Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

O LG G5 SE foi lançado para ser uma versão menos potente e mais barata do LG G5. Quando o celular chegou ao Brasil, em junho de 2016, a promessa não se cumpriu: custando R$ 3.499, o aparelho desembarcou com preço maior do que o iPhone SE de 64 GB. Hoje, porém, o smartphone da LG é vendido por aproximadamente R$ 1.800 – uma queda de quase R$ 1.700, portanto.

A grande queda no preço coloca o telefone com design modular em um novo cenário, onde disputa espaço com intermediários. Além disso, a ficha técnica tem especificações de top de linha, incluindo câmera dupla na traseira, o que provoca a dúvida: vale a pena comprar hoje o LG G5 SE, um celular capado de um ano atrás? Veja os pontos positivos e negativos do aparelho na análise abaixo.

Primeiras impressões do LG G5 SE, um

Primeiras impressões do LG G5 SE, um "Special Edition" que chegou ao Brasil com processador mais fraco

PONTOS POSITIVOS

1. Tela de alta resolução

Considerado nem tão grande e nem pequeno, o display do LG G5 SE tem 5,3 polegadas e resolução Quad HD (2560 x 1440 pixels). A densidade da tela é de 554 pixels por polegada, quase a mesma do modelo atual da Samsung, o Galaxy S8, com seus 570 ppi, e superior a de concorrentes na mesma faixa de preço, como o Zenfone 3 de 5,5 polegadas (401 ppi).

Em termos práticos, o alto índice de ppi indica imagens bastante nítidas e detalhadas. O brilho máximo de tela de 850 nits também atua a favor, reduzindo reflexos em ambientes com muita luz. Há ainda um recurso chamado Display Always On, que, quando ativado, mantém infrormações como data, hora e assinatura sempre ligadas na tela.

LG G5 SE tem tela de 5,3LG G5 SE tem tela de 5,3

LG G5 SE tem tela de 5,3" com resolução Quad HD (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

2. Muitas câmeras

O conjunto de três câmeras é um dos pontos fortes do LG G5 SE. Além da frontal, o celular conta com duas câmeras (dual camera) na traseira: uma com sensor de 16 megapixels e outra com 8 MP. A de maior resolução tem abertura de f/1.8, enquanto a de 8 megapixels traz lente grande angular de f/2.4, registrando imagens em até 135 graus.

O componente principal possui flash de LED, foco a laser, estabilização óptica OIS e grava vídeos em 4K, características próprias dos tops de linha. Para aumentar ainda mais a pegada de celular-câmera-fotográfica, a LG incluiu um modo manual ao aplicativo da câmera, o que permite ao usuário controlar ISO, balanço de branco e profundidade de campo. O resultado são fotos com aparência mais profissional, com boa nitidez tanto de dia quanto à noite.

Conjunto com três câmeras é um dos destaques do LG G5 SE  (Foto: Luciana Maline/TechTudo)Conjunto com três câmeras é um dos destaques do LG G5 SE  (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

Conjunto com três câmeras é um dos destaques do LG G5 SE (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

A câmera frontal também traz especificações avançadas. O sensor tem 8 megapixels e a lente tem abertura de f/2.0, com capacidade de gravação de vídeos em Full HD (1080p) a 30 fps. Como já virou padrão no mundo dos smartphones, o dispositivo traz função especial para selfies: basta abrir e fechar a mão na frente da câmera para que, em três segundos, a captura seja feita.

3. Armazenamento

O LG G5 SE tem armazenamento de 32 GB. O espaço interno é bom, mas facilmente encontrado em intermediários como o Moto G5 e o Vibe K6 Plus, da Lenovo.

O que chama atenção no celular da LG é a capacidade de expansão, pois o aparelho suporta microSD de até 2 TB – o que não existe, ao menos no Brasil, mas a LG gosta de bater nessa tecla. Para efeito comparativo, Moto G5, Vibe K6 Plus e mesmo o Galaxy S8 são compatíveis com cartões de no máximo 256 GB. Comprar o G5 SE pode significar não ter que se preocupar com espaço nunca, desde que o usuário adquira também um cartão de memória.

LG G5 SE aceita cartão de memória de até 2 TB (Foto: Luciana Maline/TechTudo)LG G5 SE aceita cartão de memória de até 2 TB (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

LG G5 SE aceita cartão de memória de até 2 TB (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

PONTOS NEGATIVOS

1. Processador inferior ao G5 gringo

O principal downgrade do G5 SE em relação ao G5 original está no processamento. O modelo que chegou ao Brasil possui com o Snapdragon 652, que tem oito núcleos, quatro rodando a 1,8 GHz e quatro a 1,2 GHz. Já a versão americana ganhou o quad-core Snapdragon 820, com dois núcleos de 2,15 GHz e dois de 1,6 GHz.

Não é só na velocidade da CPU que o Snapdragon 820 é mais avançado. Sua tecnologia de memória é a LPDDR4, por exemplo, enquanto o Snapdragon 652 conta com a geração anterior, LPDDR3. O processador do G5 original também possui suporte nativo a displays 4K a 60 fps, ao passo que o chip do G5 SE suporta apenas telas QHD.

Considerando todas as características, o desempenho do G5 SE tende a ser pior do que o do G5 original. Testes de desempenho feitos no AnTuTu Benchmark, em abril do ano passado, mostraram o Snapdragon 820 com uma vantagem de 58.390 pontos em relação ao Snapdragon 652, pontuação que o colocou 10 posições à frente do irmão de linha da Qualcomm.

Snapdragon 820, processador original do G5, tem desempenho melhor que chip do G5 SE  (Foto: Divulgação/AnTuTu)Snapdragon 820, processador original do G5, tem desempenho melhor que chip do G5 SE  (Foto: Divulgação/AnTuTu)

Snapdragon 820, processador original do G5, tem desempenho melhor que chip do G5 SE (Foto: Divulgação/AnTuTu)

A memória RAM também foi reduzida no smartphone nacional, passando de 4 GB para 3 GB. Somando isso ao processador inferior, não é difícil concluir que o G5 SE terá maior dificuldade do que o G5 estrangeiro ao executar tarefas, especialmente aplicativos pesados e jogos.

2. Design frágil

O design modular foi a grande aposta da LG para o G5 e G5 SE, mas a novidade não agradou – tanto que a fórmula foi abandonada no sucessor LG G6. Com preços elevados, os acessórios extras acabaram não tendo o desempenho de vendas esperado, além de receberem muitas críticas por serem difíceis de encaixar e retirar.

Aposta da LG, design modular do G5 e G5 SE não agradou público  (Foto: Luciana Maline/TechTudo)Aposta da LG, design modular do G5 e G5 SE não agradou público  (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

Aposta da LG, design modular do G5 e G5 SE não agradou público (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

Além disso, o TechTudo constatou que a tintura do aparelho sai com facilidade, especialmente nas bordas. Assim, o atrativo do acabamento nas cores dourado, prateado, titânio e ouro rosa não tem tanto apelo, já que em pouco tempo o celular pode ficar com aparência de velho.

3. Bateria

A bateria de 2.800 mAh é a mesma presente no G5 original, mas existe um downgrade em relação às gerações anteriores da linha da LG. Os G2, G3 e G4 vinham com um componente de 3.000 mAh, tendência que se observa nos modelos com tela acima de 5 polegadas – especialmente sendo QHD. O resultado é uma autonomia menor, problema acentuado para quem usa o celular para jogos.

A bateria é removível, o que torna a questão menos grave, já que o dono sempre pode ter uma peça extra consigo. Só que a solução não é atrativa para a maior parte dos usuários: a bateria original é cara (mais de R$ 100), não tão fácil de encontrar e difícil de trocar, como atestou o hands-on do TechTudo.

Qual o melhor celular: Moto Z ou LG G5 SE? Comente no Fórum do TechTudo.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.