Em 2003, a Motorola apresentava ao mundo a família Razr. O estreante foi o V3, que chegou às prateleiras em 2004 se tornou um sucesso de vendas. De lá para cá, a linha foi interrompida, retornou com novos aparelhos e hoje não é mais comercializada pela fabricante. No entanto, a série Razr continua por aí, disponível no varejo. A dúvida é: vale a pena comprar? É o que veremos a seguir.
Ainda vale a pena comprar um Galaxy Y? Confira análise
Lançado em 2011, Motorola Razr foi o primeiro na nova série (Foto: Divulgação)
Todos os oito integrantes da nova linha Razr, relançada em 2011 com o Motorola Razr, podem ser comprados com maior ou menor facilidade. Os mais baratos são o D1 e o D3, smartphones intermediários vendidos primeiramente no Brasil. O Razr D1 é encontrado em versões single e dual-chip, a partir de R$ 429. Ele traz como principais especificações processador de um núcleo de 1 GHz, 1 GB de RAM e 4 GB de armazenamento. Sua tela tem 3,5 polegadas e a câmera traseira, 5 megapixels. O aparelho roda o Android 4.1.2 (Jelly Bean) e, assim como o D3, recebeu atualização para o KitKat.
Motorola Razr D1 (Foto: Marlon Câmara/TechTudo)
O Moto E, por sua vez, tem tela de 4,3 polegadas, processador dual-core de 1,2 GHz e roda Android 4.4.4, sendo planejado para receber o Lollipop. Empatando em alguns quesitos e ganhando em outros, o aparelho sai a R$ 450, pouquíssimo acima do D1. Para quem não se importa em trocar de OS e fabricante, o Lumia 520 também e uma boa alternativa. Por R$ 300 é possível levar para casa ...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.