Em casos de ataque de ransomware — vírus que sequestra dados, devolvendo somente mediante pagamento — o Bitcoin é a moeda escolhida por hackers para receber o resgate e liberar o acesso de arquivos e dados roubados da vítima. A moeda virtual permite que os criminosos tenham quantas carteiras (repositório que armazena o dinheiro virtual) desejarem para receber o valor exigido, aproveitando um processo desenvolvido originalmente para preservar o seu anonimato.
O que é BitCoin? Quando você cria uma carteira de Bitcoin e transfere dinheiro para alguma outra pessoa por meio desse sistema, nenhum dado pessoal é compartilhado ou informações a respeito da transação sobrevivem para que seja investigada posteriormente pela polícia. Os únicos dados mantidos são registros públicos de transferência de Bitcoin da carteira ''A'' para a carteira ''B'' que, no entanto, podem estar sob pseudônimos.
Bitcoin é uma moeda virtual não rastreável (Foto: Divulgação/FISL) App do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no seu celular Um exemplo de ataque de ransonware recente é o WannaCrypt, que se alastrou pelo mundo e exigia o resgate de uma quantia de Bitcoins equivalente a US$ 300. Por meio do registro da transferência de valores da moeda virtual que especialistas foram capazes de somar o montante obtido com o WannaCrypt e chegar à quantia de US$ 50 mil. Já que bastava listar todas as carteiras usadas pelos criminosos e monitorar as transferências para somar o total. A partir disso, qualquer descoberta relacionada à identidade dos res...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.