Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.
email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Processadores Ryzen da AMD podem ter novas brechas de segurança, segundo uma pesquisa de especialistas da CTS-Labs revelada nesta terça-feira (13). De acordo com o estudo, as falhas permitem que invasores tomem o controle do computador e instalem malwares na máquina do usuário. As vulnerabilidades foram separadas em quatro tipos de ataque: Masterkey, Ryzenfall, Fallout e Chimera.

O problema estaria no AMD Secure Processor, incluso no interior de Ryzens de todos os tipos e faixas de preço. A fabricante de CPUs defende que ainda investiga os resultados e que não foi avisada da pesquisa em tempo hábil.

Total de 13 falhas se dividem em quatro ataques diferentes e afetam Ryzens de todos os tipos e preços (Foto: Divulgação/AMD)Total de 13 falhas se dividem em quatro ataques diferentes e afetam Ryzens de todos os tipos e preços (Foto: Divulgação/AMD)

Total de 13 falhas se dividem em quatro ataques diferentes e afetam Ryzens de todos os tipos e preços (Foto: Divulgação/AMD)

Até 13 falhas diferentes

De acordo com os resultados do estudo, os processadores da AMD estariam sujeitos a até 13 falhas diferentes. O invasor poderia explorar as vulnerabilidades para ganhar acesso irrestrito ao PC – com a possibilidade de interceptar dados e forçar a instalação de malwares agressivos no computador.

Em todos os casos, para funcionar, o hacker precisa ter acesso ao computador, além de executar um programa malicioso com privilégios de administrador. Os dois fatores, portanto, tornam impossível a exploração das brechas de forma remota.

Processadores da AMD têm novas falhas de segurança, revela estudo (Foto: Divulgação/AMD)Processadores da AMD têm novas falhas de segurança, revela estudo (Foto: Divulgação/AMD)

Processadores da AMD têm novas falhas de segurança, revela estudo (Foto: Divulgação/AMD)

O que é MD Secure Processor?

O AMD Secure Processor é um recurso incluso nos processadores Advanced Micro Devices. Seu objetivo é rodar instruções sensíveis de forma isolada do restante do sistema – assim, a função criaria um ambiente protegido para impedir o roubo de informações. Entretanto, de acordo com a pesquisa, o AMD Secure Processor pode ser corrompido para executar malwares e outros softwares nocivos.

O que diz a AMD?

Em nota oficial, a AMD justifica que está investigando os resultados do estudo. Apesar disso, a fabricante afirma que desconhece a CTS-Labs: “nós achamos incomum para uma empresa de segurança publicar sua pesquisa na imprensa sem dar uma quantidade razoável de tempo para que a entidade afetada possa investigar e corrigir as falhas”.

A AMD explica que só foi avisada da pesquisa na véspera de sua divulgação na imprensa. Segundo a companhia, o comum é dar, no mínimo, 90 dias para que as partes envolvidas possam investigar os resultados e realizar correções. A prática de alertar previamente poderia ajudar fabricantes a corrigirem os problemas e, assim, diminuir a chance de que hackers explorem as vulnerabilidades.

Para fins de comparação, AMD e Intel souberam das falhas Meltdown e Spectre ainda em junho de 2017 – ou seja, as empresas tiveram mais de seis meses para trabalhar nas correções.

Qual é o melhor processador: Intel ou AMD? Comente no Fórum do TechTudo.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.