Por Paulo Alves, para o TechTudo

01/04/2019 14h26 Atualizado 2019-04-01T17:26:22.730Z


O MacBook é um dos principais produtos da Apple no mundo. A fabricante, que comemora seu aniversário de 43 anos nesta segunda (1), lançou o primeiro notebook da linha em 2006, e desde então traz o nome em todos os seus computadores portáteis. Mas antes disso, a empresa apostou em outros modelos de laptop, mas nenhum deu tão certo quanto as versões atuais.

O primeiro passo foi dado em 1989, com o Macintosh Portable. Depois, a marca apostou em dispositivos como os PowerBooks e os iBooks coloridos, até a chegada dos aparelhos com a logo da maçã na tampa. Confira a seguir cinco notebooks que foram apostas da Apple antes dos MacBooks.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Macintosh Portable

Steve Jobs teria insistido na ideia de um notebook da Apple já nos anos 1980, mas sem convencer a diretoria da empresa. Curiosamente, o Macintosh Portable, primeiro laptop da maçã, foi lançado em 1989, cinco anos depois da saída do executivo. O computador, porém, era pouco portátil: pesava mais de 7 kg e media mais de 10 cm de espessura.

No hardware, o computador trazia um processador 68000 de 16 MHz, mais rápido em relação ao componente que vinha instalado no Macintosh II, versão desktop. O display também impressionava para a época: um painel LCD de 9,8 polegadas com resolução 640 x 400 pixels e gráficos em preto e branco.

O alto preço cobrado pelo notebook contribuiu para o fiasco do Macintosh Portable. O laptop custava US$ 6.500, valor equivalente a mais de US$ 12.000 corrigidos pela inflação – na cotação atual, algo em torno de R$ 46.473. Atualmente, essa quantia seria suficiente para comprar cerca de 10 MacBooks Pro com tela Retina e processador pelo menos 143 vezes mais veloz.

PowerBook 100

Dois anos depois da primeira tentativa, a Apple lançou o primeiro modelo PowerBook, linha que teria algum sucesso nos anos seguintes. O PowerBook 100 chegou ao mercado com o mesmo processador 68000 de 16 MHz do Macintosh Portable e tela de 9 polegadas, com resolução similar. O design, porém, já era bem mais moderno.

De uma peça de mais de 7 kg com o Macintosh Portable, o notebook da Apple passou a pesar 2,5 kg, o suficiente para torna-lo verdadeiramente compacto para os padrões da época – basta lembrar que, hoje em dia, um aparelho desse peso não é algo muito raro.

O valor cobrado no lançamento também ajudou na popularidade: o laptop da Apple custava US$ 2.500, bem abaixo dos US$ 6.500 do Macintosh Portable. O valor corrigido fica atualmente próximo dos US$ 4.600, cerca de R$ 17.815 em conversão direta.

PowerBook Duo

Em 1992, a linha de notebooks da Apple ganhou mais um integrante. O PowerBook Duo trouxe melhorias importantes no hardware, como um processador mais potente de 25 MHz e um HD de maior capacidade. Se o antecessor trazia capacidade máxima de 40 MB, o novo modelo permitia guardar até 80 MB de arquivos na memória, o equivalente a um vídeo de 6 minutos do YouTube em qualidade HD.

O computador também trouxe upgrade na tela, que vinha com a tecnologia “Supertwist” de matriz passiva em tons de cinza. Ou seja, um preto e branco de qualidade superior ao antecessor. O design também ganhou refinamentos, com uma nova cor preta e corpo ainda mais leve, com 1,9 kg.

Outro recurso que chamou a atenção foi o Duo Dock, um acessório que servia para conectar o laptop a um desktop Macinctosh para expandir o poder de processamento da máquina – daí o

... nome “Duo”. Mesmo com melhorias, o modelo custou US$ 250 a menos que o PowerBook 100 no lançamento. Com valores corrigidos, são cerca de US$ 4.139, ou R$ 16.030 na cotação atual, aproximadamente.

PowerBook G3

A linha PowerBook ganhou melhorias ano a ano até a chegada do PowerBook G3, em 1997, com Steve Jobs já de volta à Apple. O modelo trouxe um salto maior de inovação nos notebooks em relação às versões anteriores, com hardware que incluía chip de 250 MHz fabricado pela PowerPC, além de 32 MB de RAM e HD de altíssima capacidade para a época, com 5 GB de espaço.

O dispositivo trazia também drive óptico para CD-ROM e uma tela de 12,1 polegadas com tecnologia TFT. Painéis do tipo são usados em celulares de baixo custo hoje em dia, mas eram considerados de alto padrão naquela época.

As especificações não só eram superiores com relação a notebooks antigos da Apple, mas também faziam com que o PowerBook G3 apresentasse desempenho melhor até que computadores desktop do fim dos anos 1990. No entanto, ter um modelo avançado como aquele não era para todos, já que ele tinha preço de US$ 5.700 – equivalente a US$ 10.486 atuais, cerca de R$ 40.610 em conversão direta.

iBook G3

O lançamento do iBook G3, em 1999, marcou a entrada da Apple no mercado de notebooks para consumidores domésticos. Até então, a linha PowerBook era voltada para clientes comerciais, que necessitavam de alto poder de processamento em um design mais fino e leve. A principal diferença, portanto, foi estética: com acabamento em plástico, a linha ficou conhecida pelo visual colorido.

O iBook G3 herdou várias características da versão profissional. Ele trazia chip PowerPC de 300 MHz, até 64 MB de RAM e um disco rígido que poderia ser de 3,2 GB ou 6 GB. O barateamento dos componentes e o material mais simples também ajudaram a reduzir o custo do notebook: enquanto o PowerBook passava de US$ 5.000 no lançamento, o iBook G3 tinha preços partindo de US$ 1.500. Corrigindo a inflação, esse valor equivale hoje a US$ 2.759, algo em torno de R$ 10.685.

MacBook Pro ou Air? Tire suas dúvidas no Fórum do TechTudo



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.