Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.
email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Aqui no TechTudo sempre buscamos mostrar os acessórios com melhor custo-benefício para quem curte games. Mas desta vez vamos fazer diferente e listar justamente os maiores sonhos de consumo atuais (alguns inalcançáveis, outros nem tanto) de qualquer jogador. Tem acessório exclusivo para PC, mas também tem para os donos de PS4 e Xbox One.

Projetor em 4K que parece móvel, mouse sem fio que não usa bateria, simuladores de corrida ultrarrealistas e até uma mesa de centro que serve como controle de videogame. Tudo isso pode ser adquirido, desde que pagando muito bem. Confira abaixo a listas dos acessórios gamers mais caros da atualidade.

Motion Simulator TL3 — R$ 225 mil

Motion Simulator TL3 é um simulador de corridas dos mais avançados (Foto: Divulgação/Motion Simulator)Motion Simulator TL3 é um simulador de corridas dos mais avançados (Foto: Divulgação/Motion Simulator)

Motion Simulator TL3 é um simulador de corridas dos mais avançados (Foto: Divulgação/Motion Simulator)

Há muitos cockpits de simuladores de corrida por aí, mas poucos podem se gabar de serem tão imersivos quanto o TL3 da empresa britânica Motion Simulator. O cockpit lembra muito os arcades mais modernos, que ficam em uma espécie de cápsula com monitores em tela curva. Embaixo do banco é onde a brincadeira acontece, com um sistema avançado de motores que simula fielmente cada movimento do carro na pista. O TL3 é vendido por 44.995 libras esterlinas (algo em torno de R$ 225 mil).

VRX Pro Flight — a partir de R$ 235.266

VRX Pro Flight é o mais perfeito simulador de avião (Foto: Divulgação/VRX)VRX Pro Flight é o mais perfeito simulador de avião (Foto: Divulgação/VRX)

VRX Pro Flight é o mais perfeito simulador de avião (Foto: Divulgação/VRX)

A empresa canadense VRX tem uma longa história em montar simuladores super-realistas para carros de corrida e, recentemente, ela entrou também no mercado de simuladores de aviação.

O Pro Flight já vem de fábrica com tudo o que é necessário: CPU de ponta, controles em forma de manche, painéis de navegação funcionais, som surround e um banco ergonômico ideal para longas jogatinas. E há ainda opção de escolher entre usar um ou mais monitores ou partir logo para os óculos de realidade virtual HTC Vive Pro. Toda essa brincadeira obviamente tem um preço: a partir de US$ 59.990 (cerca de R$ 235.266).

Workstation MWE Lab Emperor — a partir de R$ 26.370

MWE Lab Emperor: conforto que custa caro (Foto: Reprodução/Facebook)MWE Lab Emperor: conforto que custa caro (Foto: Reprodução/Facebook)

MWE Lab Emperor: conforto que custa caro (Foto: Reprodução/Facebook)

Ficar muito tempo em frente ao computador pode causar diversos problemas com a postura e até causar lesões. Pensando nisso, a empresa canadense MWE Lab criou a Emperor, um produto que parece ter vindo dos filmes de ficção científica. A Emperor consiste em uma cadeira reclinável composta de suportes para monitores, teclado, mouse e até apoiador de copo.

No site da empresa é possível montar várias especificações, inclusive com opção de áudio surround com caixas da Bose e aquecedor para o banco. Lógico que, com tudo isso à disposição, o preço é bem salgado: varia de US$ 6,720 (cerca de R$ 26.370) até US$ 10.315 (ou R$ 40.480).

Cadeira LF Gaming Stealth Extreme — R$ 6.240

Cadeira Gamer LF Gaming Stealth Extreme (Foto: Divulgação/LF Gaming)Cadeira Gamer LF Gaming Stealth Extreme (Foto: Divulgação/LF Gaming)

Cadeira Gamer LF Gaming Stealth Extreme (Foto: Divulgação/LF Gaming)

Se o negócio é investir em uma cadeira gamer normal, a opção mais cara é a Stealth Extreme da LF Gaming. De acordo com a empresa, a cadeira oferece o maior conforto possível para longas jogatinas. Inclusive, ela conta com a tecnologia Therma-Guard, que evita que a cadeira esquente com o tempo e cause desconforto ao usuário.

Mesmo assim, seu preço (US$ 1.595, ou cerca de R$ 6.240) parece alto demais pelo que oferece. Quem quiser adquirir uma, é possível encomendar pelo site oficial da marca.

Projetor Sony LSPX-A1 — R$ 117 mil

Sony LSPX-A1 projeta imagens em 4K (Foto: Divulgação/Sony)Sony LSPX-A1 projeta imagens em 4K (Foto: Divulgação/Sony)

Sony LSPX-A1 projeta imagens em 4K (Foto: Divulgação/Sony)

Todo mundo sabe que para aproveitar ao máximo o PS4 Pro ou o Xbox One X é preciso contar com um display 4K. Mas quem quer imagens ainda maiores do que os modelos disponíveis atualmente pode contar com o projetor LSPX-A1 da Sony. Com resolução 4K e suporte a HDR, o aparelho é capaz de projetar imagens de até 120 polegadas com potência de brilho de até 2.500 lumens. Além disso, ele conta com quatro falantes que reproduzem, segundo a empresa, um som em 360 graus.

O que chama atenção de fato é seu exterior, que lembra mais um móvel de luxo do que um eletrônico. Por conta disso, seu preço não é nada modesto: US$ 30 mil (algo em torno de R$ 117 mil). Por enquanto, ele só pode ser adquirido via importação.

Headset SteelSeries Arctis Pro Wireless — R$ 1.299

SteelSeries Arctis Pro Wireless vem com uma bateria extra (Foto: Divulgação/SteelSeries)SteelSeries Arctis Pro Wireless vem com uma bateria extra (Foto: Divulgação/SteelSeries)

SteelSeries Arctis Pro Wireless vem com uma bateria extra (Foto: Divulgação/SteelSeries)

A marca dinamarquesa SteelSeries é conhecida por fazer produtos caros e de qualidade, mas o Arctis Pro Wireless leva essa filosofia para muito além. Com especificações dignas de um fone de alta fidelidade, o headset oferece saída de áudio lossless e suporte à tecnologia DTS Headphone:X v2.0, que permite sons em 360 graus ainda mais realistas.

Além disso tudo, o que justifica seu preço (US$ 330, cerca de R$ 1.299) é o fato dele ser sem fio e contar com dois tipos de conexão wireless: Bluetooth e 2.4 GHz. Ou seja, com o headset é possível ouvir música ou atender ao celular ao mesmo tempo em que joga. Sua bateria tem duração de até dez horas, mas ele vem com duas unidades, sendo que uma pode ser carregada no próprio transmissor wireless.

O transmissor, aliás, é também um controle intuitivo do headset, permitindo alterar o volume, equalizar o som, balancear o áudio do chat e acessar as opções do Bluetooth. O SteelSeries Arctis Pro Wireless por enquanto não é vendido oficialmente no Brasil.

Razer Wolverine Ultimate — R$ 699

Controle Wolverine Ultimate foi pensando para jogadores profissionais (Foto: Divulgação/Razer)Controle Wolverine Ultimate foi pensando para jogadores profissionais (Foto: Divulgação/Razer)

Controle Wolverine Ultimate foi pensando para jogadores profissionais (Foto: Divulgação/Razer)

Um controle com fio que custa o dobro da concorrência parece até brincadeira, mas na verdade é fácil entender o porquê do preço. Pensado no público profissional, o Razer Wolverine Ultimate é um dos controles para Xbox One mais customizáveis que existe. Além de permitir a troca dos direcionais analógicos e digitais, ainda é possível personalizar praticamente tudo (desde remapear os botões do controle até alterar a sensibilidade dos direcionais) usando o programa Synapse, disponível para PC e Xbox One.

Fora isso, o Wolverine Ultimate ainda vem com funções extras que permitem a troca rápida das configurações do controle, ligar o microfone e mudar o volume do áudio. Ele ainda conta com seis botões extras customizáveis. O controle é vendido oficialmente no Brasil pela Razer com preço sugerido de R$ 699.

Razer Mamba HyperFlux — R$ 1.499

Mamba HyperFlux é mouse sem fios ou baterias (Foto: Divulgação/Razer)Mamba HyperFlux é mouse sem fios ou baterias (Foto: Divulgação/Razer)

Mamba HyperFlux é mouse sem fios ou baterias (Foto: Divulgação/Razer)

Outro produto premium da Razer é o mouse Mamba HyperFlux, mas o valor alto também se justifica. Segundo a empresa, ele é o único mouse sem fio do mundo que funciona sem bateria. Isso acontece por causa da tecnologia HyperFlux, que transmite energia ao mouse por meio de um mousepad especial que fica conectado ao PC.

Com isso, o mouse é leve e tem uma boa taxa de respostas tal qual os dispositivos com fio. O Mamba HyperFlux também conta com o sistema Chroma de retroiluminação personalizável da Razer. O mouse é vendido no Brasil com preço sugerido de R$ 1.499.

Controle de NES e mesa de centro — R$ 44.400

Mesa de centro e controle de NES ao mesmo tempo (Foto: Divulgação/Charles Lushear)Mesa de centro e controle de NES ao mesmo tempo (Foto: Divulgação/Charles Lushear)

Mesa de centro e controle de NES ao mesmo tempo (Foto: Divulgação/Charles Lushear)

Há diversos motivos para um controle custar caro. Nesse caso, comprando uma mesa de centro de madeira você leva ainda um controle de NES gigante e funcional. A obra é do artista norte-americano Charles Lushear, que também vende uma versão funcional do controle de Super Nintendo, que assim como a versão 8-bits, conta com um cabo USB para conectar a um dispositivo.

Para quem quer ter uma dessas belezinhas em casa, a notícia boa é que ele aceita encomendas para o Brasil. O contato é feito por meio de sua página no Etsy.

Star Wars: Battle Pod - a partir de R$ 136 mil

Esse último não é exatamente um acessório, mas literalmente um arcade que pode ser levado para casa. O Star Wars Battle Pod foi lançado em 2015 pela Bandai Namco e é um fliperama dos mais avançados, com tela curva, som 5.1, cadeira que vibra e até jatos de ar que dão mais imersão ao game.

O diferencial é que a empresa decidiu que qualquer pessoa poderia comprar um desses e abriu uma seção de vendas em seu site. Pela bagatela de US$ 35 mil (ou R$ 136,7 mil), é possível reviver as batalhas mais emocionantes da trilogia clássica da franquia no conforto da sua sala.

E o fã mais exigente ainda pode contar com a versão premium, que vem com duas envelopagens diferentes para escolher (uma da Aliança Rebelde e a outra do Império Galático), bancos de couro, carpete exclusivo e uma placa com seu nome gravado. O preço: US$ 100 mil (cerca de R$ 390,5 mil). Infelizmente, o produto atualmente está fora de estoque.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.