O Facebook Spaces foi anunciado, e lançado, por Mark Zuckerberg, CEO da rede social, durante o evento f8 2017 — conferência do Facebook para desenvolvedores. Trata-se de uma plataforma de realidade virtual, ou “VR”, exclusiva para o dispositivo Oculus Rift e seu acessório Touch, que lhe serve como controle. Para usar, além de ter uma conta registrada no Facebook, é preciso ter estes aparelhos e também um computador compatível. Apesar de interessante, a novidade carece de mais atrações para valer o investimento. Entenda melhor no teste completo que fizemos da primeira versão VR da rede social para o público.
Facebook vs Snapchat: um resumo da guerra entre Stories e Snaps
O que é preciso para usar? Como citado, o Facebook Spaces é compatível com a combinação de dois aparelhos, além do computador: Oculus Rift e o controle Touch. Ainda não há versão para plataformas móveis ou para outros óculos de realidade virtual. Também é necessário estar conectado à Internet — uma boa rede — para utilizar, já que se trata de uma rede social, com interatividade e posts em tempo real.
Tela de entrada do Facebook Spaces (Foto: Reprodução/Felipe Vinha) Aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no seu celular Testamos o Facebook Spaces em um computador com Windows 10 atualizado, processador da linha AMD Octacore FX 8300, 8GB de memória e uma placa de vídeo Nvidia GTX 980. Para entender melhor, saiba que essa configuração é considerada “muito boa” para rodar jogos de PC com gráficos no máximo, principalmente por conta da placa de vídeo. Além disso, a máquina era um desktop, e não um notebook. Para utilizar o Oculus Rift em um computador portátil é preciso ter configuração similar, além de portas USB 3.0, o que poucos modelos populares de baixo custo possuem, atualmente.
Oculus Rift e o Touch, ao lado, necessários para entrar no Spaces (Foto: Felipe Vinha/TechTudo) As exigências são mais por conta do Oculus Rift do que pelo Facebook Spaces. A plataforma possui gráficos 3D até bem simples, mas o visor requer processamento extra e uma máquina capaz de rodar sem atrasos, o que pode exigir mais memória do que o normal, além de placa de vídeo potente.
Preços e limitações técnicas Uma máquina similar à utilizada durante o teste pode custar entre R$ 3,5 mil e R$ 4 mil, no Brasil. Além disso, o Oculus Rift com o Touch sai por US$ 600 na loja oficial, ou cerca de R$ 2 mil, de acordo com a cotação do dólar no momento em que o texto foi produzido. Em lojas n...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.