A empresa de segurança Check Point descobriu na quarta-feira (15) uma falha que coloca milhões de usuários do WhatsApp e Telegram em risco. O problema ocorreria unicamente nas versões que rodam no navegador. No entanto, os criadores do mensageiro russo acreditam que o Telegram está longe de sofrer a mesma vulnerabilidade que o rival e que o alarde foi maior que o necessário. Em nota, eles afirmam que o “o Telegram nunca teve esse erro”.
Spotify pode começar a restringir alguns discos a assinantes premiumEspecialistas descobriram que um truque — segundo a equipe da CheckPoint relativamente simples — poderia permitir que hackers enviassem códigos maliciosos escondidos em imagens ou vídeos enviados tanto no WhatsApp quanto no Telegram na versão Web. Os russos não negam que a falha exista, porém discordam o tamanho do risco que oferece para o usuário..
Telegram se defende de acusação de vulnerabilidade da Check Point (Foto: Divulgação/Telegram)
Para um hacker invadir uma conta de usuário do WhatsApp Web, bastaria enviar um vídeo/imagem/gif contaminado e esperar a vítima dar play. Segundo os desenvolvedores do Telegram, esse não seria o mesmo método de contaminação no mensageiro russo. Em vez de apenas dar play no vídeo/imagem/gif, o arquivo teria que ser reproduzido e, em seguida, aberto em nova aba no Chrome — e somente no navegador do Google. Qualquer outra forma de assistir ao conteúdo em qualquer outro navegador impediria o malware de ser executado no PC.
Saiba como usar o Telegram na versão Web “[O ataque...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.