Por Thássius Veloso — São Paulo

07/02/2019 10h58 Atualizado 2019-02-07T13:41:20.370Z


O Moto G7 finalmente chega ao mercado global de celulares: Moto G7 Play, Moto G7 Power, Moto G7 (tradicional) e Moto G7 Plus são os novos lançamentos da Motorola – aliás, citados aqui em ordem crescente de preço, que varia de R$ 999 a R$ 1.899. A fabricante número 2 do país decidiu espalhar o notch – recorte na tela popularizado pelo iPhone X – por todos os telefones, com direito a vários tamanhos.

A ficha técnica dos modelos traz alguns atributos em comum. É o caso dos processadores Snapdragon série 600 entre todos eles, com velocidade até 60% maior que na linha do Moto G6, de acordo com o engenheiro de produto Thiago Masuchette. A tela em formato mais alto de 19:9, com proposta de melhor navegação em redes sociais e exibição de vídeos, também ganha protagonismo entre os modelos. Os celulares rodam Android 9 (Pie).

Moto G7 por R$ 1.599: notch em formato de gota

O carro-chefe Moto G7 repete recursos de smartphones mais caros, caso da câmera dupla com sensor principal de 12 megapixels e sensor auxiliar de 5 megapixels. A inteligência artificial marca presença com detecção de sorrisos que automaticamente bate a foto quando percebe que todos os personagens estão sorrindo.

Sua tela de 6,2 polegadas e resolução Full HD+ também chama a atenção. As especificações citam processador Snapdragon 632 (8 núcleos), memória RAM de 4 GB e armazenamento de 64 GB. O equipamento sai na frente do Moto G6 devido ao desempenho 50% mais rápido, de acordo com teste feito pela empresa com o benchmark do AnTuTu.

A Motorola aposta principalmente no visual do produto: o Moto G7 emprega, por exemplo, notch em formato de gota, menor do que nos demais componentes da linha.

A bateria de 3.000 mAh tem promessa de “um dia inteiro de uso”, apesar de a marca não informar os números exatos.

O Moto G7 é vendido nas cores ônix (espécie de preto) e polar (branco) por R$ 1.599.

Moto G7 Plus por R$ 1.899: inteligência artificial na hora de tirar fotos

Não há diferenças entre os layouts de Moto G7 Plus e G7 tradicional, um indicativo de que as telas enormes e as bordas finas se tornaram o padrão na linha mais popular da Motorola – uma das que mais vendem no Brasil. O sucessor do Moto G6 Plus traz o mesmo display de 6,2 polegadas com resolução Full HD+.

A ficha técnica inclui processador Snapdragon 636 (8 núcleos), RAM de 4 GB e armazenamento de 64 GB. A Motorola não divulgou o possível ganho de velocidade em relação ao modelo de 2018.

Amantes de fotos contam, neste produto, com uma nova implementação de inteligência artificial que recorta automaticamente as imagens para seguir a regra dos terços. Caso uma pessoa esteja centralizada na grade da câmera, o próprio G7 Plus faz os ajustes para que o personagem fique mais à direita ou à esquerda, o que costuma trazer um resultado mais harmônico – de quebra, pode levar a mais likes no Instagram. A Motorola ressalta que as duas imagens (original e edição com IA) ficam salvas no telefone, portanto, é o usuário que decide qual vai postar.

O G7 Plus conta com câmera dupla na superfície de trás: o sensor principal tem 16 megapixels, enquanto o sensor auxiliar 5 megapixels ajuda a produzir o desejado modo retrato. Este é o primeiro integrante da família Moto G com estabilização ótica que possibilita fotos e vídeos menos tremidos. O atrib

... uto era visto em telefones mais caros até agora.

A bateria tem 3.000 mAh. O Plus é vendido em rubi (vermelho) e índigo (azul escuro) por R$ 1.899.

Moto G7 Play por R$ 999: mais básico celular da linha Moto G7

O Moto G7 segue a tradição de ser o celular mais barato da linha Moto G, o que se reflete nas especificações. A tela de 5,7 polegadas, por exemplo, exibe imagens em resolução apenas HD+. A ficha técnica menciona processador Snapdragon 632 (8 núcleos e 1,8 GHz), memória RAM de 2 GB e espaço de 32 GB para guardar arquivos. A fabricante alega que o desempenho está 60% mais veloz.

No visual, o destaque vai para o notch similar ao do Motorola One, smartphone que rapidamente conquistou o país no ano passado. As empresas do setor seguem apostando no recorte na extremidade superior do display enquanto não encontram uma forma de esconder de vez a câmera frontal e os sensores daquela região.

A câmera traseira não é dupla, e sim simples, capaz de tirar fotos de 13 megapixels. Mesmo assim, o aplicativo de câmera inclui modo retrato (realizado por meio de software, normalmente mais falho), seleção de cor em destaque e timelapse (passagem de tempo).

O Moto G7 Play tem bateria de 3.000 mAh. O acabamento em plástico texturizado ocorre em duas cores: ouro e índigo (azul escuro). O preço é de R$ 999.

Moto G7 Power por R$ 1.399: bateria gigante

O próprio nome entrega o superlativo do Moto G7 Power: bateria com autonomia de até 55 horas em uso misto, graças ao componente de 5.000 mAh.

A ficha técnica do G7 Power inclui processador Snapdragon 632, RAM de 3 GB e armazenamento de 32 GB. Embora o smartphone tenha um notch, o tamanho do recorte fica entre Play (maior) e o G7 tradicional (menor, em formato de gota). A tela de 6,2 polegadas tem resolução somente HD+.

O conjunto fotográfico dispensa a câmera dupla: na traseira fica um sensor simples de 12 megapixels. Segundo Masuchette, da Motorola, o principal ganho diz respeito ao tamanho de cada pixel, maior no Power em relação ao Play. Noutras palavras, as imagens tendem a ser mais detalhadas neste modelo. A câmera frontal tira selfies de 8 megapixels.

Todos os smartphones da linha Moto G7 têm carregador rápido ou TurboPower (ainda mais potente). No caso do G7 Power, a peça inclusa na caixa do telefone funciona a 15W.

O G7 Power tem corpo de plástico com aspecto de vidro. É vendido somente numa cor: azul navy. O preço é de R$ 1.399.

O jornalista viajou para São Paulo a convite da Motorola.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.