Por Gabrielle Fonseca, TechTudo

23/03/2019 08h30 Atualizado 2019-03-23T11:30:42.160Z


A franquia Magic é sucesso absoluto no cenário de card games de todo o mundo. Com uma trajetória que começou na década de 1990, o jogo virou um verdadeiro fenômeno no Brasil e no mundo. Em 1994, as primeiras competições do card game começaram a surgir, atraindo mais jogadores para a franquia. Desde então, o jogo passou a se concretizar com torneios de cartas em versões físicas e virtuais, tornando-se uma grande promessa para os esportes eletrônicos. Confira, a seguir, cinco curiosidades sobre o cenário competitivo da franquia Magic.

O Brasil joga Magic, e joga muito bem

O Brasil se destaca no cenário competitivo de Magic: The Gathering com vários jogadores. Um exemplo da paixão brasileira pelo card game é o jogador Paulo Vitor Damo da Rosa. O pro player venceu o Pro Tour Hour of Devastation, maior torneio do cenário competitivo do jogo, em 2010, no Porto Rico, e em 2017, no Japão. Além disso, Paulo venceu o Grand Prix de MTG em 2011 e 2014.

Além dele, outro jogador de destaque no cenário é o brasileiro Carlos Romão. De acordo com o site Esports Earnings, ele é o sétimo player que mais lucrou com MTG em todo o mundo. O competidor já arrecadou um total de US$ 25 mil em torneios (R$ 95 mil em conversão direta). Romão foi campeão do Magic: The Gathering World Championship em 2002, e venceu o Magic Online Championship em 2010.

Devido ao histórico marcante em competições de Magic: The Gathering, Carlos Romão e Paulo Vitor Damo da Rosa foram convidados pela desenvolvedora do game para participar do The Mythic Invitational. O campeonato é o primeiro torneio oficial do novo jogo online da franquia, o Magic: The Gathering Arena.

Uma pequena competidora

Uma americana de 8 anos é uma das mais jovens jogadoras do cenário profissional de Magic: The Gathering. Dana Fischer joga desde os seus três anos de idade e já participou de mais de quatro edições do Grand Prix. A pequena competidora começou a jogar Magic: The Gathering quando seu pai lhe deu um baralho com 30 cartas.

Com muitos cards repetidos em sua coleção, Dana estudou e memorizou os itens do jogo. Competitiva e dedicada, a jogadora mirim já foi considerada a jogadora mais jovem a chegar ao segundo dia de partidas do Grand Prix, e é um destaque no cenário profissional de Magic.

Competições mundiais desde 1994

Já em 1994, apenas três anos depois do lançamento de MTG, a franquia já possuía campeonatos mundiais. O primeiro vencedor da edição estreante do Magic: The Gathering World Championship foi o norte-americano Zak Dolan, sendo sucedido no ano seguinte pelo suíço Alexander Blumke e posteriormente pelo australiano Tom Chanpheng. O jogador Carlos Romão, que venceu o torneio em 2002, foi o primeiro e único brasileiro a conquistar esse título.

Um milhão de dólares em premiação

A primeira versão online de Magic: The Gathering possui um histórico importante nos esports. As competições nesta modalidade começaram em 2009, mas o jogo já chegou a dar um total US$ 1 milhão (R$ 3,8 milhões em conversão direta) em torneios. As competições ocorreram entre 2009 e 2017 e o destaque foi para o prêmio total de US$ 200 mil (aproximadamente R$ 760 mil) entregues na última edição da Magic Online Championship.

Uma nova promessa para o esporte eletrônico

Magic The Gathering é um jogo com um histórico longo até mesmo em versões online, passando por MT

... G Online e Magic Duels: Origins. No entanto, foi com a chegada de Magic Arena que o card game passou a se tornar uma forte promessa para o cenário dos esports. Apesar de recente, o jogo online já tem sua primeira competição oficial marcada.

Com data para acontecer entre os dias 8 e 31 de março, o torneio The Mythic Invitational promete reunir os grandes jogadores de Magic de todo o mundo. A premiação de US$ 1 milhão (R$ 3,8 milhões) quase ultrapassa a soma dos prêmios de todas edições de Magic Online Championship.

Via Esports Earnings, magic.wizards e gamepedia



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.