Gadget é uma palavra estrangeira muito presente no vocabulário do brasileiro que vem sendo usada para designar dispositivos eletrônicos portáteis de maneira genérica. Smartphones, tablets, notebooks, HDs externos, carregadores portáteis: todos eles fazem parte do universo definido por esse vocábulo de (possível) origem francesa.

A tradução do termo para o português, no entanto, pode desglamourizá-lo um pouco: significa algo como bugiganga ou engenhoca. Descubra a seguir onde surgiu, qual o real significado e o que pode ser considerado gadget ou não.

Entenda o que são gadgets (Foto: Reprodução/PlayStation Blog)

Entenda o que são gadgets (Foto: Reprodução/PlayStation Blog)

Significado

A origem da palavra gadget é incerta e tem diferentes versões. Há quem diga que seja derivada do termo francês gachette, que era aplicado a várias peças de um mecanismo de disparo. Já segundo o dicionário Oxford, há evidências de que, desde meados do século XIX, o vocábulo era usado pelos marinheiros de língua inglesa para citar um item técnico sobre o qual não sabiam ou não lembravam o nome.

Independentemente de onde ou como tenha surgido, o termo gadget parece sempre ter sido utilizado para tratar objetos de forma genérica. Atualmente, é definido pelo dicionário Oxford como “um pequeno dispositivo ou ferramenta mecânica ou eletrônica; especialmente engenhosa ou nova”.

Então, quais aparelhos são considerados gadgets?

De acordo com a definição acima, não é sequer necessário que o dispositivo seja eletrônico para ser considerado um gadget. No entanto, na área da tecnologia, costuma-se aplicar a palavra a aparelhos eletrôn

... icos portáteis, como smartphones, tablets, notebooks, GPS, HD externo, câmeras, smartwatches, óculos de realidade virtual, entre outros. Não há, entretanto, uma lista ou especificação “oficial” do que se enquadra ou não como um gadget.
Smartphones e notebooks são considerados gadgets (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo)

Smartphones e notebooks são considerados gadgets (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo)

Na indústria de softwares o termo é usado para nomear programas que oferecem múltiplos serviços executados e gerenciados em um mesmo ambiente, em a necessidade de um aplicativo independente para cada um. O termo é muito comum nas plataformas de edição em sites e blogs, designando o recurso que permite adicionar funções extras a um layout pronto, como integração com redes sociais ou com a pesquisa do Google, sem a necessidade de saber programar.

Gadget ou widget?

Seja pela sonoridade similar ou mesmo pelo uso do termo aplicado no universo dos softwares, é comum que as pessoas confundam gadget com widget. Esse último, no entanto, é um elemento de interface gráfica que facilita a interação do usuário com aplicativos e softwares em geral. Pode ser uma janela, botão, menu, ícone, entre outros.

Tela de widgets do Android (Foto: Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Tela de widgets do Android (Foto: Foto: Reprodução/Raquel Freire)

A palavra ficou mais conhecida após a popularização dos smartphones, uma vez que as aplicações instaladas nos aparelhos costumam oferecer essas opções. Um exemplo deles é a barra de buscas do Google, ou mesmo o relógio, que muitos usam na tela inicial. Acredita-se que o termo “widget” tenha surgido da junção das palavras gadget e window (janela, em inglês).

Qual a melhor concorrente da GoPro? Saiba no Fórum do TechTudo



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.