Consumidores americanos entraram na Justiça contra a Apple por causa do desempenho mais lento verificado em celulares da marca. Nesta semana, a Apple admitiu que diversas gerações do iPhone receberam uma atualização de software que limita o desempenho do smartphone. Os aparelhos afetados são:
iPhone 6 (lançado em 2014)
iPhone 6S (lançado em 2015)
iPhone SE (lançado em 2016)
iPhone 7 (lançado em 2016)
A lentidão das operações foi percebida por usuários do fórum online Reddit e confirmada por testes de benchmark feitos por desenvolvedores do aplicativo Geekbench, especializado em avaliar a performance de celulares. A fabricante alega que a medida é necessária para evitar que aparelhos com muito tempo de uso possam ser danificados devido ao desgaste natural da bateria e a velocidade pode ser restaurada trocando o componente por um novo.
iPhone 7: a gente foi aos Estados Unidos acompanhar o lançamento do smartphone, em 2016
Moto G5S e Galaxy J7 Prime são os celulares mais buscados no Natal de 2017
iPhone 8 em teste, direto da Califórnia: Apple faz repeteco de smartphones anteriores
iPhone 8 Plus conquista posto de celular mais rápido em benchmark do AnTuTu
Entenda a limitação A limitação do desempenho foi descoberta por usuários do Reddit, que perceberam que a velocidade do CPU, que costumava ser de cerca de 1.400 MHz no iPhone 6, 1.848 MHz no iPhone 6S e 2.350 MHz no iPhone 7, sofrera uma queda repentina, fazendo com que os modelos deixassem de operar com capacidade total. A variação, em seguida, foi confirmada pelo desenvolvedor John Poole, do Geekbench. Ele monitorou a performance do telefone por meses e registrou a queda após as atualizações para o iOS 10.2.1 ou 11.2.0. A partir deste momento, a velocidade do CPU pasou a atingir picos de no máximo 600 MHz.
Gráficos indicam redução da capacidade de iPhones antigos (Foto: Reprodução/Geekbench) Em nota ao site The Verge, a Apple confirmou que estas versões do sistema operacional traziam aplicativos específicos que forçavam a queda do desempenho. Isto ocorre, segundo a desenvolvedora, por que as baterias de íon de lítio perdem qualidade com o passar do tempo e se tornam incapazes de fornecer a energia necessária para manter o smartphone operando com eficiência máxima, o que forçava o sistema a desligar automaticamente para evitar danos aos componentes. A empresa afirmou também que não descarta expandir o recurso para modelos mais recentes do iPhone. “No ano passado, nós lançamos um recurso p...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.