Por Igor Nishikiori, para o TechTudo

27/05/2019 06h45 Atualizado 2019-05-27T09:45:02.671Z


Conhecer Papai Noel, fazer ponta em um filme e virar um cadáver. Essas são algumas das recompensas que já foram disponibilizadas em projetos de financiamento coletivo de games. Sites como Kickstarter, Indiegogo e Fig permitem que os criadores coloquem diversas categorias de prêmios para seus apoiadores — e a verdade é que a grande maioria não inventa muito. Só que alguns abusam da criatividade e do bom humor.

Confira a seguir uma lista com as recompensas mais bizarras já oferecidas em sites de financiamento coletivo:

Conhecer a cidade fantasma de Chernobyl

O game de survival horror Chernobylite ganhou fama recentemente por oferecer um prêmio bem inusitado: uma viagem de dois dias para a zona de exclusão de Chernobyl, na Ucrânia, atualmente uma cidade desabitada após o acidente nuclear de 1986. Pagando US$ 1,3 mil (cerca de R$ 5,2 mil), os desenvolvedores do jogo te acompanharão no que eles chamam de “uma aventura para toda a vida”.

Segundo a descrição da página do game no Kickstarter, basta chegar à Kiev, na Ucrânia, que eles providenciarão todos os trâmites do passeio. Por isso, é preciso ter mais de 18 anos e um passaporte válido.

Escolher uma tatuagem para o criador do game

Primeiro jogo do desenvolvedor Alexis Kennedy, Cultist Simulator chamou atenção por seu estilo minimalista: trata-se de um game de estratégia cuja mecânica é baseada em jogos de cartas. Quando o game foi lançado no Kickstarter, o sucesso foi imediato e a empresa arrecadou quase o triplo do que tinha pedido inicialmente.

Além de desenvolver um game criativo, Kennedy ainda criou prêmios no mínimo curiosos para quem financiasse Cultist Simulator. Na opção de 150 libras (R$ 770), ele promete revelar qualquer segredo de algum jogo que ele tenha trabalhado no passado. Já na opção de 5 mil libras (R$ 25,6 mil), o investidor pode escolher um desenho para ser tatuado na pele de Kennedy. Porém, ele avisa: se a namorada não aprovar a escolha, o dinheiro será devolvido. Para a sorte de ambos, ninguém investiu nessa opção.

Ser seguido por Shaquille O’Neal no Instagram

A lenda do basquete Shaquille O’Neal é conhecido por ser fã de games. Tanto que ele próprio se empenhou no projeto de fazer um reboot de Shaq-Fu, originalmente lançado em 1994 para Mega Drive e Super Nes, e que hoje é visto como um dos piores games da geração 16 bits.

Para isso, o ex-pivô não se privou de participar da maioria das recompensas para quem investisse no game. Entre as opções estão assistir a um jogo da NBA ao seu lado, jogar basquete dentro de sua mansão, e até chamá-lo para animar uma festa como DJ. Mas quem não tem tanto dinheiro disponível, há uma opção mais em conta: por US$ 500 (R$ 2 mil), Shaq irá te seguir no Instagram e curtir algumas fotos suas. Ele pode até fazer alguns comentários elogiosos, se for o caso.

Aparecer em um filme de Kevin Smith

Com filmes como O Balconista, Dogma e Pagando Bem, Que Mal Tem? no currículo, o diretor Kevin Smith também assina um projeto que transformará em game os principais personagens de suas obras. O jogo no estilo briga de rua (beat’ em up), Jay and Silent Bob: Chronic Blunt Punch, ainda está em fase de produção, apesar da previsão inicial de lançamento ser fevereiro de 2018.

As recompensas para quem financiou o projeto não são tão diferentes de outros games, como camisetas, artbooks e action figures autografadas. A questão é que todos os financiadores poderão ser sorteados pa

... ra uma vaga de figurante em uma futura produção de Smith.

Ganhar uma peça real do filme Apocalypse Now

Outro filme que usou o financiamento coletivo para virar game foi o clássico Apocalypse Now. No começo de 2017, o projeto foi anunciado no Kickstarter e contava com a participação ativa do diretor Francis Ford Coppola. Tanto que um dos prêmios eram peças originais usadas no filme, além de mochilas e roupas temáticas.

O problema é que o projeto acabou arrecadando menos do que o esperado — apenas US$ 172,5 mil de uma meta de US$ 900 mil. Com isso, o financiamento coletivo saiu do Kickstarter e migrou para uma plataforma própria criada dentro do site de Apocalypse Now, que já não existe mais. Por enquanto, não há informações de que o game tenha sido oficialmente cancelado.

Conhecer Papai Noel

Em 2013, a desenvolvedora finlandesa BugBear — que criou a série FlatOut — lançou no Kickstarter um novo projeto de jogo de corrida. Sob o nome de Next Car Game, a ideia era permitir que seus apoiadores participassem de todas as etapas de desenvolvimento, escolhendo desde os modelos de veículos até o título.

O mais interesse eram os prêmios: pagando US$ 7,5 mil (R$ 30 mil), a empresa oferece um dia de disputas de rachas de rally com a equipe, seguida de uma tradicional sauna finlandesa em Helsinque. E investindo US$ 10 mil (R$ 40 mil) seria possível conhecer, junto com um acompanhante, o Papai Noel na região da Lapônia.

O projeto Next Car Game acabou não atingindo a meta de financiamento, mas posteriormente acabou lançado em 2014 sob o nome de Wreckfest (PC, PS4, Xbox One).

Dar nome a uma vara de pescar

Uma recompensa comum nos projetos financiados coletivamente é poder dar nomes a personagens, magias ou itens. Em Shenmue 3 isso não é diferente. A continuação da franquia da Sega, que se tornou o game mais financiado da história do Kickstarter com mais de US$ 6 milhões em apoios, terá o nome dos financiadores em diversos locais dentro do jogo.

Melhor ainda é que pagando US$ 1,8 mil (R$ 7,2 mil), seu nome será eternizado em uma vara de pescar. Segundo a descrição no site, assim que o jogador compra o item em Shenmue 3, o personagem Ryo poderá reagir de uma certa maneira como agradecimento.

Ganhar um minifliperama

Lançado em 2018, o game Little Bug tem uma mecânica curiosa em que é preciso controlar dois personagens ao mesmo tempo: uma menina chamada Nyah e um espírito de luz que a ajuda a enfrentar criaturas misteriosas.

Little Bug pode ser jogado com mouse e teclado, mas os desenvolvedores criaram uma maneira ainda melhor de aproveitar essa jogabilidade diferente: um minifliperama com joystick e um pedal, e que pode ser jogado com duas pessoas em modo co-op. O preço para esse mimo, porém, é salgado: US$ 3 mil (R$ 12 mil), fora o preço do frete.

Virar um cadáver dentro do game

O game System Shock, lançado em 1994, não fez tanto sucesso na época, mas é considerado um dos marcos nos games de ação em primeira pessoa por sua narrativa densa e complexa — cujas características influenciam títulos até hoje, como a série Bioshock. Por isso, a equipe da Nightdive Studios resolveu reparar essa falha histórica lançando um reboot do game original e que está previsto para sair em 2020.

O projeto, que arrecadou mais de US$ 1,3 milhão no Kickstarter, não poupou no quesito prêmios. Entre eles está uma série exclusiva do notebook gamer Razer Blade com a estética cyberpunk do System Shock, ao preço de US$ 5 mil (R$ 20 mil). Outra opção, dessa vez pagando apenas US$ 350 (R$ 1,4 mil), é ter seu nome eternizado como um dos cadáveres do jogo. Pouco bizarro?



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.