Assim como outros softwares, o Windows 10 também coleta informações dos usuários. A prática é comum para muitas desenvolvedoras, que utilizam os dados para resolver bugs em seus aplicativos. O problema é que os termos de uso do novo sistema operacional da Microsoft são ambíguos na forma como esse conhecimento será usado, o que está gerando polêmica sobre uma suposta espionagem. 
Comparativo rápido põe Windows 7, Windows 8.1 e Windows 10 lado a lado
Windows 10 coleta informações de usuários (Foto: Divulgação/Microsoft)
Cortana, OneDrive e Bing
Com o lançamento da nova versão, a desenvolvedora atualizou sua política de privacidade, que será implementada a partir do dia 1º de agosto. O texto informa que a Microsoft coleta dados de várias fontes, como pesquisas no Bing ou consultas à Cortana e em documentos carregados no OneDrive. Estes dados seriam usados, segundo a fabricante, para prover melhorias e customizações dos serviços, enviar mensagens relevantes - incluindo promoções - e, também, mostrar publicidade direcionada. O sistema de coleta de dados da versão final do Windows 10 é semelhante ao usado na versão de testes, para conseguir feedback sobre os diferentes de dispositivos no qual ele seria instalado. Como o sistema ainda estava em desenvolvimento, essa atitude era necessária para descobrir problemas e resolvê-los. Mas, agora, na versão final, a coleta de dados está sendo encarada como "espionagem".
O que é coletado? 
Algumas informações, como histórico de navegação, favoritos, site...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.