A robótica ganha cada vez mais espaço em escolas, cursos técnicos e universidades no Brasil. Equipes formadas por alunos do ensino público e privado conquistam prêmios em campeonatos internacionais e colocam em prática o que antes ficavam restrito às salas de aula. O interesse crescente pela área pode estar relacionado tanto às batalhas de robôs quanto a possibilidade de colocar a mão na massa para construir equipamentos de última geração.
O que são redes neurais e como elas podem revolucionar a robótica
A liga de robótica do Brasil, conhecida como RoboCore, reúne 548 grupos de todas as regiões do país. A maioria dos times já participa de competições e acumula supermáquinas em seus laboratórios. Atualmente, a número 1 do ranking é a RioBotz, equipe da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), que conta com 99 membros e 33 robôs. Em seguida, estão a ThundeRatz, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), de São Paulo, e a Uai!rrior, da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), Minas Gerais.
Robô da categoria combate criado por alunos da PUC-Rio (Foto: Isabela Giantomaso/TechTudo)
Aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no seu celular
Cada equipe tem autonomia e define o seu foco de trabalho, que pode ser desde a produção de robôs menores até modelos mais potentes, geralmente campeões em batalhas que mais lembram o famoso "UFC", torneio de artes marciais mistas. Para bancar todos os gastos, que variam de R$ 1 mil (um robô inseto), até US$ 40...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.