A Apple anunciou o fim do HomePod, sua caixa de som inteligente. O produto, que prometeu competir com Amazon Echo e Google Nest, custava US$ 299 (R$ 1.669, em conversão direta), preço alto frente aos rivais do segmento. Além disso, a limitação no uso de apps de steaming como Spotify, Tidal, Deezer apenas via AirPlay 2.0 também afastou usuários do aparelho.

A fabricante não comenta o motivo oficial que levou à suspensão da produção do HomePod, mas garante que o produto será vendido enquanto durarem os estoques. O TechTudo levantou possíveis razões que podem ter levado a maçã a abandonar a caixinha com Siri. Confira a seguir:

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Preço alto

Nos EUA, onde o produto é vendido oficialmente, o valor médio de uma caixa de som inteligente é de, aproximadamente, US$ 50, cerca de R$ 279 em conversão direta. Com isso, o HomePod nunca foi uma das opções mais em conta, custando US$ 299 (R$ 1.669, sem considerar impostos).

Como o aparelho nunca foi anunciado oficialmente por aqui, os consumidores brasileiros interessados encontraram dificuldades para comprar o produto desde que foi anunciado em fevereiro de 2018. Com isso, restava apenas a opção de importar a caixa de som ou comprar em varejistas não oficiais.

2. Limitações no streaming de música

Os usuários que buscam um smart speaker esperam utilizar o aparelho como um dos principais reprodutores de música da casa. No entanto, para quem não é adepto ao Apple Music, o HomePod nunca foi a melhor escolha.

Isso significa que usuários de Spotify, Tidal, Deezer e outros apps de streaming não têm tanta facilidade para ouvir música no HomePode quanto em rivais como Amazon Echo e Google Nest, uma vez que não há suporte direto a esses serviços.

A única saída para usar o dispositivo com aplicativos de música distintos seria por meio do AirPlay 2.0, o sistema de transmissão de conteúdo da própria Apple. A fabricante, prometeu aos usuários que o dispositivo contaria com suporte a outros aplicativos de streaming. Mas, até então, somente o streaming Pandora está disponível.

3. Hardware ultrapassado

Pelo preço que se paga no HomePod, a expectativa é por alta qualidade na reprodução, respostas rápidas da Siri e outras vantagens. No entanto, o hardware mais ultrapassado – é o mesmo desde 2018 – e a falta de entradas físicas limitam a caixa a reproduzir formatos que não superam a qualidade de CD, por exemplo. As conexões possíveis no dispositivo são via Bluetooth, Airplay 2 e Wi-Fi.

Além disso, o conjunto de alto-falantes é omnidirecional. Ou seja: para melhor aproveitar a qualidade de áudio da caixa, é necessário colocar o dispositivo em uma posição central no ambiente desejado. Apesar de conseguir realizar o emparelhamento estéreo, HomePod não conta com um sistema de som surround, limitando a experiência de usuários que buscam maior imersão.

4. Chegada do HomePod Mini

A versão sucessora do HomePod é sua variante Mini, lançada em outubro de 2020. Custando cerca de US$ 99 (R$ 552, em conversão direta), a nova caixa de som da Apple promete ser um sucesso nos pontos em que a versão anterior não se saiu tão bem.

O recurso de hardware que mais chama atenção no HomePod Mini é a presença de um chip U1, que deve melhorar o desempenho na transferência de música para a caixa de som. Este processador também está presente em outros produtos da Apple, como Watch Series 6 e nos iPhones 11 e 12, sendo responsável pela alta precisão para detectar outros aparelhos da marca. De

... ssa forma, é possível trocar a reprodução do iPhone direto para a caixinha de som, sem interromper a música.

Além disso, o HomePod Mini também apresenta o chip Apple S5 que tem a função de áudio computadorizado. Com isso, o dispositivo analisa o conteúdo a ser reproduzido e otimiza a equalização em tempo real.

Apesar de possuir um único driver, a qualidade sonora do HomePod Mini promete ser boa mesmo com o tamanho do dispositivo, que possui 9,7 cm de largura e 8,4 cm de altura. O áudio é 360º e fica por conta de dois radiadores passivos de longo alcance. O produto traz ainda novo sistema Intercom, que permite uma troca mais rápida de mensagens de voz entre dispositivos da maçã em uma mesma casa.

5. Poucos serviços integrados

Bem como descrito anteriormente, o HomePod apresenta uma limitação no que se refere à utilização de serviços de streaming que não sejam da Apple. Além disso, a caixa de som da maçã apresenta algumas outras limitações por conter poucos serviços e opções de dispositivos inteligentes compatíveis com o HomeKit. O usuário que pretende deixar sua casa conectada não encontra no HomePod uma boa opção para o gerenciamento inteligente dos aparelhos.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

A primeira plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.