A Team Vikings venceu a final brasileira de Valorant Challengers Brasil contra a Sharks Esports por 3-1 no placar de mapas. A disputa terminou na noite deste domingo (9) em uma série melhor de cinco, com parciais de 13-10 na Ascent, 2-13 na Haven, 13-11 na Bind e 13-9 na Icebox, a equipe da Team Vikings se consagrou campeã do VCT Brasil. Os dois times estão classificados e representam o Brasil no primeiro campeonato mundial de Valorant, o Masters Reykjavík, que acontece na Islândia entre os dias 24 e 30 de maio.

Quer comprar jogos, consoles e PCs com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Mapa 1 (Ascent) - Vitória da Sharks

A Team Vikings começou com um ataque forte, aplicando o primeiro pistol e anti eco seguinte com facilidade. A Sharks trouxe seu ponto no seu primeiro armado, mas liderados por Gustavo "Sacy" Rossi (Sova), os Vikings mantiveram a pressão e quebraram a economia dos oponentes, o que abriu uma boa vantagem de pontos. Em uma rodada bem próxima para a Sharks, Matias "Saadhak" Delipetro (Killjoy) acabou com os sonhos dos tubarões voltarem a pontuar com um belo duelo contra Winicius "Light" Alves (Omen). A Sharks conseguiu aproximar os pontos após um round incrível de Matheus "Fra" Fragoso e outro estrelado por Light, fechando a primeira metade com 7-5.

O segundo pistol foi caótico, mas definido para os Vikings no detalhe, assim como o anti eco. A partir do primeiro armado, a Sharks achou uma boa entrada no Spikesite A, o que a fez conquistar rounds importantes para empatar o placar em 9-9. A partir daí foi uma sequência de vitórias para cada equipe, a Sharks virava o placar que logo em seguida era empatado pelos Vikings, que logo em seguida perdiam novamente. Em um round econômico, Wallacy "prozin" Sales (Phoenix) brilhou e a Sharks alcançou o match point, o que fez com que o resultado ficasse para os tubarões, que saíram da Ascent com 13-10.

Mapa 2 (Haven) - Vitória da Team Vikings

Em um pistol aceleradíssimo, a VKS rushou no Spikesite C e Sacy (Sova) e conseguiu um Ace com sua ghost. Com a vantagem econômica, o round seguinte veio fácil para os Vikings, além de vencerem o primeiro armado da Sharks. Foi uma sequência de vitórias para a VKS, mesmo em rounds que iniciavam para os defensores, a estratégia de Sacy e Gabriel "Sutecas" Dias (Astra) trouxe a vitória improvável. Foram seis rodadas seguidas até um ace de prozin (Phoenix) trazer o primeiro ponto dos tubarões em um round econômico. Ainda assim, o domínio da VKS foi total, perdendo apenas mais um round na conta de prozin. Mesmo assim, a equipe finalizou a primeira metade com uma larga vantagem de 10-2.

A defesa da Team Vikings também atuou bem no segundo pistol, após um retake improvável no Spikesite A, com direito a facada de Sutecas. A Sharks decidiu então atacar o site B, apenas para serem novamente rechaçados por Sacy e Gustavo "gtn" Moura (Raze), o que deu o match point para os Vikings. A vitória foi confirmada com mais uma boa defesa no site A, o que a fez finalizar o segundo mapa com uma vantagem impressionante de 13-2.

Mapa 3 (Bind) - Vitória da Team Vikings

Pela primeira vez na série, a Sharks começou na frente e venceu os três primeiros rounds com sua defesa. Isso não durou muito, já que a VKS logo trouxe o empate e virou o placar. Os Vikings se mantiveram firmes no jogo, mas a Sharks se adaptou ao ataque deles e Light (Omen) e Fra (Skye) realizaram em uma ótima defesa, além de Prozin (Raze) utilizar muito bem suas utilitárias. A vantagem diminuiu e a primeira metade acabou em 7-5 para a Team Vikings.

A Sharks teve um ótimo início no lado atacante, e venceu o pistol e o anti eco. Assim, conseguiu empatar o placar com 7-7. Depois disso, cada equipe tentava se sobressair e trocar rounds sem largar na frente, o que fez o placar chegar a 11-11 com uma economia bem mais favorável para a VKS. O valor de equipamento e uma ótima defesa de gtn trouxeram o match point para os Vikin

... gs. Após uma marotana incrível de Leandro "fzn" Gomes (Phoenix), o terceiro mapa foi confirmado para a VKS com 13-11.

Mapa 4 (Icebox) - Vitória da Team Vikings

Com um pé no pódio, a Team Vikings sentiu o momento da série. Com o objetivo de finalizar tudo na Icebox, a equipe fez um pistol perfeito e com muita tranquilidade venceu o anti eco, mas foram rechaçados pela Sharks no primeiro armado e no round seguinte. O ataque dos Vikings no Spikesite B não deu muito certo, o que trouxe alguns pontos para a Sharks. No entanto, com foco no Spikesite A, liderados por Sacy (Sova) e muito dano de gtn (Raze), a Vikings terminou a primeira metade na vantagem com 8-4.

Em busca de trabalhar a sua famosa resiliência, a Sharks venceu o segundo pistol e o anti eco, mas perdeu o seguinte. No entanto, o time ganhou o round econômico em seguida. Diferente do confronto contra a FURIA, a Vikings não se perdeu tão facilmente e respondeu com boas defesas, mas, perdeu os rounds econômicos. Ainda assim, a VKS continuou na frente no placar e encontrou o match point após um clutch inimaginável. Um 3K de Sutecas (Omen) selou a vitória por 13-9 dos Vikings, vencendo a série.

A final brasileira foi a última etapa da fase 2 do VCT Brasil. O campeonato teve três etapas com classificatórias abertas, das quais além das duas finalistas, Slick, paiN Gaming, INGAMING Esports, Gamelanders, Havan Liberty e FURIA disputaram o torneio e acumularam pontos para o circuito Champions, campeonato mundial de Valorant. Como finalistas, a Team Vikings e Sharks Esports disputarão o primeiro campeonato internacional de Valorant, o Masters Reykjavík.

Com informações de Liquipedia



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

A primeira plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.