A Gigabyte GA-H61M-S1 é uma placa-mãe para processadores da Intel lançada em 2011 e que ainda está disponível para comprar no Brasil. Encontrado por preços abaixo dos R$ 300, o modelo tem compatibilidade restrita a processadores das arquiteturas Sandy e Ivy Bridge da Intel.

Além disso, o componente funciona com DDR3, padrão mais antigo para memórias RAM, mas, em contrapartida, ainda garante compatibilidade com as placas de vídeo mais recentes do mercado . Descubra abaixo o que funciona na placa e saiba se ela ainda é uma boa opção para você.

Placa da Gigabyte está limitada a antigos processadores da Intel de 2011 a 2012 (Foto: Divulgação/Gigabyte)

Placa da Gigabyte está limitada a antigos processadores da Intel de 2011 a 2012 (Foto: Divulgação/Gigabyte)

Processadores

A GA-H61M-S1 não é exatamente uma placa-mãe recente. Portanto, sinais da idade do produto podem ser facilmente identificados pelo suporte dado a processadores. Compatível com CPUs da Intel, a placa da Gigabyte aceita processadores com soquete LGA 1155. O padrão é usado por processadores de segunda e terceira gerações da Intel nas séries Core i3, i5 e i7 (existem alguns Pentium e Celeron com o mesmo encaixe, mas a contagem de gerações e arquiteturas é diferente).

Essas famílias também podem ser chamadas pelo nome das arquiteturas: Sandy Bridge e Ivy Bridge, respectivamente. Os processadores de segunda geração foram lançados pela fabricante em 2011. A terceira geração, ou Ivy Bri

... dge, desembarcou no ano seguinte. Atualmente, é difícil encontrar esses processadores em primeira mão.

Placas de vídeo

Solitário slot PCIe x16 da placa pode receber mesmo as placas de vídeo mais poderosas da atualidade (Foto: Divulgação/Gigabyte)

Solitário slot PCIe x16 da placa pode receber mesmo as placas de vídeo mais poderosas da atualidade (Foto: Divulgação/Gigabyte)

A GA-H61M-S1 tem um slot PCIe x16 de terceira geração, o que significa compatibilidade com qualquer placa de vídeo PCIe da última década sem problemas de velocidade, por exemplo.

A placa-mãe também conta com saída de vídeo própria, o que significa que é possível usar a GPU integrada dos processadores da Intel caso uma placa de vídeo dedicada não seja necessária para o seu sistema.

Memória RAM e Armazenamento

Relativamente antiga, a placa da Gigabyte é de um tempo em que o DDR4 não existia. Por conta disso, a única opção que o consumidor tem é instalar pentes de memória DDR3, padrões mais lentos que o atual.

O modelo soma dois slots para RAM e é possível instalar um total de 16 GB no sistema. A placa trabalha com DDR3 de até 2.200 MHz e deve reconhecer todas as faixas inferiores de velocidade: 1.333, 1.066 e 800 MHz.

Em relação à conectividade com unidades de armazenamento, a placa conta com interfaces SATA de 3 Gb/s. Ao todo são quatro portas do tipo, algo que equivale a dizer que é possível instalar quatro HDs ou SSDs SATA na placa da Gigabyte.

Placas e outros periféricos

A placa tem saída VGA e D-Sub para quem dispensar a placa de vídeo dedicada (Foto: Divulgação/Gigabyte)

A placa tem saída VGA e D-Sub para quem dispensar a placa de vídeo dedicada (Foto: Divulgação/Gigabyte)

Assim como não deve apresentar problema algum com GPUs PCIe, a placa-mãe da Gigabyte deve funcionar normalmente com expansões de mesmo padrão que usem o conector x1, já que são dois slots do tipo na placa. Esses espaços funcionam via PCIe 2.0, o que pode causar certa restrição caso a placa de expansão que você deseja usar seja PCIe 3.0.

Qual placa mãe é melhor? Comente no Fórum do TechTudo



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.