O iPhone X é exatamente aquilo que esperávamos: um supercelular que unifica tecnologias e inovações existentes em outros modelos. Dessa vez a Apple fez o dever de casa ao apresentar na terça-feira (12) o smartphone com visual bastante diferente do que estamos acostumados a ver no iPhone 8, iPhone 7 e mesmo iPhone 6. Ele é apontado por analistas como o “smartphone do futuro” que chega ao mercado por um preço mais alto – inclusive no Brasil, pois a Apple dá como certo o desembarque dele no país “até o fim do ano”.
Vídeo traz os lançamentos da Apple em 12 de setembro: iPhone X, iPhone 8 e iPhone 8 Plus iPhone 7 fica R$ 300 mais barato no Brasil após lançamento dos iPhone 8 e X Logo de cara, o iPhone X chama a atenção pela falta do tradicional botão inicial (carinhosamente chamado de Home) e pelo recorte preto na área superior do display. Os engenheiros da Apple certamente tiveram que repensar a interação do usuário com o telefone, visto que dois componentes essenciais de modelos anteriores saem de cena com o novo produto. O leitor de impressões digitais e o Touch ID dão lugar ao reconhecimento facial e ao Face ID. A Apple diz que o celular “sabe quem você é” só de olhar para a tela, e na sequência realiza o desbloqueio. A promessa é essa, mas faltou combinar com o próprio celular, que apresentou dificuldade de reconhecer um executivo durante a demonstração no palco do evento.
iPhone X na tela de ajustes do Face ID (Foto: Thássius Veloso/TechTudo) Apesar do soluço, o supercelular mostra-se esperto na leitura das informações do rosto. Funciona da seguinte maneira: a tela de bloqueio exibe um ícone de cadeado que permanece fechado enquanto a identidade do usuário não é confirmada, mas que se abre quando o Face ID detectou que está diante do proprietário do telefone. O procedimento de tirar o iPhone X do bolso e trazer para o alcance do rosto leva poucos instantes, e imediatamente ele libera o acesso aos aplicativos e funções do smartphone. Alguns entusiastas da tecnologia expressaram preocupação com a hipótese de ter de trazer o celular para mais perto dos olhos, na tentativa de fazer o desbloqueio. Não é bem por aí: a distância natural que as pessoas estão acostumadas, na hora de manusear o iPhone, é suficiente para este reconhecimento de rosto.
Câmera traseira dupla do iPhone X (Foto: Thássius Veloso/TechTudo) A tecnologia é rápida e mais precisa do que o Touch ID, de acordo com a Apple. Não há necessidade de colocar o iPhone X exatamente diante dos olhos, co...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.