Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Notebook esquentando muito é uma fonte constante de preocupação para os usuários, conforme os relatos do Fórum do TechTudo mostram. Apesar de existirem diversos fatores que contribuem para um laptop aquecendo demais, é possível criar estratégias para tentar contornar o problema.

Além disso, um PC menos quente significa menor consumo de energia e pode ser um fator importante para prolongar a vida útil do equipamento. Nas linhas a seguir, o TechTudo reúne dicas de software e hardware para diminuir a temperatura do computador e deixar seu uso mais confortável.

Cinco dicas importantes antes de comprar um notebook

Cinco dicas importantes antes de comprar um notebook

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Como corrigir via software

Verifique o que faz seu computador esquentar

No sistema operacional, é possível mapear os processos que o notebook executa e observar as terefas que são mais pesadas. Assim, o usuário pode identificar o que está sobrecarregando o computador, ou seja, o que está forçando o processador a esquentar demais.

No Windows, é possível verificar por meio do Gerenciador de Tarefas. Abra o serviço ao apertar "Ctrl + Shift + Esc" no teclado, ao mesmo tempo. Expanda a visão para “Mostrar Detalhes” e, na aba “Detalhes”, clique na coluna “CPU” para ordenar os processos de acordo com o que eles pesam no processador. Na aba “Processos”, você pode fazer o mesmo procedimento, tendo uma visão mais gráfica do que acontece.

Na imagem acima, observe que o serviço de caça de malwares do Windows estava exigindo mais. No seu computador, você pode usar essa dica para mapear qual software faz a máquina trabalhar pesado como forma de isolar um culpado pela alta temperatura.

Observe as informações por um tempo até que você consiga identificar algum padrão. Se encontrar um processo fora do normal, pesquise sobre o programa que está causando sobrecarga para descobrir se há problemas associados com o seu uso, ou mesmo se você pode removê-lo.

No Linux, é possível usar os monitores de sistema que acompanham as diferentes distribuições para o mesmo controle.

Placa de vídeo dedicada? Tente usar sempre a placa integrada

Placas de vídeo GeForce, da Nvidia, e Radeon, da AMD, trazem como benefício a maior performance gráfica. No entanto, os modelos também podem provocar superaquecimento porque usam bastante energia para funcionar.

Entretanto, a placa gráfica dedicada não precisa ser usada o tempo todo. Para navegar na Internet, editar documentos do Office e realizar tarefas simples, a GPU integrada do computador – aquela, mais simples, que acompanha o processador – é mais do que o suficiente. O melhor de tudo é que ela gasta muito menos energia e, em consequência, produz bem menos calor.

No Windows, seus drivers devem ser inteligentes o suficiente para saber quando é hora de acordar a placa de vídeo dedicada e quando é melhor ir com a GPU nativa. Na dúvida, você pode conferir nos apps controladores das placas qual está em ação e definir políticas para forçar uma ou outra.

No Linux, o processo é mais manual, mas nem por isso difícil de ser conduzido em notebooks com placas da Nvidia.

Sacrifique a performance

Outra correção que você pode tentar é limitar a performance do seu processador nas configurações de energia do sistema. Dessa forma, você terá menos performance – já que a CPU estará proibida de chegar a velocidades mais altas – mas também terá menor consumo de energia (o que pode ser interessante para a sua bateria) e menos calor.

Atualize seu sistema, BIOS e drivers

Outra forma de combater o calor é com as atualizações de sistema e de drivers. Mas, talvez ainda mais importante, sejam as de BIOS.

O controle de temperatura, com monitoramento por sensores espalhados pela placa-mãe do notebook e o regime de acionamento da ventoinha, por exemplo, são tarefas da BIOS. É frequente que algum problema de superaquecimento seja causado por bugs nesse componente, que são corrigidos por atualizações. Como nem sempre as fabricantes são bem-sucedidas em divulgar os updates, é interessante dar uma olhada na página de suporte do laptop e conferir se ele já está rodando com a versão mais recente ou não.

Enquanto está buscando uma nova BIOS, você pode aproveitar e checar drivers que podem ter relação com o controle térmico. Drivers da Intel de chipsets, inclusive com o sugestivo Thermal Framework (“Estrutura Térmica”, em tradução livre), são sempre bem-vindos.

Realize undervolting

Se você sabe o que é overclocking, agora pense exatamente no contrário: o undervolting. O processo é capaz de fornecer menos energia ao processador como forma de causar diminuição da velocidade, e também de consumo e de calor.

Não são todos os processadores que se beneficiam da prática e os resultados variam muito de caso para caso, exatamente como no overclock. Por isso, o usuário precisa ter paciência e muita atenção com o que está fazendo.

Em situações extremas, o undervolting pode levar a uma diminuição expressiva na casa da dezena de graus Celsius em temperatura – que é um número alto, ao considerar o espaço confinado e de baixa circulação de ar dos laptops

Como corrigir via hardware

Nas sugestões anteriores, observamos métodos que visam identificar e corrigir o problema do calor por meio de software, ferramentas de sistema e configurações que beneficiam a economia de energia e menor geração de calor. Agora, neste tópico, confira dicas sobre o que fazer com o hardware do seu notebook. É importante ressaltar que alguns procedimentos são difíceis de serem realizados por iniciantes, por isso é recomendável procurar ajuda profissional.

Troque a pasta térmica

A pasta térmica é um composto químico que serve para criar uma camada homogênea de conexão entre a tampa do processador e um heatpipe (a estrutura de cobre que conduz o calor até a ventoinha do laptop). O componente está sujeito a desgaste e, quando resseca, perde a eficiência com o tempo. Além disso, para começo de conversa, fabricantes tendem a economizar e usar pastas de qualidade duvidável em seus computadores.

No mercado, há uma grande quantidade de pastas de alta qualidade e que podem derrubar a temperatura do computador em margens que podem passar dos 10° Celsius em casos extremos. Saiba como escolher a melhor pasta para o seu bolso e necessidade.

Ao comprar pastas, fique atento à procedência do composto e dê preferência às opções que não usam metais em sua composição. Embora pastas de teor metálico tenham melhor performance, o metal pode ter comportamento corrosivo em alguns casos e também pode causar curto-circuito em aplicações desastradas. Vale citar que o material é pastoso e pode escorrer. Pastas com compostos sem materiais metálicos também têm ótima performance, com a vantagem de serem mais seguras para marinheiros de primeira viagem.

Aplicação de pasta térmica não é algo trivial e você só deve encarar o procedimento se souber o que está fazendo. Caso contrário, procure profissionais.

Faça uma limpeza completa

Outro cuidado está em limpar o interior do notebook. Laptops oferecem espaços bem reduzidos para a circulação do ar que refrigera os componentes e, caso haja acumulo de sujeira, é possível que o ar tenha mais dificuldade de circular e trocar calor com as peças aquecidas.

Casos extremos de poeira podem provocar até danos na ventoinha, peça essencial no controle térmico e na circulação de ar.

Considere uma base de refrigeração

Essa não é uma opção ideal porque envolve o uso de um acessório que vai tomar uma porta USB do seu laptop e pode comprometer a portabilidade. Apesar disso, a dica pode ser a saída para quem não encontra outra solução para problemas de aquecimento.

Boas bases melhoram a circulação de ar e permitem que seu computador seja mais eficiente. O equipamento deve diminuir a temperatura sem a necessidade de intervenções mais drásticas, como troca da pasta térmica, ou sacrifícios de desempenho.

Meu computador está esquentando muito; como resolver? Saiba no Fórum do TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.