Há quase exatamente um ano – mais precisamente em dois de janeiro passado – iniciei uma série de colunas sobre o Bitcoin. E, à medida que as sucessivas colunas eram publicadas e eu era obrigado a garimpar mais dados para me inteirar do assunto, mais coisas interessantes surgiam, o que ensejava a publicação de mais colunas que por sua vez demandavam mais pesquisas. Por isso a série foi se alongando tanto que, em sua derradeira coluna, escrevi: “Esta série sobre o sistema Bitcoin deveria ter sido bem mais curta. Porém, quanto mais eu escarafunchava o tema garimpando informações para escrevê-la, mais fatos interessantes, surpreendentes e fascinantes afloravam, o que a encompridou significativamente. E mais: com as coisas no pé em que estão, se eu continuar a escarafunchar, mais detalhes interessantes aparecerão, ela se tornará infindável e eu vou acabar virando um “colunista de bitcoin”. Então, decidi encerrá-la por aqui”.
Notícias e Opiniões E dei os trâmites por findos com minha opinião sobre o futuro do sistema Bitcoin. Que, acreditava eu, sobreviveria à crise que então enfrentava. Quem teve a pachorra de ler a série toda talvez esteja se perguntando a quantas andará, hoje, o sistema Bitcoin. Mas antes, para aqueles que não tomaram conhecimento do assunto, um breve resumo do que vem a ser o sistema Bitcoin e por que seu futuro suscitava dúvidas.
Figura 1: Bitcoin (Ilustração de B. Piropo com base no símbolo obtido na Wikipedia)
De forma muito resumida, pode-se dizer que Bitcoin é um engenhosíssimo sistema de pagamento através da Internet. Foi idealizado e implementado usando software livre (“open source”) em 2008 por uma misteriosa figura que dizia se chamar Satoshi Nakamoto, que jamais veio a público e apenas se manifestava através de eventuais mensagens postadas no sítio da Bitcoin Foundation até desaparecer completamente sem que jamais fosse efetivamente comprovada sua existência. Mas, voltando ao bitcoin: há quem o considere uma “moeda virtual” embora efetivamente não seja uma moeda, já que não tem existência física. Os bitcoins (daqui para a frente adotaremos uma convenção: “Bitcoin”, com inicial maiúscula, se refere ao sistema enquanto “bitcoin”, com inicial minúscula, à “moeda”) não são emitidos por qualquer autoridade monetária. As novas “moedas” entram em circulação através de um engenhosíssimo sistema de “mineração” (“mining”) que usa um software especialmente desenvolvido rodando em computadores poderosíssimos. Des...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.