Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Conhecida mundialmente, a Apple é responsável por diversos avanços tecnológicos, lançando novas tendências ano após ano. Porém, o que muitos não sabem, é que nem sempre a marca da maçã acerta em seus produtos. Veja a seguir uma lista com dez aparelhos que não deram tão certo como a Apple esperava, se transformando em completos fiascos.

Novo MacBook: veja as novidades e compare com os modelos anteriores

1. Apple III

Apple III (Foto: Divulgação/Apple)Apple III era para ser o sucessor do modelo de sucesso Apple II, mas não foi exatamente o que aconteceu (Foto: Divulgação/Apple)

O Apple III era para ser uma revolução no mercado tecnológico, mas em vez disso foi um fracasso total. O computador pessoal, lançado pela maçã no início da década de 1980, tinha como público o mercado corporativo. O aparelho chegava para substituir o Apple II, mas não foi isso que aconteceu. Isso porque o dispositivo veio cheio de erros, como o uso de um barramento de expansão proprietário - que limitava o uso de possibilidades de expansão dos próprios acessórios oferecidos pela Apple - além do problema da falta de ventilador ou saídas de ar - sugestão de Steve Jobs para que o aparelho fosse silencioso - o que fez com que o Apple III superaquecesse facilmente. Consequências incluíam derreter disquetes e fazer o processador se soltar da placa-mãe.

2. QuickTake

Quicktake foi uma das primeiras câmeras digitais com foco no consumidor (Divulgação)Quicktake foi uma das primeiras câmeras digitais com foco no consumidor (Foto: Divulgação/Apple)

A QuickTake foi uma das primeiras câmeras digitais voltadas para o consumidor. Lançada em 1994, as máquinas fotográficas da Apple produziam fotos com resolução máxima de 640 × 480 pixels. Apesar do esforço da empresa, a QuickTake não teve bom nível de vendas, já que outras companhias como a Kodak, Nikon, Fujifilm e Canon entraram no mercado e logo foram associadas a marcas ligadas à fotografia, o que dava a elas maior credibilidade no assunto.

3. Macintosh TV

A Macintosh TV foi um fiasco total (Divulgação)A Macintosh TV foi um fiasco total (Foto: Divulgação/Apple)

A Macintosh TV era um Mac, com apenas dez mil exemplares fabricados. Criada em 1933, o produto era um desktop todo em cor preta - o que depois não se viu mais na Apple - com placa de captura de TV NTSC, controle remoto e leitor de CD. O dispositivo tinha uma ideia interessante, tratava-se de um 2 em 1, que sintonizava canais de televisão, enquanto o usuário trabalhava no computador. Porém, também não “pegou” entre os consumidores. Isso porque o dispositivo tinha diversos problemas amadores e custava cerca de US$ 2 mil.

O que você achou das novidades da Apple para 2015? Comente no Fórum do TechTudo.

4. Apple Lisa

Apple Lisa recebeu este nome em homenagem a filha do Steve Jobs (Foto: Divulgação/Apple)Apple Lisa recebeu este nome em homenagem a filha do Steve Jobs (Foto: Divulgação/Apple)

O Lisa foi um computador pessoal revolucionário, lançado pela Apple Computer em 1983. O PC, que recebeu o nome da filha do Steve Jobs (Lisa), foi o primeiro a ter uma interface gráfica e tinha como proposta ser um computador fácil de usar. Com um caráter revolucionário para os padrões da época, com microprocessador Motorola 68000 a 5 MHz, o PC tinha 1 MB de RAM, memória virtual, um disco rígido externo de 5 MB e dois leitores de disquetes 5,25? de 871 KB. Mas tudo isso não foi suficiente para que o computador fizesse sucesso. Grande parte do fracasso do aparelho foi por conta do preço alto, afinal, pouquíssimas pessoas estavam dispostas a pagar quase US$ 10.000 pelo aparelho.

5. Apple Pippin

Pinppin foi um videogame que não deu certo devido ao grande número de defeitos que o console apresentava (Divulgação) (Foto: Pinppin foi um videogame que não deu certo devido ao grande número de defeitos que o console apresentava (Divulgação))Pinppin foi um videogame que não deu certo devido ao grande número de defeitos que o console apresentava (Divulgação)

O Apple Bandai Pippin foi um console de videogame produzido nos anos 1990. Também um fracasso, o dispositivo tinha pouca quantidade de jogos publicados e um grande número de consoles vendidos apresentava defeitos de fábrica. Custando $599 na época de lançamento, o Pippin foi baseado na arquitetura clássica do Macintosh e tinha até acesso à internet. Ainda assim, o produto foi um fiasco, foram fabricados em torno de 100.000 Pippins, mas apenas aproximadamente 42.000 deles foram vendidos.

6. Newton

Newton foi o assistente pessoal da Apple que fracassou  (Foto: Divulgação/Apple)Newton foi o assistente pessoal da Apple que fracassou (Foto: Divulgação/Apple)

Apresentado pela Apple como um assistente pessoal, capaz de armazenar contatos, anotações e gerenciar compromissos pessoais do usuário, o Newton é visto por alguns como o precursor dos atuais tablets. Lançado pela Apple em 1993, o modelo de PDA com tela sensível ao toque, possuía reconhecimento inteligente de escrita, memória flash e processador RISC. A companhia gastou aproximadamente US$ 100 milhões no desenvolvimento e lançamento do produto, que não correspondeu às expectativas comerciais da empresa.

7. Power Mac G4 Cube

O design elegante do G4 Cube escondia um computador frágil e pouco potente (Divulgação)O design elegante do G4 Cube escondia um computador frágil e pouco potente (Foto: Divulgação/Apple)

Lançado em 2000, o Power Mac G4 Cube trazia, esteticamente, o que Steve Jobs fazia questão de ter em seus produtos: elegância e beleza. O design em cubo, envolto em acrílico escondia um computador frágil e pouco potente. Os grandes motivos do fracasso, além do preço alto (aproximadamente US$ 200), é que para usar o dispositivo, os usuários tinham que comprar um monitor a parte, além do superaquecimento do aparelho e a quebra da carcaça de acrílico.

8. Macintosh Portable

O Macintosh Portable pesava “apenas” 7Kg  (Foto: Divulgação/Apple)O Macintosh Portable pesava “apenas” 7Kg (Foto: Divulgação/Apple)

Em 1989, a Apple lançou o Macintosh Portable, seu primeiro microcomputador portátil. Com um processador Motorola 68000 com 16 MHz, o aparelho custava cerca de U$ 12.000. Mas não era apenas o preço “salgado” o único problema do aparelho. As baterias, por exemplo, não podiam descarregar totalmente, uma vez que, se isso acontecesse, elas eram danificadas e poderiam prejudicar até o funcionamento do produto. Além disso, devido a forma como a fonte de alimentação foi projetada, não era possível utilizar o dispositivo enquanto ele estava conectado à tomada carregando. Outro problema grave do software era o peso: o “portátil” pesava “apenas” 7kg.

9. USB Mouse

Apesar do design inovador, o USB Mouse da Apple não era nada funcional  (Foto: Divulgação/Apple)Apesar do design inovador, o USB Mouse da Apple não era nada funcional (Foto: Divulgação/Apple)

O USB Mouse da Apple possuía um design bem excêntrico. Com um formato que mais parecia um disco de hockey, o mouse não era ergonômico, muito menos funcional, além de contar com apenas um botão, que mais atrapalhava do que ajudava. De fato, a Apple tentou oferecer um produto com anatomia diferente e design arrojado, mas o produto foi um fracasso total.

10. 20th Anniversary Macintosh

O Macintosh era para ser um presente de vigésimo aniversário da maçã, mas não passou de um presente grego (Foto: Divulgação/Apple)O Macintosh era para ser um presente de vigésimo aniversário da maçã, mas não passou de um presente grego (Foto: Divulgação/Apple)

Para comemorar o vigésimo aniversário da Apple, a empresa lançou o 20th Anniversary Macintosh, um computador com tela de LCD de 12 polegadas, com 800×600 pixels de resolução e especificações ordinárias - até mesmo para a época. Com um design extremamente de mau gosto e um preço alto para o que o produto oferecia (US$ 9 mil), foram vendidos, aproximadamente, apenas 12 mil unidades do Macintosh. Mais tarde, a Apple até conseguiu reduzir o preço do produto, mas parece que era tarde demais e o aparelho não passou de um fracasso para a história da marca da maçã.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.