Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

A Apple fez o lançamento do iPhone 7, sua nova geração de smartphones, nesta semana. Com o preço sugerido de US$ 649 (cerca de R$ 2.100, em conversão direta, sem taxas) nos Estados Unidos, o celular ainda não tem previsão de chegada ao Brasil. O novo iPhone chama atenção com a sua nova opção de cor, preto brilhante, e por não apresentar mais o conector pra fones de ouvido.

iPhone 7 ou Galaxy S7: veja comparativo de preço e ficha técnica

O celular concorrerá diretamente com o Moto Z, top de linha da Lenovo, hoje dona da Motorola. Assim como o iPhone 7, o Moto Z também não tem mais a entrada para fones de ouvido, mas vem com design modular que aceita a adição de alguns acessórios, como uma câmera melhor, caixa de som e até um projetor. O TechTudo fez o hands-on do celular da Apple e também testou o top de linha da Lenovo para te ajudar a decidir qual o melhor smartphone para o seu dia a dia. Acompanhe nossa análise.

iPhone 7 e Moto Z: veja comparativo de ficha técnica (Foto: Arte/TechTudo)iPhone 7 e Moto Z: veja comparativo de ficha técnica (Foto: Arte/TechTudo)

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

Design

O iPhone 7 não trouxe muitas mudanças visuais, mantendo assim o mesmo design adotado desde o iPhone 6. Porém, as faixas das antenas na parte traseira foram retiradas, o que deixou o design mais sóbrio. Além disso, nota-se a ausência do conector de 3,5 mm para os fones de ouvido. Assim, a única entrada presente nos novos iPhones é o conector Lighting.

Outro item que mudou após anos sem uma atualização foi o botão Home. Ele deixou de ser mecânico e agora responde aos toques do usuário. Assim os usuários poderão deixar de usar o Assistive Touch, aquele botão virtual que serve para substituir o Home Button quando ele quebrava.

Além das cores tradicionais dos iPhones – prateado, dourado e ouro rosa –, o iPhone 7 ganhou duas novas tonalidades de preto. Há agora o preto brilhante e o preto fosco.

Traseira do iPhone preto fosco. Além dele, consumidor poderá optar pelo preto brilhante (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)Traseira do iPhone preto fosco. Além dele, consumidor poderá optar pelo preto brilhante (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Já o Moto Z, por sua vez, apostou em um design totalmente diferente das gerações anteriores. Construído inteiramente em metal, as linhas estão mais retas, o aparelho está bem mais fino e também não há o conector para fones de ouvido. A única entrada que ele possui é uma porta USB-C.

Saiba todos os detalhes sobre o iPhone 7 no vídeo abaixo

Na traseira do celular da Lenovo, encontramos a câmera, que é bastante saltada e forma uma saliência que chama a atenção. Ainda na parte de trás do dispositivo, encontramos os 16 pinos que magnéticos que servem para conectar os Moto Snaps, os acessórios modulares compatíveis com o novo celular.

No quesito dimensões, ficamos assim: o iPhone 7 tem 138,3 x 67,1 x 7,1 milímetros, enquanto o Moto Z mede 153,3 x 75,3 x 5,19 mm. Portanto, o top de linha da Lenovo, apesar de ser maior e mais largo que o da Apple, é notadamente mais fino. Contudo, os Moto Snaps acabam contribuindo para uma espessura final maior, no Moto Z.

Tela

O iPhone 7 possui uma tela de 4,7 polegadas com resolução de 1334 x 750 pixels, totalizando 326 ppi. É o que a Apple chama de Tela Retina HD. O painel é um LCD IPS. Em outras palavras, não houve muitas mudanças na tela de uma geração para outra.

Qual será o preço do iPhone 7 no Brasil? Opine no Fórum do TechTudo.

Já o Moto Z, por sua vez, ostenta uma tela de 5,5'' com resolução Quad HD, ou seja, 2560 x 1440 pixels. Isso dá um total de 535 ppi (pixels por polegada). O painel utilizado é um Super AMOLED. Ambas as telas possuem proteção Gorilla Glass, da Corning.

Saiba mais sobre o Moto Z no vídeo abaixo

Devido à utilização de um painel Super AMOLED, o Moto Z acaba por apresentar cores mais saturadas e pretos mais profundos do que o iPhone 7.

Câmera

No quesito câmera principal, a Apple optou por manter os mesmos 12 megapixels da geração anterior. Mas isso não significa que a câmera é a mesma. A abertura agora é de f/1.8, o que permite uma maior entrada de luz e, assim, fotos mais nítidas. Ela também ganhou estabilização óptica de imagem (OIS), que deixa os vídeos menos tremidos e uma flash LED True Tone de quatro tons. Antes eram apenas dois.

Câmera do iPhone 7 tem 12 megapixels, com direito a estabilizador de imagem (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)Câmera do iPhone 7 tem 12 megapixels, com direito a estabilizador de imagem (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

O Moto Z conta com uma câmera traseira de 13 MP e cuja abertura também é de f/1.8. A Lenovo optou por usar a tecnologia de foco a laser, que permite focar objetos duas vezes mais rápido do que o autofoco tradicional. Ele também oferece o recurso de estabilização óptica de imagem (OIS) e um flash LED duplo, ou seja, com dois tons. Quanto às funções de gravação de vídeo, ambas as câmeras conseguem gravar na resolução 4K.

Falando agora da câmera frontal, o iPhone 7 traz uma melhoria em sua câmera dianteira. Agora ela tem sensor de 7 MP, grava em 1080p, tem flash Retina, abertura de f/2.2 e HDR automático. A câmera frontal do Moto Z é de 5 megapixels e também tem uma abertura de f/2.2. Porém, sua lente é uma grande angular, o que permite um maior ângulo na hora de tirar selfies. Ela também conta com um flash e um modo de embelezamento.

Especificações

Os dois aparelhos chegam com o sistema atualizado de fábrica. O iPhone 7 vem com iOS 10, e o Moto Z com o Android 6.0 Marshmallow, com atualização garantida para o Android 7.0 Nougat.

No que diz respeito ao hardware, a Apple incluiu o processador A10 Fusion, com quatro núcleos de processamento e seis núcleos gráficos. Ele trabalha com 2 GB de memória RAM.

iPhone 7 possui um ótimo conjunto de hardware (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)iPhone 7 possui um ótimo conjunto de hardware (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Dentre as opções de armazenamento, o iPhone mais básico começa com 32 GB, mas há modelos com 128 e 256 GB de espaço. Infelizmente, a Apple não deu maiores detalhes sobre a bateria, mas disse que ela dura 2 horas a mais que a do iPhone 6S. Além disso, ele possui um sensor Touch ID atualizado e dois speakers, tornando o áudio estéreo e mais potente.

Já o Moto Z ganha por um processador Qualcomm Snapdragon 820 quad-core de 1,8 GHz, trabalhando em conjunto com uma memória RAM de 4 GB. A GPU é uma Adreno 530. O celular tem armazenamento interno de 64 GB, com possibilidade de expansão via cartão microSD de até 256 GB.

Traseira do Moto Z tem conector para módulos adicionais, como de bateria extra ou projetor (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)Traseira do Moto Z tem conector para módulos adicionais, como de bateria extra ou projetor (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Ele também oferece um leitor de impressões digitais e a sua bateria é de 2.600 mAh. Se o usuário quiser mais energia, ele precisa comprar a bateria externa desenvolvida pela própria Motorola e que se conecta aos pinos magnéticos na traseira do celular. Além da bateria, há também caixa de som, câmera, capinhas e até um projetor.

Custo-benefício

Levando todos os aspectos deste comparativo em consideração, o iPhone 7 é para aqueles usuários que já estão acostumados com o ecossistema da Apple e gostam de ter as melhores tecnologias. O preço, logicamente, é bem alto, mas o aparelho é um dos melhores top de linha disponíveis no mercado. Contudo, é interessante avaliar se o iPhone 6S não é uma melhor opção, agora que seu preço teve uma queda de R$ 1 mil.

O Moto Z, por sua vez, apesar de ser mais barato, custando US$ 408 (cerca de R$ 1.600, em conversão direta), acaba por sair mais caro se o usuário quiser aproveitar os acessórios Moto Snaps, que não são baratos. Vale lembrar que nenhum dos smartphones chegou ao Brasil e seus preços tendem a ser maiores no mercado nacional.

Tabela Comparativa entre iPhone 7 e Moto Z (Foto: Arte/TechTudo)Tabela Comparativa entre iPhone 7 e Moto Z (Foto: Arte/TechTudo)

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.