O Oculus Rift diminuiu os requerimentos mínimos de hardware para funcionar, graças a uma nova técnica chamada de Asynchronous Spacewarp. A partir de agora, em vez de exigir, no mínimo, uma placa Geforce GTX 970, o headset "obriga" o usuário a usar uma GTX 960, pelo menos. A queda nas exigências garante que o computador faça menos esforço na hora de processar gráficos exibidos na tela do dispositivo, baixando o nível de hardware necessário.
Tudo sobre o Oculus Rift: preço, como comprar no Brasil e mais detalhes A técnica desenvolvida para o Oculus é uma evolução do sistema já usado anteriormente pelo dispositivo. Embora trate-se de um elemento técnico a respeito do funcionamento do headset, é possível compreender o Asynchronous Spacewarp como uma forma de reduzir a exigência sobre o computador e garantir qualidade suficiente de imagem nos óculos.
Nova técnica permite que o Oculus Rift seja mais econômico nas exigências de hardware (Foto: Divulgação/Oculus)
Aplicativo do TechTudo: receba as melhores dicas e últimas notícias no seu celular Para que o uso da realidade virtual seja confortável, é crucial que o aparelho exiba imagens a 90 quadros por segundo. A taxas inferiores, o usuário poderia sentir náuseas e dores de cabeça com facilidade. O problema é que a frequência de 90 quadros por segundo requer um nível de processamento bastante exigente. Na prática, o número aponta para uma carga de trabalho bastante elevada do hardware, já que os tais 90 quadros equivalem a 90 atualizações da imagem em um único seg...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.