As diversas interfaces e protocolos de transferência de dados usados nos SSDs podem causar confusão ao buscar por uma nova unidade. Há, por exemplo, M.2 SATA e outros M.2 PCIe que são totalmente incompatíveis entre si. No meio disso, ainda existe o mSATA, SATA e os novos NVMe, sem esquecer dos “SSDs em placa”, que usam barramentos PCIe como uma placa de vídeo.
HD comum, de alta velocidade ou SSD: qual é o ideal para você
Para não se perder nas variações, confira a lista abaixo e entenda as diferenças entre interfaces, protocolos e formatos usados pela indústria nos SSDs, dispositivos que podem substituir os HDs comuns.
Entenda as diferenças entre as interfaces de SSDs (Foto: Adriano Hamaguchi/TechTudo)

Antes de detalhar as particularidades de cada um, é importante ressaltar a diferença entre dois conceitos: interface e protocolo. Interface é o padrão de conexão física, o conector em si, que liga o SSD a placa mãe. Protocolo, por outro lado, é a tecnologia que se encarrega de estabelecer a ponte de transmissão de dados entre sistema e SSD. Há casos em que as duas coisas se misturam.
Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone SATA
SSDs de 2,5 polegadas e conexão SATA (Foto: Divulgação/OCZ)
Ainda é a interface e o protocolo mais comuns, que permitem uma velocidade de transferência teórica de 6 Gb/s (gigabits por segundo) e que atingem taxas de transferência na casa dos 550 MB/s (megabytes por segundo). SATA é mais comum porque está no mercado há...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.