Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Para muitos consumidores, a hora de escolher um novo notebook envolve a decisão de comprar, ou não, uma versão que apresente placa de vídeo dedicada. Nesse sentido, há opções das fabricantes NVIDIA e AMD no mercado nacional, com uma com foco em diferentes públicos.

Polaris, Vega e Pascal: conheça as arquiteturas gráficas da AMD e Nvidia

A Nvidia, por exemplo, tem maior presença que a AMD e conta com placas que vão de modelos gamers poderosos até placas de entrada feitas para usuários com nível de exigência mais baixo. No comparativo abaixo, saiba qual marca leva vantagem na escolha de uma peça para notebook: Nvidia ou AMD.

Alto desempenho: Nvidia

GPUs gamers para notebooks da Nvidia são superiores às da AMD (Foto: Divulgação/Nvidia)GPUs gamers para notebooks da Nvidia são superiores às da AMD (Foto: Divulgação/Nvidia)

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

Em geral, as placas de alta performance da Nvidia são um pouco superiores porque equilibram melhor o desempenho com o consumo de energia, aspecto crucial de uma placa limitada pelo fornecimento de energia do notebook.

Essa realidade acaba se manifestando de forma decisiva no fato de que notebooks gamers disponíveis no Brasil contam apenas com placas de vídeo da Nvidia. Embora muitos deles estejam um pouco atrasados, com modelos de duas gerações atrás, como a Geforce GTX 860M.

É claro que comprar um notebook para jogos com uma placa tão antiga é uma decisão de compra que, em si, levanta uma série de questões. Entretanto, dada a ausência da AMD nessa faixa, a vitória entre modelos de alta performance recai sobre a Nvidia.

Placas intermediárias: empate

Placas da AMD, usadas pela Dell em notebooks Inspiron, têm boa performance (Foto: Divulgação/Dell)Placas da AMD, usadas pela Dell em notebooks Inspiron, têm boa performance (Foto: Divulgação/Dell)

O ponto mais interessante das placas de vídeo dedicadas para notebooks é o que cobre a faixa de preços de R$ 2.000 em diante, em que já é possível encontrar produtos com GPUs de entrada, como a Geforce GT 920M da Nvidia e a Radeon R5 M230 da AMD.

Essa faixa de mercado é muito interessante porque os preços são mais realistas em computadores que despertam o interesse do consumidor por oferecer acesso a entretenimento e poderio de processamento para softwares pesados alavancado pela presença de uma GPU, mesmo que o chip gráfico em questão nem seja tão poderoso.

O empate aqui é determinante porque, nesse espaço, a AMD consegue bastante representatividade. Os produtos da Advanced Micro Devices são os preferidos da Dell no atual ciclo de produtos da marca e marcam presença em alguns computadores da Lenovo também. Além disso, as GPUs intermediárias da AMD são as que equipam todos os atuais MacBooks Pro com placa de vídeo dedicada.

Oferta: Nvidia

MacBooks Pro atuais usam GPUs da AMD (Foto: Divulgação/Apple) (Foto: MacBooks Pro atuais usam GPUs da AMD (Foto: Divulgação/Apple))MacBooks Pro atuais usam GPUs da AMD (Foto: Divulgação/Apple)

Tanto a AMD como a Nvidia são bem representadas no mercado brasileiro em termos de notebooks. Há opções de modelos de grandes marcas que usam as duas, embora haja uma tendência em favor da AMD em produtos atuais da Dell, enquanto que Samsung, Acer e Asus usam modelos da Nvidia. A Lenovo tem modelos com placas das duas marcas, mas há mais opções com chips da Nvidia no momento.

A Nvidia sai na frente porque está associada a mais fabricantes. Embora a AMD seja representada por menos marcas, a companhia se beneficia do fato de que a Dell tem uma quantidade maior de notebooks equipados com suas placas Radeon R7.

Consumo: Nvidia

O consumo de energia é fundamental em termos de notebooks, já que nesse tipo de formato espera-se que o computador seja capaz de funcionar longe da tomada por períodos longos de tempo. Placas de vídeo dedicadas em laptops sempre são vilãs nesse sentido, já que o componente é desenvolvido para atingir alta performance de processamento e isso acaba sendo negativo para a autonomia.

Nos últimos anos, tanto AMD como Nvidia vêm desenvolvendo novos chips gráficos com menor apetite para diminuir o consumo de suas unidades. A AMD progrediu nesse campo, mas o fato é que as placas da Nvidia são, em geral, muito mais econômicas: os dispositivos se beneficiam de arquiteturas mais eficientes, esquentam menos e representam consumo menor.

Em números, uma GPU como a GT 940M, entre as mais comuns da Nvidia no mercado do Brasil (presente em notebooks da Asus, Lenovo e Samsung), tem TDP de 30 watts (número indica a quantidade de energia que a placa desperdiça na forma de calor; se desperdiça mais, ela gasta mais e é menos eficiente).

Sua concorrente direta é a Radeon R7 M265, usada pela Dell em diversos modelos Inspiron. A placa da AMD é sensivelmente mais lenta, mas mesmo assim gasta mais, com 35 watts de TDP. Se esse comparativo estivesse relacionando GPUs de desktop, a diferença de apenas 5 watts seria praticamente irrelevante, mas, em notebooks, qualquer gasto a mais pode comprometer a autonomia da máquina.

Preços: empate

Asus X555LF usa a Geforce 920M, uma das mais fáceis de achar no Brasil (Foto: Divulgação/Nvidia) (Foto: Asus X555LF usa a Geforce 920M, uma das mais fáceis de achar no Brasil (Foto: Divulgação/Nvidia))Asus X555LF usa a Geforce 920M, uma das mais fáceis de achar no Brasil (Foto: Divulgação/Nvidia)

É comum que a presença de uma placa de vídeo dedicada a bordo seja determinante para a decisão de compra. Entretanto, os preços não são tão afetados pelas placas. A partir do momento que o consumidor decide por investir em um notebook com uma GPU dedicada, a faixa de preço fica centrada em valores que começam em R$ 2.000 para computadores mais simples, equipados com a GT 920M, placa de entrada da Nvidia preferida pelos fabricantes em atuação no mercado brasileiro.

A partir daí, claro, os preço sobem bastante, mas são mais afetados pelo conjunto do produto do que pela existência de uma placa melhor: um aparelho com a 940M, placa superior, pode sair por R$ 3.000, mas nesse pacote, inevitavelmente, o usuário estará levando para casa mais memória RAM e, na maioria dos casos, processador melhor também.

O mesmo vale para as opções com AMD. No caso da Dell, a R7 M265 aparece em vários modelos Inspiron, mas sua presença não parece ser determinante no preço do computador, enquanto que processadores melhores, memória RAM e resolução de tela sim.

Como trocar a placa de vídeo do notebook? Comente no Fórum do TechTudo

Conclusão

A Nvidia tem alguma vantagem nessa análise porque está associada a mais fabricantes. Além disso, seus produtos são mais econômicos, algo fundamental em notebooks.

Na prática, a AMD marca presença em computadores da Dell, em poucos aparelhos da Lenovo, e é unanimidade nos MacBooks Pro atuais. Se você tem alguma preferência por qualquer um desses fabricantes, é importante conhecer mais sobre as Radeon para escolher a versão correta para as suas necessidades.

Quem não é fidelizado a nenhum fabricante, no entanto, deve tender a escolher a Nvidia. O consumo é peça chave, mas a sua participação maior no mercado significa que as placas da marca aparecem com maior frequência, seja no formato gamer, seja em unidades mais voltadas para o uso geral, focadas em entretenimento e em games menos exigentes, como as campeãs de preferência GT 920M e GT 940M.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.