O primeiro motor do mundo feito completamente com impressão 3D está prestes a revolucionar o uso dos foguetes espaciais. Chamado de Rutherford, o equipamento foi desenvolvido pela startup neozelandesa Rocket Lab com o objetivo de reduzir o custo médio do envio de satélites ao espaço. A expectativa é que os foguetes Electron e os motores 3D reduzam os custos em até 95%. 
Impressora 3D reproduz miniatura ‘perfeita’ de pessoas queridas; veja
Lançamento de conteúdo ao espaço fica muito mais barato (Foto: Divulgação)
Tudo no projeto é inovador, a começar com seu sistema de turbobombas, que funcionam a partir de motores elétricos com baterias de lítio. Normalmente, estes componentes recebem cargas de combustível, como oxigênio líquido ou hidrogênio gasoso, mas essa nova tecnologia é muito mais econômica. “Historicamente, o tempo e o gasto para lançar pequenos satélites era restrito, custando muitos milhões de dólares e precisando de muita paciência e flexibilidade. Com Electron, companhias podem lançar o que quiserem com um custo muito mais barato”, explica Peter Back, CEO da Rocket Lab.
Motor com nova tecnologia pode baratear muito envio ao espaço (Foto: Divulgação)
O mais interessante da iniciativa é a impressão 3D do motor Rutherford, o primeiro LOX-RP-1 com seus componentes primários impresso totalmente em 3D. Feitos com peças de titânio em cerca de três dias e usando uma técnica chamada de raio de derretimento de elétrons, um foguete têm nove deles na cauda e um na frente.
>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.