Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Pac-Man acaba de comemorar seu aniversário de 35 anos. Desde a concepção, o popular mascote da Namco Bandai passou por diversas fases: em alguns momentos, ele foi mais "humano", já, em outros, se aventurou em outros gêneros. Confira alguns dos melhores jogos do comilão.

Pac-Man: conheça as curiosidades mais interessantes sobre a franquia

Clássico mascote Pac-Man completa 35 anos de comilança (Foto: Reprodução/Robocraft)Clássico mascote Pac-Man completa 35 anos de comilança (Foto: Reprodução/Robocraft)

Pac-Man (1980 – Fliperama)

O clássico game lançado para fliperamas foi criado pela Namco. Responsável por uma febre que marcou os anos 80, o título trouxe um público inédito para os fliperamas. Pac-Man apresentava uma criaturinha amarela que percorria um labirinto enquanto fugia de fantasmas. Além disso, o título introduziu conceitos que, hoje, parecem óbvios: as pastilhas de poder foram o primeiro “Power-Up” na história dos videogames, e os fantasmas, a primeira forma de inteligência artificial avançada.

Ms. Pac-Man (1981 – Fliperama)

Com o sucesso estrondoso de Pac-Man, a produtora Midway que publicava o game nos Estados Unidos ficou ansiosa por uma sequência. Porém, a Namco não tinha nada em desenvolvimento. Várias empresas começaram a copiar Pac-Man. Por conta disso, a Midway resolveu comprar um deles, chamado Crazy Otto, e editá-lo para transformar no que hoje conhecemos como Ms. Pac-Man. O game foi criado sem a autorização da Namco.

Pac-Land (1984 – Fliperama)

A verdadeira sequência de Pac-Man foi lançada quatro anos depois: Pac-Land. No entanto, enquanto o primeiro Pac-Man era um jogo focado em caçar pílulas em um labirinto, Pac-Land era um game de plataforma com visão lateral, muito diferente do original. Essa mudança acabou não gerando tanto sucesso quanto o original.

Pac-Man 2: The New Adventures (1994 – Super Nintendo, Mega Drive)

Apesar de estrelar vários jogos menores, demorou mais uns 10 anos para Pac-Man receber uma nova grande aventura. Porém, se Pac-Land já era distante do original, The New Adventures consegue ir além, trazendo um jogo de apontar e clicar. No controle de um estilingue que funciona como mouse, você tenta guiar Pac-Man para pontos de interesse, sem controlá-lo diretamente, observando as divertidas reações baseadas em um desenho animado do personagem na época.

Pac-Man World (1999 – PlayStation)

Para comemorar os 20 anos do personagem, a Namco Bandai criou Pac-Man World, um jogo para o PlayStation que introduzia o mascote no mundo dos jogos em 3D. Talvez o que ninguém esperasse é que o game fosse tão bom e se tornasse um grande favorito do público na época.

Pac-Man Vs. (2003 – GameCube)

Após o sucesso de Pac-Man World, a Namco preparou uma sequência para o jogo no PlayStation 2, GameCube e Xbox. Porém, o que chamava a atenção era um minigame exclusivo para o console da Nintendo que acompanhava o título. Pac-Man Vs. usava um GameBoy Advance conectado ao videogame para criar uma experiência multiplayer onde um jogador controlava Pac-Man no portátil, com acesso a todo o mapa, enquanto outros três assumiam o papel dos fantasmas, com visão limitada.

Pac-Pix (2005 – Nintendo DS)

Com o anúncio do inovador Nintendo DS, Pac-Man resolveu se arriscar em novos formatos. Pac-Pix era um jogo em que você usava a tela de toque do portátil da Nintendo para desenhar o próprio Pac-Man, que saía pela fase devorando fantasmas. O game conseguiu pensar em várias mecânicas divertidas para se manter interessante, criando um dos conceitos mais originais para o Nintendo DS na época.

Pac ‘n Roll (2005 – Nintendo DS)

O segundo game de Pac-Man a tentar algo novo no Nintendo DS foi Pac ‘n Roll. Nele, o jogador rolava o mascote com a caneta pela tela de toque e tentava explorar fases em 3D como se fosse um jogo de plataforma. Pac-Man tinha ainda alguns Power-Ups extras que o permitiam acessar certas áreas, como um chapéu que o deixava mais leve.

Pac-Man Championship Edition DX (2010 – Xbox 360, PlayStation 3 e PC)

Lançado originalmente em 2007, exclusivamente para o Xbox 360, esse foi o último jogo de Toru Iwatani, criador de Pac-Man, antes de se aposentar. Adequadamente, ele é uma espécie de versão turbinada do clássico de 1980, com jogabilidade frenética, efeitos visuais psicodélicos e novas fases. 

Pac-Man and the Ghostly Adventures (2014 – Xbox 360, PlayStation 3, Nintendo Wii U, Nintendo 3DS)

A mais recente série de jogos de Pac-Man não é realmente de alta qualidade e não se compara com os clássicos Pac-Man World. Apesar disso, ela faz o difícil trabalho de apresentar o personagem para uma nova geração. O título é baseado na nova animação em 3D, Pac-Man e as Aventuras Fantasmagóricas e, por isso, é voltado para um público mais jovem.

Qual o legado de Pac-Man para os jogos? Comente no Fórum do TechTudo.


Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.