A Motorola anunciou hoje o celular Moto G100 pelo preço sugerido de R$ 3.999. Ele traz uma série de destaques na ficha técnica, mas a fabricante aposta mesmo na integração com monitores externos ou TVs, com a proposta de maior produtividade ou entretenimento mais imersivo. Na prática, é como se o smartphone virasse um computador.

Para tanto, o Moto G100 conta com a plataforma Ready For. Ela transforma o sistema do celular mais perto do que os consumidores estão acostumados a ver no PC, com programas mais completos em tela cheia. O gerente de produto Thiago Masuchette afirma que este é “o Moto G mais poderoso de todos os tempos”.

A tecnologia lembra o que já foi feito pela Huawei e pela Samsung no passado. Com smartphones mais potentes, torna-se possível transmitir imagens de alta qualidade por meio de cabo HDMI. Além disso, os aparelhos podem receber teclado e mouse (conectados com fio ou sem) para tarefas mais complexas, como edição de planilhas.

Um dos recursos demonstrados pela empresa reajusta a câmera do telefone para acompanhar o movimento do usuário. Mesmo que o smartphone esteja fixado num suporte e a pessoa ande pelo ambiente, o rosto dela continua enquadrado. A Motorola diz que a função é bem-vinda em reuniões e salas de aula virtuais, entre outros casos de uso.

Além disso, o Moto G100 funciona com controles de videogame no padrão Bluetooth. Existe uma série de opções à venda no mercado.

Uma vez que esteja conectado ao monitor ou TV, o usuário pode escolher entre interface de computador (com menu similar ao Iniciar do Windows e tudo mais), de smart TV (com ícones grandes) ou ainda a já conhecida tela espelhada.

A Motorola aposta alto na ficha técnica do Moto G100 para dar conta das funcionalidades mais sofisticadas. O smartphone conta com processador Snapdragon 870, um octa-core da Qualcomm cuja velocidade chega a 3,7 GHz; memória RAM de 12 GB; GPU Adreno 650; armazenamento de 256 GB; e entrada para cartão microSD de até 1 TB.

O Moto G100 chega ao mercado compatível tanto com o vindouro 5G quanto com o atual 5G DSS, uma versão anterior à internet de quinta geração.

A câmera é outra fortaleza do novo Motorola, pois traz alguns dos recursos mais disputados do momento. As fotos chegam a 64 MP e há forte presença de inteligência artificial.

Na traseira ficam os seguintes sensores:

  • Principal de 64 MP (f/1.7)
  • Ultra wide e macro de 16 MP (f/2.2) – capta uma parcela maior da paisagem ou objetos posicionados muito perto da câmera
  • Profundidade de 2 MP (f/2.4) – auxilia no modo retrato
  • Time of Flight (TOF) – auxilia no foco e em aplicações de realidade aumentada (AR)

Chama a atenção a presença de um só sensor tanto para fotos de ultra wide quanto para imagens do tipo macro. É uma inovação da Motorola. Ainda é preciso checar o desempenho em condições normais de uso.

Por conta do novo sensor, o Moto G100 conta com dois flashes: um deles, mais comprido, fica no ponto inferior do módulo de câmera; o outro tem formato de aro e fica ao redor da câmera ultra wide/macro. Segundo Masuchette, a solução permite iluminação mais adequada em todos os tipos de uso.

A traseira conta ainda com um microfone dedicado à função Audio Zoom. O usuário perceberá que o zoom aplicado a uma imagem também acaba por valorizar o som originado naquele ponto específico. A Samsung já tem recurso similar há alguns anos.

O Moto G100 conta com câmera frontal dupla. São dois furos no display de 6,7 polegadas. Os sensores se dispõem da seguinte forma:

  • Principal de 16 MP (f/2.2)
  • Ultra wide de 8 MP (f/2.4)

Aq

... ui temos uma aposta controversa, já que outras fabricantes abandonaram o segundo sensor frontal para privilegiar a tela com menos distrações.

A Motorola destaca a presença do recurso de captura simultânea. Ele permite escolher uma câmera frontal e uma câmera traseira para registrar simultaneamente os dois momentos. A ideia é registrar o que a pessoa está vendo junto com as suas reações. Há diversas formar de ajustar a função.

Por falar em tela, desta vez os engenheiros incluíram a taxa de atualização de 90 Hz. Aos poucos ela começa a se popularizar no mercado, com possibilidade de movimentos mais fluidos em vídeos e games. Futuros compradores vão contar com resolução Full HD+ (2520 x 1080 pixels) e formato 21:9, o mesmo do cinema.

O Moto G100 tem bateria de 5.000 mAh. Segundo a fabricante, o componente dá conta de dois dias longe da tomada. Já o carregador em si segue o padrão de 20 Watts. Não é o mais rápido do mundo, mas já está à frente de outros lançamentos da marca.

A ficha técnica menciona Bluetooth 5.1, Wi-Fi ax (2,4 GHz e 5 GHz), GPS, AGPS, LTEPP, SUPL, GLONASS, Galileo e NFC. O Moto G100 roda Android 11 de fábrica e receberá o Android 12 no futuro. Também são prometidos dois anos de correções de segurança.

O preço de R$ 3.999 contempla tão somente o telefone. Quem quiser o kit com Moto G100 e cabo USB-C x HDMI (compatível com Ready For) terá que desembolsar R$ 4.099. O cabo avulso será comercializado por R$ 149 nas lojas oficiais. Consumidores também poderão usar opções fabricadas por outras marcas.

As vendas se iniciam hoje com direito a duas opções de cor: Sky (azul) e Ocean (esmeralda). Nesta quinta-feira também foram revelados o Moto G10 e Moto G30. Juntos, os três aparelhos formam a geração 2021 da linha Moto G.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.