Resident Evil surgiu em 22 de março de 1996 com o jogo Resident Evil 1, lançado pela Capcom para o PlayStation original (PS1). O game foi um sucesso absoluto, vendendo cerca de 2.75 milhões de cópias em todo o mundo. De lá para cá, a série ganhou inúmeros novos títulos e se tornou um dos principais nomes do survival horror, consolidando o gênero no mercado.

Agora, com seu novo capítulo inédito Resident Evil Village, a franquia tem presença nos consoles de nova geração, Xbox Series X/S e PlayStation 5 (PS5). Em comemoração aos seus 25 anos, confira dez curiosidades pouco conhecidas e segredos sobre a popular série de terror Resident Evil.

Quer comprar consoles, jogos e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. A franquia nasceu com o nome Biohazard

Originalmente, o primeiro jogo da franquia foi lançado no Japão, com o título Biohazard. Foi necessária a mudança de seu nome, porém, para que ele pudesse ser lançado em países ocidentais. Isso porque, quando tentaram trazer o game para a América, o diretor Shinji Mikami e a Capcom descobriram a dificuldade que seria patentear o título Biohazard, já que, afinal, existia uma banda de heavy metal e um jogo com esse mesmo nome.

2. O título Resident Evil veio de um concurso

Diante da necessidade de alterar o título do game no ocidente, a Capcom decidiu, então, realizar um concurso para escolher o novo nome. A divisão norte-americana da empresa coletou uma lista de sugestões entre os seus funcionários, e o time de marketing decidiu que o sugerido "Resident Evil" era o melhor de todos. Na época, o trocadilho não agradou a todos, mas a Capcom japonesa e Shinji Mikami concordaram que o título era apropriado, autorizando que o jogo fosse publicado como Resident Evil.

3. Teve como inspiração um jogo do Famicom

Além da clara inspiração em filmes clássicos de terror, Resident Evil também tem como uma das suas raízes o jogo Sweet Home, lançado em 1989 para o Famicom, a versão japonesa do Nintendinho (NES). O título em questão foi produzido pela Capcom e tem diversos elementos que, posteriormente, foram incorporados a Resident Evil – entre eles, uma mansão mal assombrada, os puzzles misteriosos, a gameplay com foco na sobrevivência e até mesmo a famosa animação da porta abrindo.

4. A mansão foi baseada em casas assustadoras do mundo real

Um dos cenários mais marcantes da franquia é a assustadora mansão do primeiro Resident Evil. Muitos jogadores não sabem, mas ela foi baseada em residências reais, e que realmente assustaram o time da Capcom. Para criar a ambientação de terror perfeita, a produção se baseou em casas de estilo Europeu que aparentavam esconder segredos sinistros em suas paredes. Além disso, muitos dos cenários pré-renderizados do game também tiveram inspiração no famoso The Stanley Hotel, que foi transformado no assombrado Hotel Overlook, do filme O Iluminado, de Stanley Kubrick.

5. O primeiro jogo quase foi um FPS cooperativo

A gameplay dos primeiros jogos de Resident Evil foram fundamentais para a definição do gênero survival horror no PlayStation. Inicialmente, no entanto, a ideia era de que o primeiro jogo da franquia fosse um FPS cooperativo, em que dois jogadores deveriam encarar hordas de zumbis.

O estilo só começou a ser alterado quando os desenvolvedores encontraram dificuldades técnicas pelas limitações de hardware do console. Por isso, após um replanejamento, surgiu a clássica combinação de ação em terceira pessoa com câmeras em ângulos fixos e controles limitados, que criaram o clima de terror e sobrevivência tão notório da

... franquia.

6. Resident Evil entrou para o Livro dos Recordes pelo pior diálogo

Em 2008, Resident Evil entrou para o Livro dos Recordes por um motivo um tanto quanto infame: por um diálogo ruim. O jogo levou o "prêmio" de "Pior Diálogo dos Games", por frases como “É uma arma. É muito poderosa, especialmente contra coisas vivas,” ou pela famosa “Essa foi por pouco, você quase virou Jill Sanduíche”, que marcaram a franquia.

7. Os principais antagonistas da franquia são diferentes vírus

À primeira vista, pode parecer que os principais inimigos da franquia Resident Evil são os zumbis. No entanto, os grandes vilões são, na verdade, os diferentes tipos de vírus e parasitas, com seus efeitos devastadores. Além do T-Vírus dos primeiros jogos, a série teve também o G-Vírus, o NE-alpha Type, o Las Plagas, o T-Veronica, o Uroboros e alguns outros. Por isso, ao longo dos games, o jogador enfrenta diferentes tipos de armas biológicas e mutações criadas a partir desses vírus e parasitas.

8. Devil May Cry seria Resident Evil 4

A franquia de hack and slash da Capcom, Devil May Cry, teve as suas origens em Resident Evil. Inicialmente, o time de desenvolvimento queria apresentar algo totalmente diferente no quarto capítulo da franquia de survival horror. A ideia, na época, era fazer um jogo mais estiloso e repleto de ação, protagonizado por um personagem chamado Tony, que teria habilidades sobre-humanas obtidas por meio de biotecnologia.

Com o andamento do projeto, os desenvolvedores perceberam que estavam se afastando não apenas do gênero survival horror, mas também dos temas principais de Resident Evil. Por isso, o conceito e elementos desenvolvidos acabaram deixados de lado, e, posteriormente, foram reaproveitados em Devil May Cry.

9. Referências à banda Queen

Os irmãos Jill e Claire Redfield, dois protagonistas do jogo, certamente são grandes fãs da banda Queen. Em Resident Evil 2, o famoso colete rosa de Claire possui estampada a frase "Made in Heaven" ("Feito no Paraíso", em português), que é o nome dó último álbum do Queen com a sua formação mais famosa. Chris também tem uma jaqueta com a mesma frase.

Não são essas, no entanto, as únicas referências a Queen na franquia. Em Resident Evil Code: Veronica, Claire veste uma jaqueta com as palavras "Let Me Live" (“Me deixe Viver”), nome da terceira música justamente do disco Made in Heaven. Já em Resident Evil Zero, o personagem Billy Coen tem uma tatuagem com os dizeres "Mother Love" ("Amor de Mãe", em PT-BR), que também é uma música desse mesmo álbum.

10. Quase teve um filme dirigido por George Romero

George A. Romero é um dos diretores de cinema mais influentes quando se trata de histórias de zumbis. Ele foi o responsável por clássicos como A Noite dos Mortos-Vivos, Dia dos Mortos e Despertar dos Mortos, além de ter dirigido, também, o comercial japonês de Resident Evil 2.

Quando a Capcom teve a ideia de fazer um filme de Resident Evil, Romero foi sua primeira escolha. No entanto, a visão do diretor era a de um filme que reproduzisse os eventos do game com fidelidade, o que ia contra a proposta da Capcom. A desenvolvedora pretendia contar uma nova história original, que fosse simplesmente ambientada nesse universo.

Com informações de MentalFloss, Gamespew e DigitalSpy

Qual é o melhor jogo de Resident Evil? Comente no Fórum do TechTudo.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

A primeira plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.