Há mais de 40 anos, a Apple tem sido uma das principais fabricantes responsáveis por introduzir novas tecnologias ao mercado, ou retirar peças e entradas já ultrapassadas para dar lugar a técnicas atualizadas, como foi o caso do disquete em 1998. Entretanto, como na maioria das mudanças inesperadas, algumas novidades geraram desconfiança dos usuários e causaram polêmicas até que todos se adaptassem às alterações.
A seguir, confira sete casos em que a empresa da maçã fez barulho por conta das decisões em seus produtos, entre eles os populares iPhone 7, Macbook Air e o primeiro iPad. Apesar dos burburinhos causados por cada eletrônico, algumas das tecnologias adotadas superaram as polêmicas da época de lançamento e hoje se tornaram comuns em diversos aparelhos. Cinco coisas que o iOS do iPhone faz melhor que o Android
iPhone 7 chegou ao mercado sem entrada P2, apenas com o conector Lightning para fones e carga (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo) Aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no seu celular
1) iPhone 7 sem entrada P2 para fones de ouvido Em 2016, o principal lançamento da Apple gerou polêmica ao chegar sem a entrada P2, padrão em fones de ouvido. Sem a porta de 3,5 milímetros, o iPhone 7 passou a usar a saída Lightning tanto para carregar o celular como para conectar acessórios, o que impulsionou os aparelhos com tecnologia Bluetooth. Os AirPods, fones de ouvido wireless, chegaram com bateria de até cinco horas, integração com a Siri e sensores que identificam quando o acessório está na orelha. Mesmo com a novidade pronta para amenizar os burburinhos da mudança, o iPhone 7 ainda foi alvo de piadas por conta dos diversos adaptadores para conectar vários aparelhos ao mesmo tempo.
2) Macbook sem leitor para cartão SD
Macbook Pro 2016 perdeu o leitor de cartão SD; mudança preocupou fotógrafos que utilizam armazenamento (Foto: Divulgação/Apple) Outra polêmica com produtos da Apple no último ano foi motivada pelo Macbook Pro 2016. Lançado com telas de 15" e 13" e Touch Bar, o notebook perdeu o leitor de cartão SD porque, segundo o chefe de marketing da empresa, Phil Schiller, a entrada era "inconveniente" e os usuários têm a opção de usar adaptadores ou fazer transferências sem fio. Na época do lançamento, fotógrafos e profissionais que utilizam o SD no dia a dia se manifestaram afirmando que as transferências wireless ainda não são tão confiáveis, o que pode prejudicar o trabalho. Para resolver o problema, a Apple passou a vender um leitor de ...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.