A Apple propôs fazer uma simplificação da atual forma de precificar os pagamentos de royalties de música nos Estados Unidos. A proposta foi feita na sexta-feira (15) durante uma apresentação para o Copyright Royalty Board, um painel de juízes federais que supervisionam a taxação de royalties no país. 
Apple Music ou Spotify? Tabela compara streamings de música online
Segundo a empresa, a fórmula usada atualmente é complexa, principalmente quando se trata de serviços de streaming on-demand, como o Apple Music, Spotify e Tidal. De acordo com a proposta da Apple, os serviços de streaming deveriam pagar nove centavos de dólar de royalties para cada 100 vezes que a música fosse reproduzida. Esta fórmula substituiria as regras para as taxas de streaming de música que, muitas vezes, deixam os músicos confusos sobre como o dinheiro flui nessa industria.
Apple Music sugere novo método para precificar serviço, de olho no Spotify (Foto: Maria Clara Pestre/TechTudo)
Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone
Apesar da proposta da Apple ser aparentemente inofensiva, o alvo da empresa parece ser o Spotify. O serviço de streaming de músicas online utiliza o modelo freemium para conquistar mais usuários. Ou seja, o Spotify atrai pessoas com versões gratuitas e, quando cria a necessidade no cliente, oferece a versão paga. 
Mas, essas taxas legais que a Apple propõe não se aplicariam aos seus próprios serviços. O Apple Music têm acordos fechados direto com as editoras...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.