Processadores Ryzen da AMD podem ter novas brechas de segurança, segundo uma pesquisa de especialistas da CTS-Labs revelada nesta terça-feira (13). De acordo com o estudo, as falhas permitem que invasores tomem o controle do computador e instalem malwares na máquina do usuário. As vulnerabilidades foram separadas em quatro tipos de ataque: Masterkey, Ryzenfall, Fallout e Chimera.

O problema estaria no AMD Secure Processor, incluso no interior de Ryzens de todos os tipos e faixas de preço. A fabricante de CPUs defende que ainda investiga os resultados e que não foi avisada da pesquisa em tempo hábil.

Total de 13 falhas se dividem em quatro ataques diferentes e afetam Ryzens de todos os tipos e preços (Foto: Divulgação/AMD)

Total de 13 falhas se dividem em quatro ataques diferentes e afetam Ryzens de todos os tipos e preços (Foto: Divulgação/AMD)

Até 13 falhas diferentes

De acordo com os resultados do estudo, os processadores da AMD estariam sujeitos a até 13 falhas diferentes. O invasor poderia explorar as vulnerabilidades para ganhar acesso irrestrito ao PC – com a possibilidade de interceptar dados e forçar a instalação de malwares agressivos no computador.

Em todos os casos, para funcionar, o hacker precisa ter acesso ao computador, além de executar um programa malicioso com privilégios de administrador. Os dois fatores, portanto, tornam impossível a exploração das brechas de forma remota.

... div class="content-media__container">
Processadores da AMD têm novas falhas de segurança, revela estudo (Foto: Divulgação/AMD)

Processadores da AMD têm novas falhas de segurança, revela estudo (Foto: Divulgação/AMD)

O que é MD Secure Processor?

O AMD Secure Processor é um recurso incluso nos processadores Advanced Micro Devices. Seu objetivo é rodar instruções sensíveis de forma isolada do restante do sistema – assim, a função criaria um ambiente protegido para impedir o roubo de informações. Entretanto, de acordo com a pesquisa, o AMD Secure Processor pode ser corrompido para executar malwares e outros softwares nocivos.

O que diz a AMD?

Em nota oficial, a AMD justifica que está investigando os resultados do estudo. Apesar disso, a fabricante afirma que desconhece a CTS-Labs: “nós achamos incomum para uma empresa de segurança publicar sua pesquisa na imprensa sem dar uma quantidade razoável de tempo para que a entidade afetada possa investigar e corrigir as falhas”.

A AMD explica que só foi avisada da pesquisa na véspera de sua divulgação na imprensa. Segundo a companhia, o comum é dar, no mínimo, 90 dias para que as partes envolvidas possam investigar os resultados e realizar correções. A prática de alertar previamente poderia ajudar fabricantes a corrigirem os problemas e, assim, diminuir a chance de que hackers explorem as vulnerabilidades.

Para fins de comparação, AMD e Intel souberam das falhas Meltdown e Spectre ainda em junho de 2017 – ou seja, as empresas tiveram mais de seis meses para trabalhar nas correções.

Qual é o melhor processador: Intel ou AMD? Comente no Fórum do TechTudo.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.