Por US$ 26,2 bilhões (cerca de R$ 94 bilhões), a Microsoft comprou a rede social de currículos e vagas, o LinkedIn. Ainda restam alguns detalhes burocráticos até o acordo ser finalizado, o que deve acontecer até o final do ano, mas as duas companhias já se posicionaram. Para o usuário final, porém, pouca coisa deve mudar a curto prazo na rede também procurada por quem está em busca de empregos.
Egomnia: Zuckerberg italiano lança 'rival turbinado' do LinkedIn no BrasilJeff Weiner, CEO LinkedIn, afirmou, em um post no blog oficial da rede social para profissionais e vagas de emprego, que o site manterá marca e funcionamento. Weiner também segue como líder executivo.
Além disso, em uma publicação mais pessoal, no seu perfil de influenciador, o executivo revelou a íntegra de um e-mail que mandou para os funcionários do LinkedIn em todo o mundo. Nesse texto, detalhou algumas das possíveis novidades que estão por vir; saiba o que muda na rede social.
Executivos de LinkedIn e Microsoft: Jeff Weiner, CEO do LinkedIn, Satya Nadella, CEO da Microsoft e Reid Hoffman, cofundador e controlador de ações do LinkedIn (Foto: REprodução/Microsoft)
“Pense nas coisas que o LinkedIn pode fazer integrado ao Outlook, Calendar, Active Directory, Microsoft Office, Windows, Skype, Dynamics, Cortana, Bing e muito mais”, escreveu o executivo, dando uma pista das novidades que podem chegar ao LinkedIn quando de fato fizer parte da nuvem da Microsoft. Weiner disse ainda que integrar o serviço de ensino Lynda aos produtos Microsoft, como o...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.