Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Notebooks conversíveis são computadores modernos capazes de se “transformar” em tablets para oferecerem mais flexibilidade de uso no dia a dia. Com mecanismos avançados de encaixe da tela, eles permitem que o usuário mude a disposição do aparelho conforme sua necessidade.

Desktop All-in-One e 'concorrente' do Surface 4 são novas apostas da HP

É um recurso pelo qual a maioria dos fabricantes costuma cobrar caro, se comparado com com PCs convencionais. Mas, será que vale a pena investir em um laptop do tipo para ter mais comodidade?

Entenda mais sobre para que serve um notebook conversível e saiba se a tecnologia é essencial para você ou se pode representar um desperdício de dinheiro. Confira a seguir algumas vantagens e desvantagens.

Pontos positivos

1. Portabilidade

Modelos que destacam o teclado são leves e versáteis (Crédito: Divulgação/HP)Modelos que destacam o teclado são leves e versáteis (Crédito: Divulgação/HP)

Um dos atrativos de ter um notebook conversível são as dimensões pequenas. Dependendo do modelo adquirido, você poderá destacar o teclado completamente do corpo para transformar o computador em um tablet para carregar na bolsa ou na mochila. A mobilidade pode ser um grande diferencial para quem costuma ter que trabalhar no avião ou no metrô, e precisa de algo compacto e equipado com Windows para colocar tarefas em prática.

Duas das principais opções se você busca por um 2-em-1 compacto são o Asus Transformer Book T100, que pesa pouco mais de um quilo, e o mais barato Positivo Duo ZX3040.

Download grátis do app do TechTudo:
 receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

2. Versatilidade

A principal vantagem de um computador 2-em-1 é sua capacidade de se adaptar às suas necessidades. Se você prefere não andar com vários dispositivos consigo, uma máquina do tipo pode funcionar como um PC comum no trabalho, um tablet em casa para assistir a conteúdo multimídia, e ainda um apresentador de slides quando necessário.

As possibilidades de conversão de um notebook variam de modelo em modelo, e entre fabricantes, mas costumam se dividir em dois grupos: aqueles que permitem destacar o monitor do teclado; e os que não fixos, mas permitem mover a base para trás do display.

No segundo grupo, algumas opções são o Acer Aspire R11 e o Dell Inspiron 13 Série 7000.

3. Design

Conversíveis costumam ser bem desenhados (Crédito: Divulgação/Toshiba)Conversíveis costumam ser bem desenhados (Crédito: Divulgação/Toshiba)

Como se tratam, geralmente, de produtos caros, fabricantes de notebook conversíveis costumam caprichar no design para atrair o usuário disposto a pagar mais. É especialmente o caso de modelos que ainda não chegaram ao Brasil, como o Surface Book, da Microsoft, e o Toshiba DynaPad, que trazem visual elegante e construção metálica em corpos que ainda conseguem ser leves e abrigar hardware poderoso.

Pontos negativos

1. Menos potente

Embora modelos recentes quebrem essa regra, notebooks conversíveis vendidos no Brasil ainda não oferecem hardware suficientemente potente para quem precisa de alto desempenho. Com tecnologia relativamente ultrapassada, laptops 2-em-1 comercializados aqui são equipados com processadores Intel Core M ou inferiores, que consomem pouca energia, mas pecam na performance.

Vários modelos 2-em-1 trazem o fraco Intel Core M no hardware (Crédito: Divulgação/HP)Vários modelos 2-em-1 trazem o fraco Intel Core M no hardware (Crédito: Divulgação/HP)

Laptops com essa característica de hardware não têm problemas com programas mais leves e navegação na web, mas podem engasgar seriamente com aplicações pesadas, como editores de imagem e de vídeo, assim como em tarefas que exijam vários apps abertos ao mesmo tempo.

2. Menos armazenamento

Outro ponto fraco de alguns laptops conversíveis é a limitação de armazenamento. Modelos mais leves e portáteis costumam vir equipados com memória SSD de apenas 128 GB, o que pode não ser o bastante para a maioria dos usuários, principalmente aqueles que baixam muitos filmes e séries da internet.

Há opções com mais espaço, mas, por equiparem HDs comuns, acabam também sendo mais pesados, prejudicando a mobilidade oferecida por esse tipo de equipamento.

3. Preço

Yoga e outros conversíveis avançados custam caros demais (Crédito: Divulgação/Lenovo)Yoga e outros conversíveis avançados custam caros demais (Crédito: Divulgação/Lenovo)

Embora estejam sendo popularizados, os notebooks 2-em-1 ainda não são baratos o bastante quando comparados a modelos básicos convencionais. Muitas vezes, eles trazem potência similar a PCs comuns, mas o valor cobrado fica alto demais para compensar a estrutura conversível aplicada pelo fabricante. A Série 7000 da Dell, por exemplo, é vendida por, no mínimo, R$ 2.899 com processador Intel Core i3 e 4 GB de RAM. Já o Lenovo Yoga 900 não sai por menos de R$ 11 mil.

Qual é o melhor All-In-One? Comente no Fórum do Techtudo.

Conclusão

Notebooks conversíveis são atraentes visualmente e podem oferecer a portabilidade que você procura, mas é preciso tomar cuidado para não cair em ciladas. Dependendo do seu uso, laptops finos, porém sem teclado movível ou destacável, podem entregar exatamente o que você procura em termos de leveza, e ainda serem mais potentes.

Se você não tem um orçamento flexível ou não pode importar modelos mais avançados do exterior, talvez a solução esteja em modelos convencionais, porém baratos. De outro lado, se você tiver dinheiro para investir, a recomendação é optar por computadores vendidos lá fora ou computadores portáteis vendidos no Brasil, como o MacBook Air de 13 polegadas ou o HP EliteBook Folio.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.