Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Por Felipe Vinha, para o TechTudo


O Nintendo Switch é o console mais atual da Nintendo. Ele não é comercializado oficialmente no Brasil pela empresa, apenas por importadoras que trazem o console de fora e também no chamado “mercado cinza”. Contudo, há pessoas que preferem importar o aparelho, comprando por conta própria, seja em viagem ou por lojas de varejo online. Mas será que vale a pena? Veja dicas e entenda os motivos que podem ajudar em sua decisão:

Preço no Brasil vs. Preço nos EUA

Uma rápida busca em sites de leilões por “Nintendo Switch” revela o preço médio do aparelho comercializado por seus usuários: entre R$ 1800 e R$ 2 mil. Em grandes varejistas, o preço não muda muito e flutua na faixa de R$ 1800. Em lojas físicas de informática, no Rio de Janeiro, os valores estacionam em R$ 1650.

Quer comprar um Nintendo Switch barato? Encontre os melhores preços no Compare TechTudo

O preço nacional é bem variado, enquanto nos EUA o valor é sempre fixo. O Nintendo Switch é vendido por US$ 300 por lá, sem contabilizar eventuais impostos. De acordo com a cotação do dólar na data em que este artigo foi produzido, este valor se traduz em cerca de R$ 1150 – abaixo do que é praticado em lojas nacionais, no mercado cinza ou não.

Vantagens de comprar no Brasil

Apesar de mais caro, a compra do Switch no Brasil pode ter suas vantagens, a começar pela facilidade de pagamento. Em grandes varejistas e sites de leilões é possível optar por parcelamento no cartão de crédito, o que sempre deixa a compra um pouco mais leve de pagar. Nos EUA, essa modalidade não existe.

Além disso, lojas nacionais costumam oferecer garantias em relação ao que foi comprado. Por mais que não exista assistência técnica da Nintendo por aqui, se o produto vier com defeito você tem a opção de trocar, na maioria dos casos. Comprando nos EUA isso também pode valer, mas você terá mais trabalho para enviar o aparelho de volta e receber outro.

Taxas, correios, alfândega…

Comprar o Nintendo Switch nos EUA só é possível em duas formas: se o comprador viajar e trouxer um na mala ou se adquirir por meio de algum site que entregue no Brasil – e eles são poucos. Nas duas opções há ainda o risco de pagar taxa de importação na alfândega, que é de 60% do valor do produto.

Se você calcular bem, sem contar a variação cambial e outras taxas que estão inclusas, como IOF, o valor de alfândega cobrado em um Nintendo Switch pode chegar a quase R$ 700. Isso não apenas elevaria o preço final do console, como também o deixaria mais caro do que o preço praticado em lojas brasileiras. Em algumas lojas, os impostos podem até subir.

Conclusão

É claro que existem variáveis. Você pode não pagar taxa em alguns casos – vindo com o Switch na mala, há um teto de US$ 500 de isenção na alfândega dos aeroportos nacionais. Porém, enquanto o valor do dólar estiver alto, e dadas as facilidades que lojas nacionais oferecem, a melhor opção para comprar o console, por enquanto, é no Brasil.

Isso sem falar em eventuais anúncios de consoles usados, de donos que desistiram de ter o aparelho ou que preferiram comprar outro – nestes casos, o preço pode variar um pouco para baixo, dependendo do estado de conservação do Nintendo Switch ou do que acompanhar o pacote, como jogos e acessórios.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.