Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

O Brasil ganhou uma nova ferramenta para mapear possíveis crimes de ódio na Internet. A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SHD) anunciou nesta segunda-feira (15) um software desenvolvido para realizar a coleta de dados e a identificação de grupos que se reúnem com o intuito de ofender pessoas na rede, praticando cyberbullying e outros crimes virtuais contra pessoas.

Contatos do WhatsApp são sugeridos como amigos no Facebook? Saiba evitar

Brasil vai automatizar buscas com software para mapear crimes de ódio na Internet (Foto: Pond5)Brasil vai automatizar buscas com software para mapear crimes de ódio na Internet (Foto: Pond5)

Segundo o órgão do governo, o programa funcionará como um pilar das atividades do Grupo de Trabalho - que foi criado em novembro para monitorar e mapear crimes contra direitos humanos nas redes sociais. A partir do software, o grupo poderá encaminhar denúncias contra Redes de Ódio na Internet ao Ministério Público ou à Polícia Federal. Hoje, é possível denunciar sites a Polícia Federal.

Segundo a ministra da SHD, Ideli Salvatti, em entrevista a Agência Brasil, os crimes de ódio crescem cada vez mais e precisam ser contidos. “A gente tem acompanhado e se preocupado com o crescimento desses crimes de ódio, que são incentivados e divulgados na Internet. Já está mais do que na hora de criar mecanismos para rastrear e retirar da rede”, disse. 

Ideli citou um recente caso de uma mulher que, no mês de maio, foi espancada até a morte por moradores de Guarujá, em São Paulo. Ela foi vítima de um falso rumor que se espalhou nas redes sociais sobre rituais de magia negra com crianças.

Facebook não carrega em nenhum browser: como resolver? Veja no Fórum do TechTudo.

Entre os primeiros casos estudados estão o de um rapaz, que postou uma foto “ameaçando a deputada Maria do Rosário de estupro”, em referência à polêmica entre ela e Jair Bolsonoro na última semana. E um site nazista e criminoso cujos principais temas abordados são relativos à violência contra mulheres.

“Vamos documentar, avaliar os três casos e, na quinta-feira (18), devemos dar os encaminhamentos cabíveis, no sentido de tirar do ar, encaminhar para inquérito da Polícia Federal ou para providências do Ministério Público Federal”, explicou.

De acordo com a lei brasileira, crimes de ódio são aqueles motivados pelo preconceito e racismo, quando o criminoso seleciona intencionalmente a sua vítima em função de ela pertencer a um grupo.

Via Agência Brasil

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.