Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.
email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

O BraiBook é o primeiro e-reader em braile do mundo. O aparelho, que faz tradução automática de conteúdo escrito para pessoas cegas, é um dos cinco finalistas do concurso Chivas Venture, evento de inovação e tecnologia sustentável que acontece em Amsterdã, na Holanda. Com um design simples e intuitivo, ele lê livros e transforma em linguagem de braile e em áudio automaticamente, sem necessidade de nenhum aplicativo. O dispositivo pode ser comprador por 395 euros (cerca de R$ 1,6 mil, em conversão direta) no site oficial do BraiBook.

Detalhe do BraiBook, o primeiro e-reader em braile do mundo  (Foto: Divulgação)Detalhe do BraiBook, o primeiro e-reader em braile do mundo  (Foto: Divulgação)

Detalhe do BraiBook, o primeiro e-reader em braile do mundo (Foto: Divulgação)

Ao apresentar o e-reader, Erik Sicart, gerente de desenvolvimento do projeto, mostra as dificuldades que hoje são enfrentadas por alguém que precisa ler um livro em braile. No exemplo, ele usa um livro da série Harry Potter, de cerca de 600 páginas. Logo abaixo, está sua versão em braile: um encadernado de 6 kg, com algo em torno de 4 mil páginas.

A ideia do BraiBook é simplificar essa leitura em outro nível. O dispositivo, com cerca de 100 gramas, precisa só que o usuário o segure e coloque o dedo na sua extremidade. Pequenos pontinhos vão se alternando para dentro e para fora, na linguagem do braile, passando o conteúdo do livro. Ao mesmo tempo, o usuário pode ouvir o texto sendo falado com um fone de ouvido.

Erik Sicart, gerente de desenvolvimento do BraiBook (Foto: Marlon Câmara/TechTudo)Erik Sicart, gerente de desenvolvimento do BraiBook (Foto: Marlon Câmara/TechTudo)

Erik Sicart, gerente de desenvolvimento do BraiBook (Foto: Marlon Câmara/TechTudo)

O dispositivo tem um funcionamento bem simples, já que basta ter um livro no formato pdf, ePub ou txt no seu computador, ligar o cabo USB (ou usar o Bluetooth), copiar e colar o texto e esperar o aparelho fazer a conversão para braile. O BraiBook guarda até 4 mil livros em sua memória.

O produto, apesar do alto preço, é disponibilizado gratuitamente em algumas escolas para cegos e instituições voltadas para pessoas com a deficiência. No Chivas Venture, ele tem a oportunidade de ganhar US$ 1 milhão (cerca de R$ 4,26 milhões) nesta quinta-feira (24), o que vai ajudar a alavancar o produto.

* O jornalista viajou à Amsterdã a convite da Chivas

Como usar iPhone e outro celular sendo deficiente visual? Comente no Fórum do TechTudo.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.