Pokémon Go é um jogo de realidade aumentada para iPhone (iOS) e Android que foi lançado em vários países e já está rendendo polêmica. Em teoria, o game utiliza recursos dos aparelhos dos usuários que pode obter dados pessoais específicos, como imagens da câmera, localização exata e movimentação costumeira. O TechTudo explica esses pontos e, com a opinião de especialistas, diz se é seguro jogar sem preocupações: Pokémon Go diverte com mecânica simples e bons gráficos; veja teste Câmera ligada ou desligada? Na teoria, ter a câmera do celular sempre ligada pode ser um problema. Se o jogo é online e a realidade aumentada faz uso da câmera de forma constante, nada impede que as imagens sejam vistas pela produtora do jogo. Contudo, isso pouco provavelmente ocorre de fato, e também é possível evitar de forma fácil e rápida.
Pokémon Go pode ser jogado com a câmera ligada dentro de sua casa (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)
Lembrando que a câmera do aparelho pode ser desativada dentro do game. Isto é, jogar sem a função de realidade aumentada na hora de capturar Pokémon. É verdade que isso também pode tirar metade da graça no processo, mas, para quem estiver realmente preocupado, pode ser uma boa opção. Captura de informações As desconfianças começaram quando internautas apontaram que John Hanke, criador da Niantic Labs, tem ligação com a CIA, a agência de inteligência dos Estados Unidos. Hanke trabalhou no Google e também criou a empresa Keyhole Inc, que deu origem ao Google Earth, aplicativo que captura ima...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.