Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.
email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Economia. Essa palavra mágica faz com que muita gente recorra a produtos usados para comprar os eletrônicos que sempre quis ter, mas não cabem no orçamento em versões de primeira mão. Com as caixas Bluetooth não é diferente. Marcas como Beats, JBL e Ultimate Ears, que costumam vender speakers um pouco mais caros, ou até mesmo as mais difíceis de encontrar no Brasil, como a Xiaomi, podem ser comprados em sites de leilão ou redes sociais por preços muito mais baixos e, por isso, alguns usuários acabam tentados a assumir o risco.

Mas é preciso estar atento. Falsificações, golpes e defeitos omitidos não são assim tão raros. Por isso, quem opta por esse tipo de transação deve tomar cuidados para não acabar levando prejuízo. Reunimos, abaixo, algumas dicas sobre as vantagens e as precauções que se deve tomar nessa empreitada e podemos ajudar a tornar sua aquisição mais segura; confira.

Caixa Bluetooth usada; veja se vale a pena (Foto: João Gabriel Balbi/TechTudo)Caixa Bluetooth usada; veja se vale a pena (Foto: João Gabriel Balbi/TechTudo)

Caixa Bluetooth usada; veja se vale a pena (Foto: João Gabriel Balbi/TechTudo)

Preços mais baixos podem ser vantagem

No site oficial ou em lojas do varejo online, uma Beats Pill +, da Apple, custa entre R$ 1.044 e R$ 1.099. Ao buscar por produtos de segunda mão, entretanto, esse valor cai drasticamente, chegando aos R$ 600, R$ 450 e, em alguns casos, é possível encontrá-la na casa dos R$ 300.

O mesmo acontece com a JBL Charge 2 Plus, que, apesar de já não estar tão disponível, é comumente vendida na faixa dos R$ 800 quando novas. Não é preciso uma busca muito aprofundada, entretanto, para se deparar com valores como R$ 399 em sites de leilão. Sua companheira de marca, JBL Charge 3, que sai a R$ 999 no site oficial, também pode ser comprada nas mãos de outros usuários e, em alguns casos, cai para os R$ 500.

Caixas da JBL podem ter preço reduzido  (Foto:  Luciana Maline/TechTudo)Caixas da JBL podem ter preço reduzido  (Foto:  Luciana Maline/TechTudo)

Caixas da JBL podem ter preço reduzido (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

É interessante notar que nem sempre compensa pagar mais barato. Em alguns casos, se a pessoa estiver desatenta, pode acabar caindo na página de vendedores mal intensionados. Se o valor tiver sido reduzido de maneira muito brusca e a caixa não estiver tão longe de seu ano de lançamento, por exemplo, desconfie.

Cuidados necessários

Verifique a legitimidade do produto

Esse é um dos principais pontos para quem vai comprar um speaker de um revendedor não-oficial. É muito comum que perfis mal intencionadas anunciem réplicas muito baratas como isca para quem procura o produto original. A JBL e a Beats, principalmente, são alvos desse tipo de falsificação com certa frequência.

O TechTudo já trouxe algumas dicas para reconhecer speakers não-originais. Comparar as especificações técnicas com as do site oficial, ficar atento a detalhes estranhos nas embalagens, e verificar se o acabamento está em perfeito estado estão entre elas. Também vale procurar todos os detalhes da descrição do produto para se garantir de que, em momento algum, o vendedor cite palavras como "réplica", "similar", dentre outras. Assim, caso seja necessário, você estará mais seguro para alegar que a caixinha entregue não é, de fato, aquela prometida.

Verificar embalagens pode ajudar a identificar falsificações (Foto: Raquel Freire/TechTudo)Verificar embalagens pode ajudar a identificar falsificações (Foto: Raquel Freire/TechTudo)

Verificar embalagens pode ajudar a identificar falsificações (Foto: Raquel Freire/TechTudo)

Busque sites que garantam segurança

Alguns sites que vendem usados contam com sistema de compra segura. Assim, caso o usuário não receba o produto prometido ou caso ele contenha qualquer defeito não especificado previamente, o comprador pode contestar a aquisição e conseguir o dinheiro de volta.

Outra dica importante é priorizar páginas que permitam que outros compradores que já fizeram negócio com o anunciante deixem comentários e notas para suas transações. Dessa forma, fica mais fácil conhecer a reputação de quem está do outro lado da tela e decidir se vale o risco ou não. Aliás, ficar de olho na reputação do vendedor é uma das dicas mais imprescindíveis. Se ele acumular muitas reclamações ou notas baixas, pode ser melhor desistir.

Procure conhecer o produto que está comprando

Não é só a reputação do vendedor que importa na hora de comprar uma caixa Bluetooth usada. Conhecer a fabricante também é muito importante. Marcas como Beats, JBL e Ultimate Ears, por exemplo, costumam oferecer produtos de boa durabilidade e que, por isso, podem estar mais aptos a pertencer a mais de uma pessoa antes da obsolescência.

Talvez não valha a pena comprar em segunda mão caixas já muito antigas e que não sejam condizentes com as tecnologias disponíveis hoje. Além disso, alguns modelos que já saem da fábrica com preços muito baixos, acabamento insatisfatório e especificações limitadas podem garantir um tempo de vida útil menor do que o esperado.

Produtos Beats podem garantir maior tempo de vida (Foto: Divulgação/Apple)Produtos Beats podem garantir maior tempo de vida (Foto: Divulgação/Apple)

Produtos Beats podem garantir maior tempo de vida (Foto: Divulgação/Apple)

Sempre que possível, teste

Principalmente se estiver comprando de uma pessoa conhecida ou que viva na mesma cidade que você, pode ser interessante testar o speaker antes de se decidir pela compra. Verifique se todas as peças ainda são originais. Veja se a conexão Bluetooth apresenta algum defeito. Certifique-se de que os alto-falantes não apresentam ruídos e têm capacidade compatível com aquelas prometidas pela fabricante.

Caso o aparelho tenha algum problema, tenha certeza de que consegue repará-lo sem prejuízo ou que ele não fará diferença durante o uso. Mas fique atento: qualquer sinal de mau desempenho pode indicar descaso por parte do dono anterior e significar que imperfeições mais sérias estão a caminho.

Conclusão

Caixas Bluetooth são produtos mais sensíveis e passíveis de falsificação do que notebooks, por exemplo. Por isso, sempre que for possível comprá-las em primeira mão, opte fazer dessa maneira. Mas se você quer economizar, não é de todo uma má ideia investir em produtos usados, basta lembrar de seguir todas as dicas acima para aumentar as chances de não cair em uma armadilha. Verifique ainda a possibilidade de comprar versões novas de produtos mais baratos. Marcas como Sony e Philips, por exemplo, podem ser uma boa solução.

Vale a pena comprar caixa de som Bluetooth? Comente no Fórum do TechTudo

Caixa de som Bluetooth: cinco dicas para usar melhor

Caixa de som Bluetooth: cinco dicas para usar melhor

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.