Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

O Moto E2 é um celular básico da Motorola, lançado no Brasil lá em 2015, pelo preço sugerido de R$ 569. O modelo mais simples conta com memória RAM de 1 GB e armazenamento de 8 GB, além de existirem edições mais completas, com 4G e TV Digital. Quase dois anos depois, o telefone já não aparece mais na loja virtual da Motorola, mas ainda é vendido em outros sites de e-commerce. O Moto E de 2ª Geração também aparece com frequência em encartes de jornais como uma opção para quem procura um smartphone barato.

Contudo, em meio a muitos lançamentos recentes na mesma faixa de preço, inclusive da própria Motorola, será que vale a pena comprar o telefone em 2017? Para responder à pergunta, analisamos a ficha técnica do celular. Veja, a seguir, três pontos positivos e três negativos sobre o Moto E de 2015.

Moto E 2 foi lançado em 2015; veja vantagens e desvantagens na compra do celular  (Foto: Carol Danelli/TechTudo)Moto E 2 foi lançado em 2015; veja vantagens e desvantagens na compra do celular  (Foto: Carol Danelli/TechTudo)

Moto E 2 foi lançado em 2015; veja vantagens e desvantagens na compra do celular (Foto: Carol Danelli/TechTudo)

PONTOS POSITIVOS

1. Android 6

O Moto E2 sai de fábrica com o Android 5.0 Lollipop, mas tem atualização para a versão subsequente do sistema. Apesar de não ser o mais novo, o Android Marshmallow ainda é usado por vários celulares top de linha. O Samsung Galaxy S7 vinculado a algumas operadoras, por exemplo, ainda não foi atualizado para o Android 7. A principal vantagem disso é que, ao menos por enquanto, os usuários podem contar com algumas melhorias de segurança.

Além disso, só a partir do Android 6 o software oferece o controle de permissões de apps para evitar que programas mal-intencionados usem a câmera e outros recursos do celular sem a anuência do usuário.

Moto E2 tem atualização para o Android 6.0 Marshmallow (Foto: Divulgação/Motorola)Moto E2 tem atualização para o Android 6.0 Marshmallow (Foto: Divulgação/Motorola)

Moto E2 tem atualização para o Android 6.0 Marshmallow (Foto: Divulgação/Motorola)

2. Design compacto

O Moto E2 tem tela de 4,5 polegadas, tamanho considerado pequeno para os padrões atuais. Com um display menor do que o do iPhone 7, o celular tem medidas ideais para quem não quer um aparelho grande e pesado no bolso. O smartphone mede 129,9 mm de altura e 66,8 mm de largura, menos que o Moto G4 Play, também da Motorola.

O dispositivo é espesso, com 12,3 mm, cerca de 50% a mais do que o concorrente LG K10. No entanto, as outras dimensões modestas tornam o Moto E 2015 fácil de segurar e usar com uma só mão.

Moto E 2ª geração é compacto, mas perde para concorrentes na espessura (Foto: Carol Danelli/TechTudo)Moto E 2ª geração é compacto, mas perde para concorrentes na espessura (Foto: Carol Danelli/TechTudo)

Moto E 2ª geração é compacto, mas perde para concorrentes na espessura (Foto: Carol Danelli/TechTudo)

Aplicativo do TechTudo: receba as melhores dicas e últimas notícias no seu celular

3. Personalização

Um dos destaques do review do Moto E2 realizado pelo TechTudo foi o design. Apesar de estar entre os mais baratos do mercado, o celular tem um visual que agradava há dois anos, principalmente por causa da parte traseira. A tampa é removível e pode ser trocada por peças de cores diferentes para personalizar o celular, parecido com o Moto G Colors de primeira geração, que fez muito sucesso no Brasil.

PONTOS NEGATIVOS

1. Processador e memória

O Moto E2 é vendido no Brasil em duas versões com processador e armazenamento diferentes. O mais barato tem memória RAM de 1 GB e 8 GB de espaço interno (desses, só cerca de 5 GB disponíveis). Além disso, o processador é o Snapdragon 200, o mais básico da Qualcomm. Com uma ficha técnica tão modesta, o Moto E2 mais barato tende a abrir apps e jogos com dificuldade.

A tela do Moto E 2015 tem 1 GB de memória RAM (Foto: Carol Danelli/TechTudo)A tela do Moto E 2015 tem 1 GB de memória RAM (Foto: Carol Danelli/TechTudo)

A tela do Moto E 2015 tem 1 GB de memória RAM (Foto: Carol Danelli/TechTudo)

As especificações são tão simples que passam a ser consideradas uma categoria à parte pelo Google. A empresa anunciou recentemente o Android Go, uma versão modificada do sistema feita para rodar melhor em celulares com pouca memória e poder de processamento. Como o Moto E2 não tem essa variante do software, o comprador de um modelo assim não pode esperar grande desempenho no uso cotidiano.

2. Câmera

No lançamento em 2015, o conjunto de câmeras do Moto E2 foi o principal ponto negativo do aparelho. A câmera principal tem apenas 5 megapixels, e não traz flash ou tecnologias de foco e estabilização presentes em modelos novos. As fotos saem borradas e com baixa qualidade quando não há iluminação ideal. Na parte frontal é ainda pior: o smartphone conta com um sensor VGA, que captura selfies com baixíssimo detalhamento.

A câmera traseira do Moto E 2015 ainda não tem flash (Foto: Carol Danelli/TechTudo)A câmera traseira do Moto E 2015 ainda não tem flash (Foto: Carol Danelli/TechTudo)

A câmera traseira do Moto E 2015 ainda não tem flash (Foto: Carol Danelli/TechTudo)

3. Concorrência de peso

Quando chegou ao mercado, o Moto E2 ofereceu um bom custo-benefício para quem procurava por celulares baratos. Mas, dois anos depois, a situação muda por conta dos vários concorrentes na mesma faixa de preço. O LG X Power oferece mais bateria por cerca de R$ 550, o Galaxy J5 Metal traz acabamento metálico por R$ 700, e o Moto G4 Play tem mais desempenho por R$ 630, aproximadamente.

Qual é o melhor celular barato para comprar em 2017? Descubra no Fórum do TechTudo.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.