A paiN Gaming deu mais uma prova de seu crescimento no DotA 2 nesta quinta-feira (24). Bater novamente, desta vez num duelo melhor de 3 (MD3), a Team Liquid, atual campeã mundial da modalidade, na ESL One: Birmingham, os brasileiros garantiram a vaga para os playoffs da competição.

Em grande atuação da equipe majoritariamente brasileira, com destaque para Danylo "Kingrd" Nascimento e Heitor "Duster" Pereira, a paiN começou mal a partida e foi presa fácil no primeiro jogo. Na sequência, porém, o time demonstrou paciência no domínio das rotas e foi mais contundente nas team fights para fechar o duelo em dois a um.

Nesta quarta-feira (23), a paiN Gaming, em duelo melhor de um (MD1), já havia derrotado os campeões do The International 2017 na estreia, mas acabou vencida pela OG e precisou novamente enfrentar a Liquid, que havia derrotado a Vici Gaming na chave dos perdedores, para garantir a segunda vaga do grupo B e avançar às quartas-de-final.

paiN Gaming derrotou a Team Liquid novamente para chegar aos playoffs da ESL One: Birmingham (Foto: Divulgação/ESL)

paiN Gaming derrotou a Team Liquid novamente para chegar aos playoffs da ESL One: Birmingham (Foto: Divulgação/ESL)

No primeiro jogo do duelo, em grande atuação de Ame "Miracle" Al-Barkawi e seu Invoker, a Team Liquid foi completamente dominante no controle das lanes e, principalmente, das team fights. Com os jogadores da paiN sendo pegos de surpresa em diversos momentos no mapa, o time europeu nos primeiros 20 minutos de jogo já tinha uma impressionante vantagem de 11 mil em ouro e um placar de

... 27 a 10 nos abates, fechando com facilidade o primeiro confronto.

A segunda partida foi marcada pelo grande equilíbrio no early game e com uma pequena vantagem da Liquid no acúmulo de ouro e nos abates. Desta vez, contudo, a paiN não cometeu os mesmos erros do primeiro duelo e dava pouca margem para os europeus dispararem na partida. Com paciência, a equipe brasileira começou a virar o jogo a partir dos 20 minutos, expandindo seu controle pelo mapa.

Aos 37 minutos de jogo, após uma double kill do romeno Omar "w33" Aliwi, a paiN, que eliminou quatro dos cinco jogadores da Liquid sem perder nenhum integrante, já tinha uma vantagem de 44 a 32 nos abates e mais de 8 mil em ouro, partindo finalmente para fechar o game e igualar a partida.

Team Liquid foi novamente surpreendida no duelo contra paiN e está fora da ESL One: Birmingham (Foto: Divulgação/ESL)

Team Liquid foi novamente surpreendida no duelo contra paiN e está fora da ESL One: Birmingham (Foto: Divulgação/ESL)

No terceiro e desisivo confronto, a Liquid novamente teve um começo melhor, chegando a abrir uma vantagem de 7 a 1 nos abates e 3 mil em ouro já nos primeiros minutos do confronto, e parecia partir para uma vitória fácil. No mid game, no entanto, a paiN iniciou uma bela reação, impulsionada pelas kills conquistadas por William "hFn" Medeiros e sua Templar Assassin.

Aos 17 minutos de jogo, a paiN, que até então tinha uma desvantagem de 17 a 14 abates e prejuízo de 2 mil em ouro, surpreendeu a Liquid em uma team fight pela rota do meio. Em menos de 30 segundos, a equipe brasileira varreu todos os europeus do mapa sem nenhuma perda, conquistando, de quebra, uma vantagem de 3 mil em ouro e assumindo o controle do jogo a partir dali.

Um dos grandes destaques da partida, Duster brilhou pela paiN no duelo contra a Team Liquid (Foto: Divulgação/ESL)

Um dos grandes destaques da partida, Duster brilhou pela paiN no duelo contra a Team Liquid (Foto: Divulgação/ESL)

Aos 29 minutos de jogo, os brasileiros finalmente partiram para fechar o jogo. Com mais de 10 mil de ouro sobre os europeus e levando a melhor nos abates (30 a 23), a equipe, mais uma vez, eliminou todos os jogadores da Liquid e garantiu a vaga nos playoffs. Nas quartas-de-final, a paiN enfrenta o time da Mineski, atual campeã do DotA 2 Asia Championship.

A ESL One: Birmingham, que faz parte do circuito Major de DotA 2, distribuirá US$ 1 milhão (R$ 3,7 milhões) em premiação e 1500 pontos no Dota Pro Circuit (DPC). A equipe vencedora leva para casa US$ 500 mil (R$ 1,85 milhão) e 750 pontos no DPC.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.