalmente dos botões. A qualidade de som surpreendeu positivamente, assim como a conectividade via ZigBee, que permite queimar etapas no processo de casa conectada com alguns dispositivos IoT. Por a partir de R$ 569,05 durante a Semana do Consumidor, pode ser um bom momento para comprar o smart speaker da Amazon.

*Nota de transparência: Amazon e TechTudo mantêm uma parceria comercial. Ao clicar no link da loja, o TechTudo pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.